Em princípio, também me oponho ao Orçamento do Estado para 2014

look_at_the_budget_clipart

http://bit.ly/1axSJiR

Segundo a Lusa, o Bloco de Esquerda deverá votar contra o Orçamento do Estado para 2014 (OE2014), pois prevê que este irá seguir a mesma linha dos anteriores (OE2012 e OE2013). Sendo esse o caso, apoio a iniciativa do Bloco de Esquerda: não me parece que “o terceiro OE de Pedro Passos Coelho vá ser diferente dos anteriores” e, lembro-me bem, até cheguei a recomendar o chumbo quer do OE2012, quer do OE2013.

Por seu turno, Marco António Costa lamenta que o secretário-geral do Partido Socialista ameace votar “contra um orçamento que ainda nem sequer conhece”, apelando “a que, em sede parlamentar, e depois de conhecido o texto concreto do OE [2014], o PS possa definir a sua posição”.

Aceito o desafio, em forma de apelo, lançado por Costa e garanto que, se o OE2014 respeitar o estipulado na lei, ou seja, o preceituado quer no Decreto n.º 35 228, de 8 de Dezembro de 1945, quer no Decreto-Lei n.º 32/73, de 6 de Fevereiro, com o concomitante abandono da vergonhosa anarquia causada pela inacção de quem manda (para juntar ao rol, no Diário da República de ontem, lá vinham “documentos comprovativos dos fatos indicados no currículo” e duas ocorrências de “contato telefónico”, no de hoje, de novo, os “fatos indicados no currículo”), aí, sim, já terei condições para reflectir acerca de uma revisão da minha posição.

Comments


  1. Pois , Pois ! É tudo a mesma tanga , a mesma treta , quer à esquerda quer à Direita .

    Sabem todos muito , sobretudo em enganar o Povo .

    Os políticos são todos a mesma porcaria em toda a parte do mundo .

    São todos muito bons , só que não prestam para nada .

    Claro que o Orçamento de Passos Coelho é para roubar
    ainda mais os Portugueses .

    Só continua a votar , em quer que seja , quem não tem vergonha e quer a desgraça do Povo .

    Actualmente , nenhum Partido merece confiança .

    Só com um grande movimento democrático , abrangendo
    todas as ideologias se poderá pôr este País na ordem .

    O problema não é ser de esquerda ou de direita , mas sim
    do que é justo ou injusto , o que não interessa aos Políticos ,
    para nos poderem explorar mais .

    Sou abstencionista como forma de protesto .

    Se ninguém votasse , eles entrariam nos eixos . .

  2. politologo says:

    QUO VADIS PORTUGAL ???

