Os nossos velhos passam fome

idosos fome
Embora tivesse consciênca de que isto acontece, sei que há idosos que já não compram medicamentos porque não os podem pagar e não se alimentam convenientemente porque não encontram forma de se sustentar, a realidade parece mais cruelmente real quando me atinge de frente. Há dias disse-me alguém, uma médica que trabalha num hospital, que são cada vez mais os casos de idosos que aparecem nas urgências com uma maleita que mais não é do que FOME. Aparecem, queixam-se de uma qualquer dor, de um qualquer achaque e, quando esta médica lhes pergunta se comeram, a resposta é um não. Ou um encolher de ombros, um baixar dos olhos envergonhados. Logo ali se percebe que aqueles pessoas vão ao hospital na esperança de lá poderem comer qualquer coisa. Alguns insistem mesmo em ser internados.
Pela terceira vez em cerca de ano e meio socorri pessoas caídas nas ruas.
A primeira foi uma idosa que ainda vi a tentar agarrar-se a um portão. Desfaleceu nos meus braços. Segurei-a, acabei por chamar o 112 e lá vieram buscar a senhora. Soube, enquanto esperava pela assistência, que essa senhora, já idosa, tinha uma doença grave e talvez fosse essa a razão do seu desmaio.
O segundo, encontrei há cerca de dois meses caído no passeio, mesmo na minha rua. Talvez não fosse muito mais velho do que eu, mas era difícil dizer a sua idade dado o estado em que se encontrava. Várias pessoas passaram por ele. Ninguém parou. Ninguém se apiedou. Eu não pude ignorar aquele corpo inerte ali caído num passeio. tentei tocar-lhe, apesar do cheiro nauseabundo que dele emanava. Abanei-o, mas não deu sinal de vida. Mais uma vez, chamei o 112 e mais uma vez, tive que ser eu a esperar a chegada da ambulância. Afinal, já era conhecido. Um caso de alcoolemia.
A terceira aconteceu hoje numa rua do Porto. Mais uma idosa caída no chão. Mais uma vez, ainda a vi cair. Esta não consegui segurar. Mais uma vez, chamei o 112. Mais uma vez, tive que ser eu a esperar a chegada da ambulância porque toda a gente tem sempre alguma coisa que fazer. E eu que tinha um compromisso, mais uma vez me atrasei.
Esperei a chegada do Inem e, quando acordaram a senhora, fui atingida por um violentíssimo murro no estômago. Perguntaram-lhe se tinha algum problema de saúde. Perguntaram-lhe quando tinha comido pela última vez. «Ontem» foi a resposta. Era quase meio da tarde. Sei que é uma senhora muito idosa, com as ideias ainda baralhadas pelo desmaio. Mas também sei o que observei enquanto estava com ela. Sinceramente, ainda antes de ouvir a resposta, já tinha desconfiado que poderia ser um desmaio provocado por falta de alimento. Tudo nela me deu a ideia de se tratar de uma pessoa muito humilde. Não sei sequer se terá sítio onde viver. Roupas muito desgastadas e algo sujas, sapatos descolados, ar sofredor, carregava uma saca plástica cujo conteúdo obviamente não inspeccionei, mas pareceu-me tratar-se de roupa. Podia ser uma das minhas avós.
Podia ser avó de qualquer um de nós. É certamente uma avó, mesmo que não tenha netos biológicos.
Enquanto esperava a ambulância com ela, sentei-me no chão e segurei-lhe a cabeça nos joelhos. Acariciei aqueles cabelos brancos como se ela fosse realmente a minha avó. Compadeci-me daquela senhora e envergonho-me disso. Não me devia compadecer de uma pessoa que nunca devia ter perdido a dignidade. Uma pessoa que, quanto mais não seja, pela sua idade, nos deveria merecer todo o respeito. Devia ser tratada com toda a deferência que nos merecem os mais experientes que sempre carregam em si experiências de vida e ensinamentos valiosos. Ela não precisa da minha compaixão. Por tudo o que aqueles cabelos brancos e aquelas rugas representam, por toda a vida já vivida, aquela avozinha merece tão-somente o meu respeito.
Sei que não voltarei a vê-la. Espero não voltar a vê-la. Se isso acontecer, envergonhar-me-ei mais uma vez e quererei enfiar-me no primeiro buraco que apareça.
P.S.: A foto que ilustra este post foi surripiada daqui

