Empresas estratégicas

And Now For Something Completely Different, como é que está a reintegração daquele funcionário do PC ilegalmente despedido?

Até quando, Porto?

A minha desilusão com o Povo Português já não é de agora. Mas “Et tu, Brute?” Até tu, Povo do Norte? Até tu, Porto?

Se pensas que vais ter descontos nos impostos, desengana-te. Vais pagar o mesmo que os outros. Vais pagar centenas de milhões de euros para a capital do império ter uma companhia de aviação. Vais pagar centenas de milhões de euros para seres desprezado e sabotado.

Até quando, Porto?

Imbecil Mor

Pedro Nuno Santos recordou que 90% dos turistas que chegam a Portugal vêm por via aérea e que, destes, cerca de METADE são trazidos pela TAP, sublinhando que a companhia aérea nacional é a maior exportadora nacional” e que “A TAP é demasiado importante para a deixarmos cair”

Primeiro, este imbecil que tem a mania que tem mau feitio e que é um “durão” nem se apercebe que o registo crispado a que, artificialmente, recorre não convence ninguém. Pelo contrário só o transforma num enorme pateta que ninguém respeita. E num tempo em que abundam os patetas, conseguir fazer-se notado pela patetice, é obra.

Segundo, este imbecil já nem disfarça e assume, expressamente, que para esta corja, Portugal se reduz à capital do império. O interesse nacional é o interesse de Lisboa. As necessidades nacionais são as necessidades de Lisboa. O resto do País quase exclusivamente composto por parolos inconvenientes, é-lhes tão próximo quanto a Nova Zelândia.

Terceiro, este imbecil como bom trafulha que é, mente com quantos dentes. No último ranking conhecido (2019), a TAP (na prática, a TAL, transportes aéreos de lisboa) nem aparece nas 10 maiores exportadoras nacionais. Mas, provavelmente, por circunstancias transitórias (aquisição de aviões), é a 2ª maior importadora (cfr https://www.jornaldenegocios.pt/empresas/detalhe/as-10-maiores-exportadoras-e-as-10-maiores-importadoras-de-2019).

Quarto, este imbecil acha que se repetir muitas vezes o que lhe interessa, a ilusão passa a ser real. A TAP (TAL) só é demasiado importante para ele e para a corja de que faz parte. Não compreendo e estou certo que pouca gente compreende, essa necessidade quase física de não abdicarmos de uma companhia de bandeira. Não tenho qualquer orgulho especial em ver o nome de Portugal pintado numa data de aviões. Principalmente quando o custo é o que tem sido e, pior, o que se prevê. Para que se perceba, esta injecção de 1.200 milhões de euros corresponde a um esforço de 120€ por cada Português. Por exemplo, numa Família típica, Pai, Mãe e 2 Filhos, traduz-se num custo de 480€. Perguntem-lhes o que preferem: um alívio fiscal de quase 500€ ou a sobrevivência da TAP (TAL). E atenção que essa sobrevivência vai ser nível “zombie”, nivel “morto-vivo” porque nos próximos tempos, muitas e muitas vezes lá terão de voltar a pagar mais 480€ para que os aviõezinhos continuem com a cauda pintada de verde e vermelho.

Prosperidade socialista

Se o PS e a extrema-esquerda governassem o Saara, estávamos agora a discutir uma injecção de capital para o deserto poder importar areia.

Em qualquer País decente em que a comunicação social não estivesse arregimentada e os Tribunais funcionassem com plena isenção, a recompra da TAP e a venda do Novo Banco já tinha enviado alguns dirigentes socialistas, PM incluído, e os seus dilectos amigos, por exemplo o Lamerda Machado, perdão, Lacerda Machado, para os calabouços. E o PR que aparenta estar confortável numa posição que, com boa vontade, parece ser a de “primeiro corno”, já tinha sido, no minimo, repreendido pela sua passividade e pelo seu colaboracionismo ou cumplicidade.

