Peste parlamentar

No mural do Rui Zink, descobri, em boa hora, uma ligação para mais um texto que ilustra as qualidades da classe política. Carlos Peixoto, deputado do PSD, resolveu brindar o povo com a sua opinião sobre o envelhecimento do país.

Usando de uma imagética elegantíssima, produz esta frase lapidar, mesmo ferida pelo uso deficiente da regência: “A nossa pátria foi contaminada com a já conhecida peste grisalha.”

Depois de debitar alguns números sobre o decréscimo da natalidade, mostra-se preocupado, quase revoltado, com a emigração, o que lhe poderá valer um processo disciplinar, uma vez que foi o próprio primeiro-ministro a aconselhar os portugueses a emigrarem.

É então que, poeticamente, passa a repetir, assustadoramente, o adjectivo “assustador”, recitando a ladainha das inevitabilidades, como bom vigário da igreja dos últimos dias do Estado Social, essa mentira inventada por quem não quer assumir a verdadeira origem da dívida pública. Como qualquer membro de uma seita fundamentalista, descobre hereges combustíveis nos funcionários públicos e nos portadores de cabelos brancos.

Peixoto pega na espada das soluções e defende o incremento da natalidade, incentivando os portugueses a procriar, que é a melhor maneira de parir crescimento económico.

Suficientemente ingénuo para merecer o reino dos céus e necessariamente hábil para ter merecido entrar no reino dos seus, o pobre Peixoto, talvez demasiado ansioso por querer povoar o país, esquece-se do efeito contraceptivo do empobrecimento decretado pelo governo que apoia.

Seria bom que algum amigo mais experiente, eventualmente encanecido, aconselhasse o deputado Peixoto a tomar consciência do seu problema. Tal como a ejaculação precoce já tem solução, para a estupidez precoce existe um tratamento preventivo: ficar calado. Mesmo um homem licenciado em licenciatura tem a possibilidade de aprender.

peixoto

Comments

  1. MAGRIÇO says:

    Só podia ser da turma do Relvas…


  2. O problema do “Licenciado em Licenciatura” é o resultado da existência de indivíduos do grupo “peste grisalha” a trabalhar nos serviços administrativos da Assembleia da República… Por isso é que o bacano não conseguiu estar calado e zás… Abriu a “tampa da sanita” e deu no que se leu, e se vai poder ver (espero) no canal parlamento! Foi pura vingança… Está farto de aturar grisalhos que só o gozam…


    • Creio que são os próprios deputados que preenchem estes dados e depois entregam ao funcionário que faz o registo. Assim sendo, é mesmo este trengo deste Peixoto que não sabe sequer preencher uma ficha.


      • Isso só o poderíamos afirmar se tivéssemos acesso à ficha manuscrita!
        Como o bacano é advogado (para variar) podemos excluir que se licenciou em Licenciatura! 😎
        A não ser que o tenha feito em regime de trabalhador-estudante, e concluído há pouco tempo!

    • mariajosecoradinho says:

      É muito triste estarmos a ser governados por crianças que não sabem nada da vida. Se soubessem trabalhar não tinham ido para políticos, porque assim sem preocupações têm o futuro garantido. Quando sairem de deputados ou ministros ou secretários de estado já têm outro tacho garantido, como se vê, sairam 6 secretários de estado e entraram 7, aqui estão os sacrifícios dos portugueses, logo um dos secretários com grande dignidade.
      M.José


  3. Está muito bom este texto.


  4. Toda esta obsessão com a demografia é ridícula. Todas as bestas doutoradas (ou, no caso deste atrasado mental, “licenciados em licenciatura”) partem do princípio de que o crescimento demográfico é estático e estável. Melhor dizendo: crêem na inevitabilidade dos fenómenos. Ora, como bem se tem visto nos últimos anos, o número de nascimentos e mortes tem variado e não é pouco. Se previram isto ou não, pouco me interessa. Tanto apregoaram que a imigração iria mudar as coisas, mas aqui na rua já voltaram praticamente todos para casa.
    Diminuição de nascimentos com o acentuar da crise (venha cá o Mota Amaral culpar o “hedonismo” da sociedade) e aumento das mortes (falta de aquecimentos no inverno, falta de dinheiro para pagar taxas moderadoras, doenças sazonais mais agressivas, entre outros) e a estupidez dos “académicos” que ignoram que temos uma autêntica mina de ouro demográfica, isto é, milhares e milhares de pessoas jovens (18-39 anos) que estão a sair do país ou a adiar planos de constituição ou aumento de família por culpa da situação económica, financeira e política vigente. Sim, Peixoto, o vosso alarmismo assusta as pessoas.
    Tal como na análise económica, não ter em consideração factores culturais e sociais e seguir apenas os números é um erro com consequências terríveis ao nível da decisão política.
    Posto isto, todo o artiguinho – sim, porque não passa disso – desse monte de esterco seboso laranja podre não passa de mais um (o “enésimo”) exercício de catastrofismo da escola Medina Carreira; também uma besta politiqueira no Japão – por politiqueiro entende-se um desses carreiristas que já foi tudo, desde Ministro a Presidente de um partido – andou a ladrar contra idosos adoentados. Típico paleio de deputado português: muita parra e pouca uva, isto é, muita conversa fiada e pouco ou nenhum rigor.
    Esta gente esquece-se de que o crescimento “à antiga” é, cada vez mais, impossível, porque os recursos são escassos, tal como a capacidade de investimento de todos os agentes económicos mundiais; o bolo tem agora de ser dividido por mais gente. E, no seguimento disto, que querem os padrecos da laia do Mota Amaral e do Peixoto, mesmo? Encher o país de gente que só terá como destino a miséria e a exclusão, por falta de condições do país? O tempo do “onde comem dois, comem três” já acabou, felizmente.
    Por fim, este cobarde e ignorante deste Peixoto já não deve ter pais, tios, avós e por aí fora, senão levava cachaço no focinho depois de ter escrito uma poia destas. Ou então, o “licenciado em licenciatura” é odiado pela família e não passa de um pária ressabiado e sem vergonha.

