É a privatização do ensino, pois é

O Público desvenda hoje o fascinante mundo da privatização dos edifícios escolares.

No que parecia ser uma medida correcta do governo em termos de investimento público, renovar as instalações escolares, já sabíamos pelo Tiago Mota Saraiva e pelo Paulo Guinote que nem tudo ia bem: obras mal inspeccionadas, contratação de gabinetes de arquitectura e das grandes empresas de construção civil em moldes no mínimo suspeitos.

Agora descobre-se que a Parque Escolar ficará proprietária dos edifícios onde interveio, e que assim poderá vender os terrenos “excedentários”, normalmente localizados em locais bem apetecíveis para a especulação imobiliária.

Melhor ainda: o aluguer dos espaços escolares, uma das poucas fontes de auto-financiamento das escolas, reverterá em 50% para a Parque Escolar.

Sobre a qualidade das intervenções, quando

Na D. Pedro V pagaram, em Dezembro, seis vezes mais do que em igual período do ano passado. De 600 euros a factura de electricidade passou para mais de três mil.

pergunta-se como, já que a ideia era precisamente a inversa, isolar os edifícios de molde a baixar os custos de aquecimento.

É a privatização do ensino em marcha, no que toca aos edifícios, que quanto ao resto Maria de Lurdes Rodrigues lançou o tratamento de choque que o irá justificar politicamente.

No mesmo Público Rui Tavares escreve que Sócrates é do centro-esquerda. Boa piada.

Comments

  1. Luis Moreira says:

    Pois é, estes gajos saíram-me uns grandes socialistas.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.