Para a história do racismo na pintura europeia

Albrecht Durer-Alberto Durero 1504

Albrecht Dürer, Adoração dos Reis Magos, a discriminar desde o século XV.

Parada e resposta

António Parada, presidente da Concelhia do PS de Matosinhos, terá afirmado, num encontro com militantes do partido, que deve abrir-se o mercado de trabalho às crianças que não obtiverem aproveitamento na escola, a partir dos 14 anos. O mesmo António Parada já tinha, aliás, conseguido resolver o problema do desemprego: bastaria levar as gasolineiras a contratar pessoas para meter combustível nos automóveis.

A relação dos políticos com o insucesso escolar é feita de dislates vários, especialmente nos últimos sete anos, o que é natural, se tivermos em conta que, a partir de Sócrates, a Educação passou a ser, declaradamente, um assunto sem importância, um território de mentiras, uma parcela do orçamento a abater.

O PS socrático procurou esconder o insucesso escolar com o cultivo do facilitismo e a divulgação de estatísticas enganadoras, tudo temperado com o marketing da Parque Escolar e da distribuição de Magalhães. O actual governo envereda por um caminho semelhante, vendo no ensino profissional/dual/vocacional uma outra maneira de disfarçar esse mesmo insucesso, obrigando, de modo velado, as crianças com dificuldades escolares a enveredar por um percurso profissionalizante, fingindo que está a criar cidadãos, quando, na realidade, está a fabricar proletários. [Read more…]

Suspeita? que exagero…

FMI suspeita que ricos estão a fugir ao fisco.

A Democracia do Menezes

Eu avisei! Deste lado do rio anda tudo às cabeçadas! Então agora há voto de qualidade nas votações secretas?

É este tipo de Democracia que querem levar para o Porto?

Este senhor, que agora quer mandar no Porto foi o mesmo que cortou verbas para as freguesias que, por acaso, tinham Presidentes Socialistas – foi assim durante uns anos, até que algumas delas, nas urnas, acabaram mesmo por mudar para o PSD.

É uma Democracia forte, sem dúvida!

Nota: Guilherme Aguiar é uma 2ª escolha porque chega depois do Marco António. Mas, se metade do PSD não o quer, será que, mesmo assim, se vai sujeitar à vergonha de voltar a perder?

Pontapé oficial

Levantei-me muito cedo no Sábado. Eram mais de 300 os quilómetros que nos separavam da Manifestação de Professores. Como eu, alguns milhares de professores (o SPN levou 60 autocarros) usaram a A1 para chegar a Lisboa.

Já depois das portagens, mesmo à entrada da capital, parou tudo! Alguns minutos depois, nem para trás, nem para a  frente. O diz que disse, os telemóveis que tocam e rapidamente se percebe que aconteceu alguma coisa.

Ficamos muito tempo dentro do autocarro  – para quem fuma, foi um tempo sem fim!

Chegámos, ainda sem almoçar, atrasados à Manifestação. Fomos a pé do Marquês ao Rossio e no fim o nosso autocarro estava parado 500 metros depois do viaduto, isto no sentido Santa Apolónia / Parque das Nações (são, segundo o Google Maps cerca de 5 km).

A viatura que nos transportou para casa tinha um problema no motor e tivemos que parar em todas as estações de serviço para meter água.

Quando chego a Gaia, um colega havia deixado a carteira num outro autocarro que já se tinha dirigido para Aveiro. Sim, isso mesmo – ainda fui a Aveiro!

Eram quase 4 da manhã quando consegui descansar.

Mas, mesmo assim, não compreendo este comportamento do Militar da GNR!

A voz do dono?

2013-01-27230949_CA967162-B341-4FEB-88DD-FECB0766BF67$$738d42d9-134c-4fbe-a85a-da00e83fdc20$$588a52dc-93aa-4bf0-a9d7-70b0bd905349$$img_carrouselTopHomepage$$pt$$1

 

Sempre pensei que António Costa era, minimamente, independente. Ao que parece, enganei-me…

Eleições em Vila Nova de Gaia

Cá pelo burgo, o PS definiu já o seu caminho – Eduardo Vítor Rodrigues, Gaiense e Professor na Faculdade de Letras é o candidato. É uma escolha que faz sentido – não vive da política, nem é um boy do aparelho! É de cá, vive cá e, nos últimos anos, preparou-se  para esta tarefa.

3608125_300

Do outro lado da barricada, a confusão é total, sendo que se vai dizendo por cá, que hoje, o líder e o líder, isto é, o candidato que atravessou a ponte e o adjunto do sr. Gaspar vão apontar o dedo a Guilherme Aguiar, que é como quem diz, vão apresentar o Vereador de Matosinhos como segunda escolha, depois da nega de Marco António.

Dei por mim a pensar que a recusa do Marco António tem uma de duas razões: substituir Miguel Relvas no Governo ou então, estar prontinho para avançar como candidato ao Porto, uma vez que, ao que tudo indica, a candidatura de Menezes será mesmo ilegal.

O vereador Firmino Pereira é apontado por alguns, mas diz-se por aqui que o candidato laranja vai mesmo ser o parceiro de Rui Gomes da Silva e de Dias Ferreira nas discussões de bola.

Do BLOCO e o PCP não se conhecem movimentações, mas ou teremos uma figura nacional, como João Semedo ou Ilda Figueiredo, já habituais nesta corrida, ou então teremos uma surpresa.

O Berlusconi da CGTP

Há uns dois ou três anos, uma graçola daquelas em que Berlusconi se tornou perito consagrado, colocou toda a gauche em polvorosa. Referindo-se a Obama, o berluscas dizia algo a respeito do habitante da Casa Branca e logo acrescentava que “ainda por cima já vem bronzeado”. Unidas as câncias e oliveiras de todo o comentadeirismo nacional, o italiano foi justamente arrastado para onde se sabe.

Parece que ontem o sr. Arménio proferiu um desabafo a respeito de Suas Majestades os Reis Magos, tomando como alvo o seu simulacro agora em portuguesa labuta. Oriundo da Etiópia e de imperial nome Selassié, foi topado como escurinho. Pelos vistos, o PC e os seus seguem á risca os prestimonsos ensinamentos dos tempos em que os estudantes negros na extinta URSS sofriam tratos de polé nas universidades, institutos e residências estudantis. É que isto das fraternidades não é para todos.

O país vai de carrinho

Uma afro-cantiga do José Afonso, relembrada pelo Samuel, e que dedico ao 31 da Armada que ficou ontem sem herói. Os meus sentimentos.

Deixo também o poema, para quem tiver a placa de som marada. [Read more…]

É proibida a mendicidade

mendicidade