O referendo – ontem, hoje e amanhã:

No dia em que Pedro Passos Coelho apresenta a sua candidatura a presidente do PSD aos militantes do Norte de Portugal e um dia depois do que aconteceu na Assembleia da República, deixo aqui palavras antigas sobre o tema ditas por Pedro Passos Coelho. As mesmas que lhe ouvi num dos jantares com blogues realizado em Lisboa (e depois reproduzido na comunicação social):

 

Captura de ecrã 2014-01-18, às 02.49.31

 

É por isso que ainda não percebo o que se passou.

Comments


  1. Passos sempre preferiu o “oportunismo” político à coerência…
    Mas isso faz parte do mau carácter do mentiroso compulsivo…
    Portanto nada a estranhar… Passos no seu “pior” como sempre !!! 🙁 🙁 🙁

  2. Fernanda says:

    A nova narrativa de quem acreditou parece passar por – “não percebo o que se passa”, “não percebo o que se passou”.


  3. A homossexualidade não se transmite.

    A heterossexualidade apenas serve para fazer filhos, o amor não tem nada a ver com isso.

    100 % dos homossexuais nasceram duma relação heterossexual.

    O amor é outra coisa.


  4. é preciso ser muito obcecado e perverso para misturar sexualidade com amor paternal.

    Esta gente das JSD tem problemas graves que não se resolvem com referendos.

  5. miguel says:
    • miguel says:

      Está fora do conteúdo do artigo mas mesmo assim quis deixar o alerta para quem quiser comentar.

Trackbacks


  1. […] espanto pela “marcha-atrás” do PSD nesta matéria e até recordei o que sobre o tema defendia o presidente do partido. Contudo, Carlos Reis comete um erro crasso: a orientação sexual de quem […]

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.