Legionella, a doença de um legionário governo neoliberal

Não faltava mais nada, leis a vigiarem a qualidade do ar interior. O ar, interior e exterior, regula-se pelo mercado, um tem legionella, outro não, quem vença o mais forte.

O surto de Vila Franca de Xira até pode ter outra origem, mas entende-se bem nesta notícia do Público, não disponível online, que aqui funcionou o lóbi das grandes superfícies e outros espaços, que passaram a poupar uns cobres em inspecções. Mais um exemplo do neoliberalismo enquanto ideologia criminosa, onde o lucro vence a prevenção e a saúde pública.
Governo eliminou auditorias obrigatórias à qualidade do ar interior

Adenda:

O facto de na notícia não se referir que tipo de lóbis terão pressionado a alteração legislativa, e de esta não estar online, não coincide de forma alguma com a curiosidade de o proprietário do jornal o ser também de muitos dos estabelecimentos que pouparam uns tostões…

Comments

  1. joao lopes says:

    deixem o mercado funcionar,nem que para isso se mate à fome/desemprego/ou outra,digamos que 90% da populaçao,tudo em nome do lucro de alguns.não è assim,dr,joao cesar da neves,joao tavares ou zé fernandes?

  2. Rui Moringa says:

    O mercado esse Graal!!!!
    Eusó conheço e adoro as feiras,nomeadamente a de Custoias, hahaha


  3. Empresas a influenciar legislação? Longe de nós tal pensamento…

  4. Ferdinand says:

    Não é apenas uma qualquer empresa, são empresas de uma determinada dimensão que conseguem comprar a legislação que lhes convém, se for uma “piquena” empresa talvez consiga comprar o presidente da junta para um qualquer favor, mas depois não terá €€€ para pagar às sociedades de advogados milionárias para a defender se forem apanhados pela justiça, já os grandes grupos económicos têm carradas de €€€ para distribuir por políticos e advogados. E é assim até nesses países ditos mais evoluídos que Portugal, basta ver o recente caso luxemburguês…
    Nós vivemos num sistema económico que está montado para favorecer quem concentra grandes volumes de capital, de qualquer maneira, quando é que deixou de ser assim? É um problema de sistema, não de empresa x ou y…


    • Sem dúvida… e onde está a reacção das pessoas? São relegadas a cidadãos de segunda ou terceira categoria e nada fazem senão dizer “é a vida”? Para exigir algo é preciso dar algo.

  5. Paulo says:

    Julgo que também acabou a obrigatoriedade de construção anti-sismica…

  6. Nightwish says:

    O Passos já sacudiu a água do capote.
    Também, era só mais um ministro a pedir desculpa, é coisa pouca.

  7. Alberto Lopes says:

    O lobi principal envolve todos os partidos que gerem as 19 Câmaras do distrito de Lisboa que depositam os seus residuos sólidos na incineradora de S.João da talha,esta uma das dez maiores do mundo que em 02/05/14 contaminou a água de abastecimento publico de Vila Franca de Xira,e que nem Francisco Jorge,nem Jorge Moreira da Silva,nem Paulo Macedo nem o resto da camarilha, querem que venha a publico.Posso estar enganado mas a empresa de fertilizantes cheira-me a boi de piranha.

  8. José Peralta says:

    Há juristas que advogam, pelo facto de haver óbitos, que as empresas em que, por falta de verificação dos sistemas, seja detectada a bactéria, os responsáveis sejam presentes a Tribunal, com condenações que, salvo erro, podem ir de 3 a 8 anos de prisão.

    Mas, o facto da canalhada do desgoverno, com o aldrabão-mór à frente, segundo a notícia do Público, ter eliminado a obrigatoriedade das auditorias, QUEM É O MAIOR CRIMINOSO ?

    E VAI FICAR IMPUNE ?

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.