Se a nossa perspectiva económica já é negra (não sei se ainda posso usar esta expressão), ser governados por estes trafulhas ineptos, é condenar este País à eterna indigência. A do País. Não a deles e a dos amigos.

Confesso que estou a ser injusto. Afinal sempre vamos ter as finais da Liga dos Campeões na capital do império.

Rebardamerda para quem vota nestes cabrões.

Isto é sobre a TAP, mas podia ser sobre outra coisa qualquer

Uma vez na Grécia, um estudante a quem eu disse – depois de saber que não se pagam propinas naquele país – que era privilegiado, respondeu-me o óbvio (que na verdade eu sabia, porque óbvio desde sempre para mim, mas usei mal a palavra) – «não é um privilégio, é um direito».

Mais nada! É só isto. Aplicado a tanta coisa, não apenas à educação. Ao trabalho e aos direitos dos trabalhadores. Aos serviços e aos direitos dos consumidores. À saúde e aos direitos de todos nós a ela. E por aí fora. [Read more…]

(mau) resultado da opção ideológica de Costa y sus muchachos

A factura, essa será paga pelos suspeitos do costume, os contribuintes…

Frasquilho & Lacerda: a geringonça oculta

A trituradora do Bloco Central, afinal, ainda funciona.

Um “polícia” na TAP

[Rui Naldinho]

Diogo Lacerda Machado | Foto: DN

Este governo achou por bem reverter aquele negócio ruinoso para os contribuintes portugueses, entre os muitos que a esquerda socrática e a direita passista nos brindaram ao longo de mais de uma década, a venda maioritária do capital da TAP. Esta decisão é quase tão importante para o cidadão, como o ordenado que recebe ao fim do mês, porque em última análise quem se lixa é sempre o mexilhão.

Contrariamente a muito boa gente, sempre admiti a privatização total da TAP, desde que o comprador assumisse por sua conta e risco todo o passivo da empresa. Ora, o que Passos Coelho fez, não foi nada disso. Vendo bem, se a coisa corresse de feição, a TAP era deles, se a coisa corresse mal, a TAP continuava nossa. Porque quem avalizaria perante a banca todos aqueles créditos, era o Estado. Negócios destes é o que por aí há mais. “Lucros privados e passivos públicos!” [Read more…]

É por isso que gosto de futebol

O único sector em que os operários ganham mais do que os administradores

May Day

img_5057

Retiram-se voos aos aeroportos de Porto e Faro para os concentrar em Lisboa. Estoura-se artificialmente a capacidade do aeroporto da capital, para depois vir afirmar que é preciso fazer um novo.

Este assunto deveria ser mais debatido, para ninguém ficar a pensar que estamos de regresso à corrupção do cimento.

Enquanto Rui Moreira anda a brincar aos aviões, o Museu das Marionetas do Porto vai fechar


Pois é, o Museu das Marionetas do Porto, como o conhecemos, vai fechar na rua das Flores. Depois de um investimento brutal da companhia no restauro de um prédio do centro histórico, numa rua que na altura não era chique, o sonho sonhado por João Paulo Seara Cardoso desaparece porque os novos proprietários decidiram um novo destino para o edifício. Não sei qual será esse destino, mas não me admirava que fosse o mesmo que aqui há atrasado a Daniela Major abordou relativamente a Lisboa.
E no entanto, não teria sido preciso assim tanto para dar um fim diferente a esta história. O Museu das Marionetas até tinha direito de preferência na aquisição do prédio. Teria bastado um bocadinho de vontade política.
Mas essa, sabemos por onde anda. Enquanto o Museu das Marionetas é desalojado, o Presidente da Câmara do Porto anda entretido a brincar aos aviões e a publicar livros sobre o assunto. É que há muita gente a andar de avião e não tanta assim a ir às marionetas. A TAP dá muitos votos e Rui Moreira já se arvora em representante de todos os nortenhos. Uma ampla região que vai desde os galos de Barcelos até, quem sabe, às salsichas frescas de Vigo.
O Fredo Brilhantina, que podem ver no vídeo aqui em cima, é que a sabia toda.

