Realidade, esse conceito subjectivo.

Quando um retrato, escrito, visual, sonoro, nos é apresentado como a realidade é preciso termos consciência que estaremos perante algo altamente subjectivo, sujeito a visões parciais, leituras próprias e, porventura, a manipulação.  Porque a realidade é algo muito pessoal, fruto de crenças e leituras individuais.

A crónica de Luís Naves no Delito de Opinião, sobre a situação financeira do país,  tem sintomas desta realidade subjectiva. Sem explicitar, justifica o governo por ser incapaz de fazer a última milha no corte da despesa, como se cortar na despesa se esgotasse em diminuir salários e pensões. Critica, aliás, a  “reposição de salários e pensões”, o que por si só já demonstra subjectividade, pois esta reposição apenas tem lugar em pequena parte. E diaboliza o Tribunal Constitucional, como se fosse este a causa de insucesso de um governo que, estrategicamente, optou por estar na ilegalidade como forma de aumentar a receita.

Enfim, voluntariamente ou não, ecoa o argumentário do governo, sem dedicar uma linha quanto ao que significou o BPN/BPP, submarinos, Swap,  BES, só para enumerar alguns casos, nas contas do estado e na desgraça que estamos a viver.

Um retrato de aguarela difusa, feito a trincha número 10, que não deixou espaço para quantas dezenas de milhares de milhões de euros saíram do estado para pagar negócios públicos e privados, ruinosos ao país e de culpa solteira.

Comments

  1. Américo Montez says:

    ATENÇÃO : Este link parece ter um vírus, pois tenta instalar um programa .exe quando se acede pela 1ª vez.

  2. niko says:

    pois ,para este desgoverno PSD/CDS,não são despesa ,são pequenos desvios a favor da economia liberal ,falta a fatura da madeira .


  3. Perguntado sobre quem sai favorecido com o orçamento de estado, Camilo Lourenço sorri e caga a sua sentença, objectivamente: Os funcionários públicos e pensionistas!


  4. os culpados do costume, as omissões do costume. ideologia e folhas de Excel…


  5. “fruto de crenças e leituras individuais” -excelente definição.
    Os desejos do que a seguir enumera,ainda mais a seguir a umas escandalosas legislaturas em que só faltou convidarem os “sócios” das empresas para presidir ao Conselho de ministros, são de quem a partida quer que estes governantes percam as eleições por números escandalosos. Quantas empresas e empregos existem pelas loucuras socratinas e que vão falir per si só pela inacção do governo? vamos esperar o desastre GES começar a dar desgraças no terreno

    • José Peralta says:

      Ora aí está, mais uma arauto deste (des)governo)…e já cá faltava o sócrates !

      A mesma “receita” utilizada pelo aldrabão-mór, esse ignóbil coelho e seus cúmplices, entre os quais se destaca esse patibular “capricho da natureza”, o marco antónio costa, e a sua anedótica asserção : “O REFERENCIAL DE TRANSPARÊNCIA” !

      Em três longuíssimos anos em que se entretiveram a destruír o Pais além da troika, porque os Portugueses tinham que escolher entre empobrecer ou emigrar (notícia recente, diz que há mais dez mil milionários !), e que o desemprego não era um drama mas uma oportunidade (mais de um milhão de desempregados…”beneficiários” dessa “oportunidade” !) ainda têm o descaramento de dizer que a “culpa” é das “loucuras socratinas”..

      A quem pretendem enganar ?.

      Mas esta gentinha pensa que consegue convencer alguém ?

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.