O dia seguinte

“a mudança só vai acontecer se participarmos nas nossas comunidades locais”

O dia seguinte é sempre o mais dificil, porque é sempre mais fácil demonstrar descontentamento do que perceber qual o novo rumo a tomar, mas isso não invalida que a manifestação de ontem fosse importante e tenha sido um sucesso.

Importante porque faz sentido mostrar o desconforto e descontentamento com o mundo? o país? a cidade? as empresas? as pessoas?
Sucesso porque acho que ninguém esperaria 50.000 pessoas (numeros da PSP) numa manifestação no Porto sem ter que recorrer à angariação organizada de pessoas que normalmente os partidos e sindicatos fazem.

E agora o que fazer? Manter a ressaca? Vai continuar tudo na mesma?
Certamente que se continuarmos a fazer tudo igual, não podemos esperar resultados diferentes.

É nestas alturas que acho que cada vez mais faz sentido o slogan apropriado pelos ambientalistas de “Think Global, Act Local“.
Vivemos há muitos anos num regime que funciona de cima para baixo. Desleixamo-nos, tomamos o caminho mais fácil ao deixar que umas miseras eleições de 4 em 4 anos definissem tanta coisa na nossa realidade.

Por isso é que me parece que a mudança só vai acontecer se participarmos (mais) nas nossas comunidades locais ou comunidades de interesse, só assim vamos começar a criar as redes que nos permitem mudar a nossa realidade local e ganhar visibilidade para mudar ou induzir a mudança de outros actores regionais e nacionais.

Há muito por fazer e cada um de nós individualmente não tem que fazer isso tudo… mas tem que fazer alguma coisa.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.