Regulador chumba negociata de Passos Coelho

PPC ANAC

É caso para dizer que o tiro lhes saiu pela culatra. O governo PSD/CDS-PP nomeou os mãos-largas que promoveram aumentos na ordem dos 150% na direcção da Autoridade Nacional da Aviação Civil (ANAC) mas a entidade acabou por não optar pelo colaboracionismo que eventualmente seria de esperar. Isto porque a ANAC emitiu um parecer negativo relativamente à operação de privatização da TAP, feita em cima do joelho durante a curta vigência do governo de gestão de Pedro Passos Coelho. Vai daí impôs um conjunto de medidas cautelares que colocam limitações à actual gestão, até que o novo processo de venda do actual governo esteja concluída. [Read more…]

TAP, passa-te ao caralho!

Quem é que precisa da TAP para o que quer que seja?

TAP uma sociedade a 50% em que ninguém manda

foto@expresso

foto@expresso

O Estado, conforme o negócio político feito entre o PS, BE e PCP que sustenta o actual governo, voltou a ter 50 por cento da TAP, sendo que a gestão da empresa vai continuar a ser efectuada pelo consórcio Atlantic Gateway.

Esta reversão do negócio polémico feito pelo anterior governo, no final da legislatura, vai custar agora quase dois milhões de euros .

Mas este negócio pode vir a tornar-se ruinoso porque a factura a pagar nos próximos anos pode vir a ser muito pesada, podendo vir a custar muitos milhões de euros ao País.

A isto acresce ainda que estamos agora numa sociedade a 50% em ninguém manda!

O BE, mas sobretudo o PCP, não aprovam o negócio por razões político/ideológicas, que pode vir a ter repercussões ao nível da CGTP. Por outro lado Passos Coelho pede esclarecimentos.

Agora a palavra é de António Costa e do seu governo.

Um dia mau para a corte do capitalismo selvagem

TAP

Durante meses, anos, o ministério da propaganda da direita liberal tentou convencer a opinião pública de que nenhum investidor estaria interessado numa posição minoritária na TAP. Essa mentira caiu hoje com a assinatura de um memorando de entendimento entre o governo e o consórcio David Neeleman/Humberto Pedrosa, que devolveu o controlo maioritário da empresa ao Estado português, que detém agora 50% do capital da empresa, ficando o consórcio Atlantic Gateway com 45% e a comissão de trabalhadores da transportadora aérea com 5%, tal como está previsto na lei-quadro das privatizações. [Read more…]

Efectivamente, bem tapados

Life goes on. It always does, until it doesn’t.

—Victor Ziegler (Eyes Wide Shut, 1999)

***

De facto, o autor destas linhas é uma das muitas pessoas directamente afectadas — sou do Porto e moro em Bruxelas, logo, a secção «a TAP suspende os voos entre o Porto e Barcelona, Milão, Bruxelas e Roma» preocupa-me deveras. Alguém tem andado de olhos bem tapados.

Contudo, por ora, deixando essa secção para outra oportunidade ou para outrem, concentremo-nos nesta ocorrência muito frequente no sítio do costume: contatar.

Exactamente:

A TAP vai contatar

Efectivamente, bem tapados.

a tap vai contatar

Cuidado com os bolsos… II

BV António Costa numa atitude arrogante de quero, posso e mando, afirmou que a vontade do governo irá prevalecer, indiferente aos interesses dos particulares que legitimamente adquiriram a TAP. Assim de repente, eliminadas que foram as golden-share, quer-me parecer que só pode estar a ameaçar com a nacionalização da empresa, esquecendo que as regras comunitárias impedem a capitalização estatal da empresa, os actuais accionistas já investiram no pressuposto que detêm o controlo accionista, pelo que reverter o processo implicará forçosamente pesadas indemnizações. Pela via negocial o facto do governo PS estar refém da frente de esquerda, fragiliza-o nas negociações. De uma ou outra forma o elefante branco irá continuar a sair bem caro aos contribuintes…

