Delfina Barata

ISTAMBUL – A esposa do homem-bomba que matou sete funcionários da Agência Central de Inteligência (CIA) no Afeganistão afirmou hoje estar orgulhosa do marido. “Eu não tenho vergonha. Ele fez isso contra a ocupação americana (no Afeganistão)”, disse a turca Defne Bayrak aos repórteres em Istambul, onde ela vive.

 Se os americanos invadissem Portugal e começassem a dar cabo desta merda toda, Como fizeram no Iraque e continuam a fazer no Afeganistão, matando a torto e a direito, velhos, mulheres e crianças, e a Delfina Barata, mulher do marido Zé António que amarrasse à cintura quatro garrafas de tintol cheias de explosivos e limpasse o sebo a sete agentes da CIA, e dissesse que estava orgulhosa do marido, o que responderíamos nós?

Comments

  1. xico says:

    Os ingleses, a coberto de Pedro IV, invadiram Portugal e impuseram o seu dictat.
    No Portugal politicamente correcto de hoje é impossível pronunciarmos contrariamente a isso. Até fazemos festas e ensinamos às criancinhas que isso é que foi o correcto e o Miguel um crápula de primeira.

  2. Carlos Loures says:

    A tua pergunta final é retórica – a resposta óbvia é «os patriotas, dar-lhe-iam razão; os que estivessem feitos com o invasor diriam estar horrorizados. Não concordo com os métodos da ETA; mas eles é que estão a ser ocupados, humilhados, aculturados.

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.