O humor e propaganda de um regime em decadência

RIR

Sem a pompa e a circunstância que outras visitas da realeza social-democrata nos têm habituado numa terra tão laranja como é a minha Trofa, Passos Coelho apareceu por cá no passado Sábado para apresentar a sua recandidatura à presidência do PSD, num evento dirigido aos militantes da zona norte do país.

Em vez das habituais e ensurdecedoras cornetas que normalmente antecedem este género de visitas, os militantes trofenses optaram por manter a vinda do chefe num invulgar mas expectável silêncio, quebrado pela fuga de informação proveniente daqueles que, muito provavelmente, estarão fartos dos Relvas que tomaram conta do aparelho social-democrata. Nem o jornal do regime escreveu uma palavra que fosse sobre a vinda do Primeiro-Aldrabão. Não fossem os jotas cor-de-rosa vingar-se dos ovos com que José Sócrates foi brindado na sua última visita ao nosso concelho. É que por aqui as jotas não se limitam ao jogo do tacho: pegam-se a sério e chegam mesmo a andar à chapada na via pública se tal se mostrar “necessário”!

No rescaldo da visita, a página do PSD-Trofa publicou algumas fotos do evento com contou com a presença de várias caras conhecidas do universo passista, de figuras como Virgílio Macedo até aos líderes da “seita” jotinha que controlam mais que os seus pares e que chegam a deputados sem saber ler nem escrever. Poucos se atreveram a comentar. Mas o único comentário a estas fotos é digno de registo pela natureza humorística que resulta da doença partidária que a tantos portugueses afecta.

O autor do comentário (“Por favor divulgue a militantes e amigos 20 Razões porque votar no dia 25 em Pedro Passos Coelho“) é António dos Reis e o sketch, qual Gato Federonto político-partidário, poderá ser consultado no blog 20 razões para votar (em Passos Coelho entenda-se). Não irei aqui alongar-me sobre o exercício de propaganda de terceira divisão concelhia da mais patética e ridícula com que alguma vez me deparei. Deixo essa pulga atrás da vossa orelha para que se deixem surpreender pelo absurdo de uma publicação que deambula por entre os mais dementes “argumentos” para reeleger o actual líder do partido:

Porque o país percebe que estamos a recuperar

Porque este esforço permite-nos encarar o futuro de outra maneira

Porque Hoje Pedro Passos Coelho diz que será possível se seguirmos a máxima de Francisco Sá Carneiro: “Em primeiro lugar está o país e só depois o Partido”

Uma risota só. Ricardo Araújo Pereira e Bruno Nogueira tremem perante esta ameaça violenta ao seu domínio hegemónico do humor nacional. E só vos dei um cheirinho do que lá poderão encontrar. O nível de propaganda é tão primário que é quase impossível vislumbrar um resquício de credibilidade nesta anedota. Já nem os bloggers a sério querem saber de Passos Coelho! Até porque os que sobraram estão mais ocupados a fazer de conta que governam. Mas, ainda assim, esta personagem deixou-me curioso e a curiosidade levou-me a visitar o seu perfil no Facebook (o perfil é público). Mal lá chego dou de caras com uma publicação de Carlos Reis (sim, o jota honorário que se revoltou contra a canalhada que tomou conta da sua antiga estrutura) que diz exactamente isto:

António agradeço que não faças mais propaganda no meu mural. Se queres mostrar serviço e arranjar contratos ou ganhar concursos junto de quem manda faz como entenderes – mas não através de mim. Cumprimentos e felicidades. P.S. Anseio pelo dia em que os teus amigos serão escorraçados pelo povo.

A julgar pelas palavras de Carlos Reis, fica a sensação que o senhor António dos Reis será mais uma sanguessuga clientelista a alimentar-se do debilitado corpo do Estado. Ainda tentei procurar mais informação sobre a persona mas só encontrei um António dos Reis de avental, que por acaso, só por acaso, também é social-democrata. Mas apesar dos doentes e dos parasitas movidos a combustível panela, já começa a haver quem se tenha fartado da pouca vergonha e queira abanar a estrutura por dentro. Abençoados sejam os Carlos Reis deste país, que a podridão fascista encaminhe os nossos coveiros de ridículo em ridículo até à “pasokização” final!

P.S. Esta visita ocorreu durante um fim-de-semana festivo do concelho. Segundo o local O Notícias da Trofa, um grupo de romeiros que regressava do S. Gonçalo para comer a última refeição na Casa do Porto, a pouco metros do auditório, decidiu, como vem sendo habitual no seu encontro anual, rebentar uma pequena bomba de Carnaval (que na realidade até costumava ser fogo-de-artifício) o que lhes valeu, nas palavras de um dos presentes, uma invasão violenta levada a cabo pelos seguranças do primeiro-ministro, nessa noite ao serviço do PSD. Os romeiros, esses, alegam que não sabiam da presença do senhor no local, o que demonstra bem o nível de secretismo que envolveu esta visita.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.