Luís Pessoa queria prender pides quando chegasse a hora

Comments

  1. JgMenos says:

    Esse Pessoa é seguramente o mesmo que em Outubro de 1972 foi incorporado em Mafra. O sistema era não ingénuo que fez capitão miliciano um mais que óbvio subversivo!
    Em Angola a PIDE passou a Serviços de Informação Militar mas para os comunas do MFA a ordem não era defender os portugueses mas entregar territórios aos pró-soviéticos de qualquer jeito.
    Este exemplo é bem claro dessa missão de traidores em que o chico-esperto Pessoa seguramente se empemhou com eficiência.
    A entrega de documentos da PIDE à Frelimo com toda a probabilidade custou a vida a uns tantos moçambicanos.

    • José Peralta says:

      O JgMenos e o desespero dos vencidos, (ou dos vendidos ?) !

      Cada vez mais rasca nos comentários, cada vez mais destrambelhado, cada vez mais cego de raiva… porquê ?

      Também terá sido alvo da “perseguição” por parte de Luís Pessoa ?

      E veja-se esta “pérola” de análise :

      “Esse Pessoa é seguramente o mesmo que em Outubro de 1972 foi incorporado em Mafra. O sistema era tão ingénuo que fez capitão miliciano um mais que óbvio subversivo!”

      Realmente, o “sistema” era muito “ingénuo”, então não era ?

      Tão “ingénuo” que, em Moçambique como cá, todos os pides “conseguiram” fugir…

      E no meio “disto tudo”, o JgMenos, mostra-se “muito preocupado com toda a probabilidade de a acção de Luís Pessoa, “ter custado a vida a uns tantos moçambicanos”!

      Preocupação que parece não ter com os milhares de mortos e estropeados militares e civis portugueses, moçambicanos, angolanos guineenses, ao longo de 13 anos de guerra colonial !

      Que o dia 25 de Abril de 2014, continue a pesar toneladas aos JgMenos deste País !

      • JgMenos says:

        Oh! Peralta, não te abespinhes!
        A ingenuidade do regime residia na confiança em que o exército ‘digeria’ toda a merda que lá pusessem transformando-a em defensores da Pátria – enganaram-se como se demonstra pelos brilhantes serviços do Pessoa, que´até foi arvorado em capitão.
        Sabes bem que os comunas eram agentes soviéticos, ao serviço da pátria dos proletários, que para além do mais, bem precisava de rapar os mares de Angola e Moçambique, como se viu!
        Sabes bem que o MFA tratou de entregar o Ultramar a toda a pressa antes que as populações pudessem organizar-se para expressarem qualquer opinião. Abandalhar as tropas e estuporar a hierarquia foi a grande prioridade de toda a comunada infiltrada!
        Porque em 25A toda a gente aderiu à liberdade conquistada e aos objectivos democráticos, esse era o momento de agir e rápidamente, pois ninguém melhor que os comunas tinha a experiência de enrolar democratas anti-fascistas e progressistas!
        Mas para louvar essa tarefa tão brilhantemente executada, Peralta, tens a palavra…


  2. Este JgMenos aqui,noutros blogues jose é um troll salazarista que não merece resposta.Deixei-no miar ou ……

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.