O ouro para o privado

Passos Coelho abriu a boca e, como quase sempre, saiu asneira.

Ou talvez não – reparem que os do costume aproveitam a onda para ver se apanham peixe, que é como quem diz, os famosos liberais, tão amigos do privado atrás do dinheiro fácil que uma renda de serviço público possa garantir.

Se a ideia absurda das escolas públicas passarem a ter uma gestão privada fizer algum tipo de caminho, sugiro então que os liberais de ocasião comecem por pegar apenas nas Escolas TEIP. Se são assim tão bons e se a gestão privada é tão competente, então deverá ficar com as escolas mais complicadas para as melhorar, certo?

E só mais uma coisinha, um pequeno detalhe – não podem escolher alunos, ok? Ficam com o peixe que aparecer, pode ser?

Santa estupidez!

 

Comments


  1. A pouca vergonha não tem limites. Pareceu-me ouvir por aí que o Estado está exaurido e que não há dinheiro para nada. E que a culpa era também das PPPs de Sócrates, das rendas excessivas e demais luxos acima das nossas possibilidades. Pelos vistos ainda sobram umas migalhas para pagar o lucro de mais umas PPPs agora na Educação. Migalhas essas que, provavelmente, vêm do ligeiríssimo aumento de impostos do próximo ano.
    Mas não há maneira de correr com eles?

  2. maria celeste d'oliveira ramos says:

    Tem de haver ficando na rua aqueles 2 milhões de pessoas mas que também se cansam e perdem os dias em que não trabalham-deviam fazer manif nos feriados e sábados e domingos e entupir todas as ruas de todas as cidades todos os dias – agora é que nã se pode parar

  3. João says:

    manobras e contramanobra que o governo em conjunto com o CRUP realizaram para cortar no ensino superior e ser o ensino secundario a cobrir todos estes cortes! As universidades verão o seu orçamento cortado em 25% daquilo que o governo primeiro propôs, sendo o ensino obrigatorio a cobrir os restantes 75%! Os reitores das universidade publicas vieram primeiramente para a rua dizer “chega” (em manobra com o governo), o min da educaçao cede e o corte é reduzido! Os reitores ficam bem vistos aos olhos de grande percentagem dos estudantes inconscientes que este país têm e aplaudem todo o acto do governo de recuar na sua medida, recusando-se a dizer uma palavra sobre aqueles que terão de suportar todo este recuo – Estudantes!

Trackbacks


  1. […] claro que, entretanto, há entidades privadas a salivar por poderem deitar a mão à gestão das escolas, desde que o Estado as sustente: tendo em conta que, por exemplo, no sector privado, qualquer […]

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.