Comments

  1. balde-de-cal says:

    a grande porra é a dívida e os juros da mesma.
    aos 81 faço as compras do mais barato e as refeições.
    chego ao fim com um máximo de 10 euros por causa da falta de saúde
    3 vindas do FMI é demais

  2. Dentro de dez anos seremos o povo mais esbelto do mundo, sem pinta de gordura, as nossas curvas serão elogiadas na secção de moda do Economist. bfds

  3. MAGRIÇO says:

    Que interessa isso? O que interessa é agradar a Merkel e sermos elogiados pela “coragem” com que matamos de fome os nossos compatriotas.

  4. Os velhos passam fome devido aos 15 anos de delapidação socialista. E que solução têm os senhores?

  5. Amadeu says:

    O abandono em que alguns nossos idosos estão votados é humilhante para todos nós.
    Adorei o seu post. Chorei sem lágrimas.

  6. Urge a mudança. Mas a principal é a nossa atitude. Não consigo entender como é possível passar-se ao lado de alguém caído no chão e seguir-se em frente.

    Resta-me constatar que a agenda do empobrecimento dos valores humano está a ter sucesso.,

  7. maria celeste d'oliveira ramos says:

    Quem come tanto dinheiro ?? o EIS ministros ?? Os eis-deputados que estiveram da AR a arranjar pensão vitalicia – reorma total, só com 5 anos de trabalho (ou a dormir) sair para o seu escritório ? os eis ministros que jogam golf ?? os responsávies de Obras Públicas que as derrapam 100 vezes ?? as Fundações tipo Soares ?? Os “tipo” João Jardim da Madeira ?? os presidentes de CM cheios de vereadores e acessores e topos de gama e cartões de crédito a comer porco de pata preta e com subs+idios de natal e férias ?? os banqueiros que dividem os “despojos” ??? O camarários que fazem rotundas país fora e a do marquês que é uma merda inúrtil ?? os deputados de bruxelas e de Lisboa e madeira que sacam tudo o que podem ?? os eis ministros e eis deputados ?? Os que acumullam 3 ou 4 ou mais pensões reforma como Cavaco ?? os toureiros que têm reformas depois da sua profissão sanguinária ??quantas reformas tem quem se eu só tenho uma ?? e pouca e IRS sempre a subir a comprar tudo com IVA sempre a subir ?? Mas o que faz a AR ?? que discutem merdices com aquele ar sério de grandes senhores – quem como o dinheiro que não sobra para dar de comer a crianças na escola e a velhos ?? as Festas de Natal de João Jardim ?? Para que serve a AR ? que ordenados se pagam aos EDP e Edifer e todos os parasitas ?? Os que viajam de borla todas as semanas de bruxelas a Lisboa e vão à TV falar em misérias que eles provocam ?? os que fazem agrupamentos de escolas e de tribunais e têm casa de borla – quem come o dinheiro dos que menos têm e não cortam em nada a que se acham com todos os direitos mas como Angelo Correia diz que não há direitos adquiridos ?? e que dão subsídios a todas as lusófonas e fundações ?? Os meninos das propinas de borla e tiram um cursuseco de borla sem pagar propinas mas pago eu para tudo isto ?? que me sacam até ao osso ?? Quem saca o dinheiro de quem trabalha ?? quantos são os inúteis ??

  8. sarahadamopoulos says:

    Enquanto uma só pessoa que seja passar mal, tiver fome, não tiver casa, não puder tratar-se, não puder ir à escola, etc, temos o dever de combater este Governo e todos os que contribuirem com as suas acções e/ou indiferença para a miséria dos povos. Podemos começar a processar o Estado por negligência e atentado à dignidade humana – afinal isto ainda é a Europa não?

  9. Luís says:

    Cara Noemia Pinto,

    Com o devido respeito aquilo que descreve no seu post é miséria e como sabe não há miséria em Portugal.
    Disse-o a Jonet, pessoa muito apegada ao governo e que percebe destas podas.
    Miséria, miséria, diz a Jonet, é na Grecia!!!!
    Aqui em Portugal há fome porque as pessoas se habituaram a comer bifes – que comam outra coisa, não sejam esquisitos!

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.