Políticos sem vergonha

Sublinhando que o buraco do BPN estimado naquela altura era de 600 milhões de euros, muito longe dos milhares de milhões que hoje já são conhecidos, Sócrates considerou “mais prudente fazer a nacionalização”. [Expresso]

Posto assim, a mensagem implícita é “o buraco era pequeno”. Se era pequeno, não poderia haver risco sistémico nem seria necessário “assegurar a estabilidade do sistema bancário português“, tal como defendeu Constâncio numa comissão de inquérito parlamentar. Por outro lado, se não era possível estimar a dimensão do buraco do BPN, não se devia ter nacionalizado o banco num tempo recorde de apenas alguns dias. Com garantias do BPN não afectar contas do défice até 2013 e com afirmações como  o “Estado não gastou nem envolveu dinheiro dos contribuintes” no BPN e no BPP.

Concordo com Soares sobre os cachopos que nos governam merecerem serem julgados. Idem quanto ao repto sobre Cavaco. Mas quem o faz acusando os outros, sem olhar para a sua casa, não merece o meu respeito. O governo que tornou em público o que era um problema privado, possivelmente o maior desfalque do pós-25 de Abril, merece igual julgamento. Não é coisa de somenos. Estamos a falar de uma decisão que empurrou o país decididamente para o lodo onde estamos. Foi o prenúncio da operação salvar a banca.

É precisa muita lata um andar a pintar narrativas em entrevistas e outro vir com o síndrome de Frei Tomás. Uns e outros não passam de políticos sem vergonha na cara.

Comments

  1. sinaizdefumo says:

    Pois, se uns devem (ser julgados) os outros também. Resultado, não vai ninguém. Tudo como dantes…

  2. zeze says:

    Não dá para executar sumariamente essa gente toda ? isto está tudo podre, não há outro remédio.

Trackbacks


  1. […] vergonha de uma massa flébil demagogizável, pasto de demagogos devastadores, como Sócrates, e manipuladores maldosos e desavergonhados, como Sua Impostura, Berdamérdio […]

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.