Cuidado com os bolsos…

BV Em 2000 um governo socialista presidido por António Guterres, do qual fazia parte o actual Primeiro-Ministro aprovou em Conselho de Ministros a venda da TAP. O processo havia sido iniciado no governo anterior, o primeiro de António Guterres, processo conduzido pelo então ministro do equipamento João Cravinho. Sucessivos governos liderados por Durão Barroso, Santana Lopes, José Sócrates mantiveram a intenção que por diversas razões não conseguiram finalizar até que o anterior de Passos Coelho já em fim de mandato, na que foi talvez uma das suas melhores decisões políticas, consumou a venda. Foi ainda pela mão do governo PS que a companhia aérea contratou Fernando Pinto, um gestor contratado no Brasil auferindo salários muito acima da média nacional, com a intenção de restruturar e valorizar a empresa. [Read more…]

Um governo, uma maioria, 3 embustes

Passos Portas

No programa Eixo do Mal (SIC Notícias) do passado Sábado, Pedro Marques Lopes sintetizou aqueles que considera serem os 3 grandes embustes do governo Passos/Portas. Poderiam ser muitos mais argumentará o caro leitor. E argumenta muito bem. Mas esta selecção ilustra na quase perfeição aquilo que foi a governação PSD/CDS-PP. Senão vejamos:

Embuste nº 1: A devolução da Sobretaxa

Na verdade, são dois embustes num só:

  1. Não há nem nunca houve sequer intenção de devolver o que quer que fosse. Devolução aconteceria se nos fossem efectivamente devolvidos os valores cobrados pela máquina fiscal deste o início da vigência deste imposto extraordinário. A utilização da palavra “devolução” mais não foi do que um dos inúmeros truques semânticos orquestrados pela máquina de comunicação do PSD/CDS-PP para enganar os portugueses e obter o seu voto.
  2. O conto para crianças da devolução da sobretaxa é, desde o início, um esquema eleitoralista concebido para aldrabar os portugueses, um clássico desta pandilha que remonta a 2011, quando Pedro Passos Coelho garantiu aos portugueses não aumentar impostos ou não vender património do Estado “como quem vende os anéis para ir buscar dinheiro”, e que se repetiu em 2015 quando, já na recta final da campanha, fontes do governo asseguravam uma devolução de 35% da sobretaxa do IRS. Passadas poucas semanas do acto eleitoral, todas as previsões apontam para uma devolução na casa dos 0%. Surpresa? Nada disso, quem não engoliu a propaganda eleitoral do governo já sabia onde isto ia parar. Ou achará o caro leitor que alguém como Luís Marques Mendes roía a corda da forma como o fez no Domingo passado?

[Read more…]

Mais uma alegoria para a venda da TAP

Vou vender-lhe o meu carro mas sou, simultaneamente, o fiador da sua compra.  Faço-o para deixar de ter problemas com o carro. Descanso, finalmente. Ou não.

Venda da TAP: lucro máximo, risco nulo

Imagine o seguinte negócio. Você tenciona comprar uma bela mansão com um problema nas caleiras mas com luxuosos e numerosos quartos. Precisará de investir algum dinheiro e de resolver um problema num anexo que o anterior dono comprara à toa, mas, no geral, o potencial de turismo de habitação dá-lhe boas perspectivas de lucro. Aliás, não fora o raio do anexo e nem o anterior dono precisaria de vender. Acontece que as suas posses financeiras não são propriamente as de Abramovich e precisará de recorrer à banca para fazer o negócio. Para complicar, o anterior dono já tinha feito uma hipoteca à mansão e a banca só aceitará a mudança de dono caso você lhe indique um fiador. Apesar destas condicionantes, você conseguiu convencer um parente com vastos recursos a ser fiador e levou o negócio a bom termo. E o arranjo global até é animador. Se o negócio der lucro, você paga à banca e amealha o que sobrar. Por outro lado, se algo correr mal, você deixa de pagar a mensalidade da mansão e o fiador entra em despesas por sua causa. Lucro máximo para si, com risco nulo.

