O disparate não limites, mas a paciência tem

Sinceramente, espero que um dia destes haja limite para a benevolência. Fomos nós que deixámos estes rapazes passearem as calças bege mais os sapatos de vela e os penteados à fosga-se pelo nosso país fora. O problema é que subiram ao palco e a plateia não pode fugir, porque as saídas de emergência são apertadas. Mas pode atirar-lhe tomates e calá-los, que ninguém merece ouvir tanta asneira junta.

Então hoje é isto: “Novo líder da JSD quer acabar com saúde e educação gratuita para todos”.

E enquanto deixarmos, continuará a ser isto!

Comments

  1. João Paz says:

    Eles não querem que nós lhes digamos que só passa a pagar quem já não o pode fazer ou seja haverá mais mortes e mais pessoas doentes, mais incultos e menos pessoas com formação académica.
    E, convém não esquecer, que onde esta “receita” é aplicada o estado (todos nós que pagamos impostos) gasta MUITO MAIS do que num sistema público e SERVE MUITO MENOS GENTE.
    Ou seja só meia dúzia de barões (ou menos de meia dúzia) saiem a ganhar deste “festim”.

  2. nightwishpt says:

    E eu quero acabar com a vida dele, e agora?

    Os portugueses sabem bem que não é de borla, não sei o que mais um filho da puta está a falar.


  3. Hipócrita é o yuppie de serviço, por estar a propor algo que já se passa no Ensino Superior, que já tem dos valores mais altos de propinas da Europa (http://www.dn.pt/inicio/portugal/interior.aspx?content_id=1356399): quem tem dinheiro frequenta, quem não tem não frequenta. A palavra solidariedade, que se processa via fiscal (ou devia processar, não fossem os offshores e as contas na Suíça) é estranha a essas iluminarias jotistas, testas de ferra de um Portugal cinzento de outros tempos que pretendem à força retirar do caixote do lixo da História para onde foi atirado no 25 de Abril.


  4. …e a paciência está a começar a esgotar-se dentro do próprio PSD. Assiste-se a movimentações mais ou menos tímidas e a um reavivar do programa do PSD.

    Pacheco Pereira nunca o escondeu. Outros se lhe juntam, entre os quais Morais Sarmento.

    Mais do que a manutenção de mordomias e de poder a prazo, eis que vozes mais inteligentes se começam a levantar.

    E se isto acontecer, se a queda do governo começar pelo próprio PSD que sente que já chega de indigência e ignorância, perde-se uma boa oportunidade de serem os cidadãos deste país a abrir a porta de saída a quem está no poder.

    Vamos pois assistindo às movimentações. Enfim, tudo o que vier à rede é peixe. Assim sendo, antes que o país se torne ingovernável, venham de lá os sociais-democratas e o reviver de Sá Carneiro…..


  5. …desde que removam estes JSDs, este 1º de Massamá e aqueloutro das olheiras em excel que afirma que é a gratidão pela educação que a pátria lhe deu que o move a este patriotismo austero e purgador (daí o estarmos a começar a comer as ervas dos jardins públicos, que alimentam e resolvem o trato intestinal, diminuindo assim o recorrer ao SNS e ajudando à manutenção dos ditos espaços verdes….bom, já me perdi….porque sempre é mais barato do que comer bifes e mais verdejante….ou isso….), enfim, já não é mau de todo.


  6. Perante isto, o nº 3 ou nº 2 do governo, vem jurar que não esperem tanta compreensão pela situação no próximo orçamento de 2014. O pessoal do CDS compreendeu e apoiou o orçamento para 2013. Na sala onde aconteceu esta reunião centrista, ao fundo, vê-se uma árvore de natal e um presépio (sendo que não posso garantir se o burro e a vaca lá estão a marcar presença). Os presentes abraçam-se e fazem-se ver. Presente-se um alívio pré-natalício no ar, um estridente silêncio que grita: ” Há que manter a situação” por mais uns tempos. Mas deixamos a porta entreaberta pois sabemos que isto vai dar o estoiro e temos de sair de cabeça erguida. Entretanto, organizemo-nos e preparemos o nosso futuro….

    A bem da Pátria! E com a consciência e dignidade que restam de ter sempre uma porta entreaberta…..e não há nada melhor para esta gente do que 1 porta entreaberta.


    • Enquanto continuarmos a mostrar a indignação só pelos blogs e conversas de café, que alguns pensam ter um efeito devastador, eles (o governo) continuam a destruir o país, o limite já á muito que foi ultrapassado, o que nos falta a todos é passar das palavras aos atos para pôr fim a isto, sair do sofá, neste caso do teclado. É uma chatice isto de viver num país de brandos costumes.

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.