    Quanto à “peste grisalha”: só por esta merece umas duzentas bengaladas bem dadas naquele focinho nojento e seboso.

    P.S. – Um imbecil que é deputado de um partido cujo Governo eliminou dois feriados fundamentais para a Nacionalidade Portuguesa – o 5 de Outubro e o 1 de Dezembro – não tem qualquer legitimidade para falar em vida ou morte da Nacionalidade. Ah, e também não sabe contar, porque 1982 foi há TRINTA e não vinte anos. Também não sabe interpretar dados, porque há países bem piores em taxa de fecundidade, mesmo na Europa.


    • Já agora, um recado para a OCDE e para o Peixoto: não façam contas para 2050, porque farão figuras tristes. Já me chegam as “previsões” dos primeiros: falharam a ocorrência da crise financeira nos EUA, disseram que a Zona Euro estaria “na maior” em 2010 (por exemplo, que a Grécia já estaria a crescer em 2012) e que um país com metade da população licenciada é óptimo. Quanto à previsão de que em 2060 a China e a Índia “eclipsarão” o Ocidente: nem comento, dizendo apenas que em 1919 também se dizia que aquela tinha sido a guerra para pôr cobro a todas as regras.
      Repetir o mesmo raciocínio quanto a fenómenos inevitáveis que referi “supra”, em relação a previsões demográficas.
      Eu não sei se acertei, mas sei que eles erraram.

    • Bruno PAcheco says:

      muita bem!

  5. Fátima sousa says:

    Para um licenciado em Literatura(será isto que queria dizer??’!!!), precisa de umas aulas de Português…isto para não falar da pobreza( ideológica, semânica, lexical….) do restante discurso. Céus!

  6. Fátima sousa says:

    Se o homem é advogado, deveria ser licenciado em Direito…enfim…Só nódoas!

  7. Paulo Sarnada says:

    Bem, o erro nas habilitações do sr. deputado não é aceitável tratando-se do sítio da internet da Assembleia da República.
    A estirada linguística sobre a “peste grisalha” reverterá a favor do próprio. Daqui por uns anos será membro dessa peste se, entretanto, não “esticar o pernil”.
    Enfim mediocridades.


  8. Quanta pornografia!


    • É muito triste este País estar a ser governado por pessoas com pouca ou nenhuma credibilidade. Quem não sabe fazer nada vai para político, basta ter um amigo no poder para ter o futuro garantido. Agora sairam 6 secretários de estado entraram 7, isto é o sacrifício dos portugueses. Onde está a austeridade do lado do governo? As mordomias continuam, nada a tirar a quem nunca trabalhou. Só espero que tenham pouco tempo de luxura, mas não sei quem poderá fazer melhor depois de terem destruído tudo.


  9. Senhor Peixoto
    Alguns alimentos, como a banana ou o arroz, e alguns cereais também são eficazes para acabar com a diarreia.
    Estar calado ajuda as diarreias mentais. Dá resultado.


  10. Já em Dezembro de 2009, os Jornais “O Interior” (Guarda) e “O Herminio” (Gouveia), noticiavam as declarações feitas à Rádio Altitude, por Carlos Peixoto, sobre casamento entre pessoas do mesmo sexo. Dizia este “pensador da treta”: «Se estamos a admitir
    o casamento entre pessoas do mesmo sexo, então também podemos admitir, pelo
    mesmo principio, casamento entre pais e filhos, entre primos direitos e irmãos». O
    mesmo refere que «fica aberta a porta ao incesto».

Trackbacks


  1. […] da licenciatura em licenciatura, o deputado Carlos Peixoto é, agora, licenciado em Direito. De nada, senhor […]


  2. […] ou não, já me tinha cruzado com outro deputado do PSD licenciado em licenciatura. Fica a faltar um mestre em mestrado. Já existia um licenciado sem […]


  3. […] Na reetrée política do PSD, o senhorio do anexo que garantiu os deputados que permitiram a Pedro Passos Coelho afundar o país em precariedade afirmou que a coligação “não porá os portugueses uns contra os outros“. Talvez Paulo Portas ande distraído, nomeadamente no que diz respeito à escolha de Carlos Peixoto para cabeça-de-lista pelo distrito da Guarda, o tal que diagnosticou um Portugal “contaminado” pela “peste grisalha“. […]


  4. […] O deputado social-democrata Carlos Peixoto, eleito pelo distrito da Guarda, um dos mais envelhecidos do país, tornou-se viral com um célebre artigo de opinião no jornal I, entretanto desaparecido na neblina da internet, onde afirmava, entre outras tiradas insultuosas, que “A nossa pátria foi contaminada com a já conhecida peste grisalha.“. […]

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.