    1. Com qual GOVERNANTE se deixou de produzir , também na agricultura , nas pescas e na industria (v.g. têxtil…) , se desbaratou fraudulentamente os dinheiros da CEE e unicamente por motivos eleitorais se aumentou o número e os salários dos funcionários públicos . Não obstante a sua tese de doutoramento ser “ A Divida Publica e o Crescimento Económico” ? Foi CAVACO SILVA , aquele que criou o Monstro que ora nos digere !… O Pai do Monstro , segundo Miguel Cadilhe . Para V.P.V. , a nossa maior tragédia dos últimos dois seculos !… Assim , se constatam também inúteis Institutos , Fundações fraudulentas , deficitárias Empresas Municipais fantasmas , etc. A Expo 98 . O Euro 2004 . Escandalosas Subvenções . As danosas PPP e as nebulosas Rendas Energéticas , favorecendo ilicitamente(?) a EDP . A Máfia BPN . Cavaco Silva é o Governante com mais colaboradores a contas com a Policia …
    E não se esqueçam de que foi Cavaco Silva que em 2002 afirmou em relação aos funcionários públicos que o melhor era deixa-los morrer !… E também já se esqueceram do ouro que Cavaco Silva vendeu e o comprador não pagou ?
    E os Portugueses elegeram este Senhor como PR ?!…
    E os danos que o duo Cavaco/Sócrates causou ao País ?
    E tudo isto culmina com o mentiroso e incompetente PPC !…
    E pulula o desperdício perante a cegueira governativa .
    A par dos elevados e desnecessários custos da AR e da PR (que até excede o custo da Monarquia espanhola !…) . As exageradas subvenções e remunerações dos políticos e outros similares privilegiados . Os escandalosos subsídios aos Partidos Políticos.
    Centenas de viaturas de luxo . Com tudo isto eliminado e o controlo da evasão e elisão fiscais e os ganhos de produtividade, teremos uma poupança de cerca de 30 mil milhões de euros e apenas 8 anos de sacrifício atenuado .
    Decorridos dois anos e as reformas essenciais não se fizeram …
    (v.g. financiamento da economia real…) . Apenas asfixia fiscal e incompetência . E o Imposto sobre o Valor Acrescentado vulgo IVA , destrói a Economia (v.g. restauração …) , pelo que ambos estão em recessão …
    Em resumo , dois anos tragicamente perdidos !…
    Quo Vadis Portugal ? Como é possível ?
    2. Ainda que politicamente indefensável , não obstante a teoria politica da escolha publica justificar o contrário , é na Ditadura que se encontra o único período da Historia Financeira de Portugal em que as Contas Nacionais tiveram supéravits e “certas ao tostão” !…
    Comparação entre a Ditadura e a atual Democracia(que é semelhante aos anárquicos fins da Monarquia e da 1ª Republica)
    ——————Ditadura——————————————————————————————–Democracia——————–
    Crescimento do PIB — + 9%(1970-73) —– Negativo —————————————————————————————–
    Desemprego ————- 1,5%(1973) ———- 20% ——————————————————————————————
    Índice de Desenvolvimento Humano ——————————–
    (ONU)——————————— 24º ——————– 40º —
    Em 1973 , rendimento disponível superior à média europeia —
    ———Supéravits Permanentes————–Déficits————— ——————————————————Permanentes——-
    Divida Publica ———-15% do PIB(1973)—-130% do PIB—— ———————————————————–(nominal)——-
    ——————————————————–200% do PIB—— ————————————————————(real)———–
    ——————————–estável —————————————————————————-insuportavelmente crescente-
    Pressão Fiscal ————20% ——————————50%—-
    3. O pagamento de uma elevada Divida Publica (impagável?) está politicamente prometido !… mas alem de jurídica está também económico-financeiramente comprometido .
    E duas questões fundamentais ressaltam nesta assaz perpetua versus Grega Tragédia Lusitana : ao longo dos séculos , dezena e meia de bancarrotas e pré-bancarrotas …Como dizem os Romanos , “um Povo que não se governa nem se deixa governar” … por governantes competentes !…
    Uma primeira questão , é saber se a legalidade constitucional e a sua interpretação é compatível com o atual regime monetário do Euro . Surrealisticamente , uma ilícita nominal redução do salário pode na pratica corresponder a um aumento real deste salário !…Algo que o trabalhador não entende …
    Para a adesão à CEE foram feitas alterações constitucionais mas não as necessárias e suficientes .
    Outra questão é a sustentabilidade financeira do Estado .
    A Lei de Wagner aponta para o crescimento irreversível da Despesa Publica !… No atual quadro , sem ser euroceptico , a opção está em aceitar cerca de 25 anos de um prolongado sacrifício , ou a saída do euro como um verdadeiro tratamento de choque …
    NOTA FINAL
    Com o ora pretendido aumento do já comprometido com a troika Deficit de 4% para 4,5% (Portas) ou 5% (Seguro) , isto corresponde a mais de mil milhões de euros em Despesa Publica i.e. a mais mil milhões de euros em empréstimos (aumento da Divida Publica) com juros a taxas superiores a 7% o que corresponde a mais de 70 milhões de euros em Despesa Publica(juros) , ou seja o equivalente ao custo dos salários dos 2.000 funcionários públicos que pretendem despedir !… E ninguém vai preso ???
    QUO VADIS PORTUGAL ???

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.