Que tal lhe parece este negócio? Interessante, não acha? Excepto para o fiador, claro.

image

Agora troque, no anterior negócio, a mansão pela TAP, o Consórcio Azul toma o seu lugar, o anexo é a Varig Engenharia e Manutenção e o fiador é o Estado. As caleiras representam os problemas estruturais e a banca é mesmo a banca. Já está? Pronto, fica explicada a venda da TAP, feita pelo governo PSD/CDS. Com uma nuance: no negócio da venda da mansão era claro que seria você quem nela iria mandar, enquanto que na venda da TAP continuamos sem saber quem terá o controlo da empresa.

[Read more…]

Os estranhos negócios do Estado.

 

logonovobanco

Esta é a nossa triste sina. Foi o ruinoso negócio do Banco Português de Negócios. Foi a ruinosa venda da maioria do capital da TAP. Foi o mau negócio da concessão da Carris e do Metro de Lisboa. É o duvidoso processo de concessão do Metro do Porto e dos STCP. Agora estamos a caminhar a passos largos para um novo ruinoso negócio com a venda do Novo Banco.

logotipo_tap03-905x500

É assim tão difícil para os governantes perceberem que cada dia que passa as empresas de capitais públicos que estão em processos de concessão, privatização ou venda inevitavelmente acumulam prejuízos contínuos desvalorizando-se como flechas.

365-banca-bpn-6b54

Por isso, se é mesmo para privatizar, quanto mais rapidamente forem concretizados os negócios menores serão sempre os prejuízos para o Estado.

A quem interessa a desvalorização rápida destas empresas públicas ? Com toda a certeza que não é aos portugueses.

E quem vai pagar os prejuízos dos consecutivos negócios ruinosos feitos pelos nossos governantes?

O truque da venda da TAP

Mário Amorim Lopes fez um post cheio de números e gráficos – números e gráficos dão um ar sério a qualquer post – sobre a TAP. E jurou a pés juntos que se iria flagelar se, com esta privatização, dívida da TAP passasse para o estado.

Está na hora de o fazer e até pode usar a sugestão da imagem.

Victor Baptista, economia e ex-deputado do PS, é assim que ele assina, fez uma coisa que qualquer um pode fazer quanto a números, qualquer um é um exagero porque aquilo é intragável, e olhou para o último Relatório e Contas da TAP, o de 2014.

[Read more…]

A venda da TAP e um criminoso chamado Pedro Passos Coelho

Crime PPC

Fotomontagem@Uma Página Numa Rede Social

Muito se tem discutido a privatização da TAP. Na arena ideológica, a contenda divide-se essencialmente entre três facções: a direita ultraliberal, sedenta por privatizar todo o país excepto, por enquanto, o solo, o oxigénio e a ZEE (sublinhe-se o “por enquanto”), a esquerda mesmo esquerda, que se opõe ferozmente a esta e a qualquer outra privatização e o PS, que igual a si mesmo se limita a fazer campanha eleitoral, actividade que neste momento passa por ser contra a privatização, apesar de um passado privatizador altamente prejudicial ao país que tenta, sem sucesso, branquear.

[Read more…]

Vomitódromo

Dezenas de passageiros protestam contra privatização da TAP em voo da companhia entre Bruxelas e o Porto. Nos sacos de enjoo, escreveram “A privatização da TAP dá-me vómitos”.

De olhos bem tapados

11 Jun 2015, São Paulo, Brazil --- A TAP plane departs Guarulhos international airport in Sao Paulo, Brazil, June 11, 2015. A consortium led by American-Brazilian investor David Neeleman will take control of indebted Portuguese state airline TAP, ending a drawn-out sales process that has faced strong opposition from many unions. REUTERS/Paulo Whitaker --- Image by © PAULO WHITAKER/Reuters/Corbis

© PAULO WHITAKER/Reuters/Corbis (http://bit.ly/1cYx1qt)

Nicolau Santos pergunta se faz sentido o Estado português vender “parte da posição acionista” da TAP “a um banco público brasileiro, ou seja, ao Estado brasileiro”. Creio que sim. Se fosse ‘accionista‘, teríamos outra conversa. Sendo ‘acionista‘, obviamente, o Brasil é o destino mais indicado.

Por falar em Brasil, sempre que leio o Diário da República, lembro-me do Diário Oficial da União. Porquê? Por causa das coisas que acontecem no sítio do costume. Hoje, temos mais do mesmo.

dre 16062015

Citações do Bloco Central

“A questão essencial é se o capital é credível, sustentável e se está em linha com os interesses fundamentais do Estado português”.

António Vitorino, 20 de Dezembro de 2014, a propósito da privatização da TAP.

“Pândegos”

Marques Mendes referindo-se ao ministro Pires de Lima e ao secretário de estado Sérgio Monteiro em 13 de Junho de 2015, a propósito da privatização da TAP.

«A operação (de venda da TAP) movimentou muitos assessores, incluindo dois advogados com influência na política e que intervieram activamente: Marques Mendes, da Abreu Advogados, estava com Efromovich;  António Vitorino, da Cuatrecasas, com Neeleman. A proposta que venceu foi a apoiada pela Cuatrecasas».

Jornal Expresso

Novos donos da TAP vendem aviões para financiar negócio

Paulo Pereira

11406230_844258205658013_8474422427259914047_o

Notícia no JN.

TAP, Transporte Aéreo Privado

Qual é a situação financeira da TAP? A resposta depende de quem a dá, se for da parte do governo e companhia da direita, a TAP só ainda não se sumiu num buraco negro de prejuízos porque eles estão a dar-lhe asas com esta privatização. E no entanto, há quem esteja disposto a comprar este prejuízo, ainda dizem que só existe ganância no mundo dos negócios. Por outro lado, se a resposta vier da parte da oposição ou do PS, a situação da TAP é um idílio. Apesar de a empresa precisar de uma injecção de capital.

Se fosse pública  a avaliação da empresa que, imaginamos nós na boa fé, o governo fez para conduzir à venda da empresa, poderíamos ajuizar com maior segurança sobre o assunto. Como ainda está para nascer a primeira galinha com dentes, vamos andado no domínio da opinião, baseada em fragmentos de informação seleccionada, logo parcial por natureza. Existem os relatórios e contas da empresa, documentos opacos e nem sempre reflectindo a situação real  – basta lembrarmos-nos de recentes estrelas cadentes como o BES e PT. Fazem-se, também, muitas contas de merceeiro para ilustrar um ponto de vista mas, selectivamente, omitem-se parcelas.

tap-resultados-liquidos

[Read more…]

Pode chamar-se deficiente mental a um idiota?

o idiota

Um idiota entende que dar empresas que dão lucro ao invés de nelas investir é um bom negócio para o estado. Dar a um profissional das rendas do estado e a um tipo que só se chateia quando os aviões caem porque isso lhe dá prejuízo, ambos unidos porque sabem que a TAP é uma das melhores empresas aéreas do mundo e nem que seja a vender o seu património irão obter chorudos lucros, deduzidas as despesas com os advogados e outros intermediários políticos.

De resto o idiota entende que o estado não deve ter empresas lucrativas, os seus rendimentos devem-se limitar aos impostos e os impostos devem ser reduzidos ao mínimo até que o estado se reduza ao mínimo que lhe interessa; garantir a segurança da propriedade privada, enquanto não consegue privatizar a própria polícia e já agora os tribunais. O idiota sonha com um regresso ao paleolítico na organização social e o prosseguimento do capitalismo no sistema económico, uma espécie de Stonehenge em forma de offshore.

Podemos chamar-lhe deficiente mental? não, porque os deficientes mentais são doentes, e ninguém é responsável pelas doenças que tem. Já o idiota tenta imitar o doente mental, incluindo as alucinações com unicórnios e as delírios ao deus mercado, por sua livre e espontânea vontade. É do seu livre arbítrio. Um idiota é apenas um idiota, ponto final.

Fotografia: Vidigueira, 2010.