O princípio do fim da privacidade dos portugueses

Privacidade

Quando valores mais altos se levantam, o bloco central diz presente e coloca de lado as suas diferenças de fachada, à semelhança daquilo que aconteceu há uns meses quando se juntaram para tentar controlar o trabalho da comunicação social durante as campanhas eleitorais através de uma espécie de visto prévio estilo lápis azul. Como se o “ascendente” que têm sobre a imprensa não fosse já suficiente.

Foi ontem levada ao Parlamento uma proposta da maioria para reforçar o poder das secretas portuguesas cuja aprovação, segundo me foi possível apurar (não encontro informação que me esclareça para além da notícia do Expresso Diário de Terça-feira), terá contado com o apoio do PS. A proposta permitirá, entre outras coisas, que os espiões acedam às listas de chamadas de qualquer cidadão (Jorge Silva Carvalho, antigo chefe do SIED que trabalhou para a Ongoing mas que afirma nunca ter disponibilizado informações à empresa, começará a ser julgado dentro de dois meses por aceder ilegalmente à lista de chamadas do jornalista Nuno Simas), dados de comunicações online, informação bancária e dados fiscais, bastando para isso uma aprovação de uma comissão composta por três magistrados do Supremo Tribunal de Justiça. Contudo, a proposta do bloco central é vaga sobre os critérios subjacentes à tal aprovação, não implicando sequer a existência de indícios fortes do investigado ter cometido qualquer crime.

Sobre o último ponto, a Comissão Nacional de Protecção de Dados emitiu um parecer que critica violentamente a proposta, afirmando que representa “uma agressão grosseira aos direitos à privacidade e à protecção de dados pessoais e, em consequência, ao direito à liberdade“. Um Patriot Act ao virar da esquina. Sejam bem-vindos ao princípio do fim da vossa privacidade.

Comments


  1. A notícia já nem dá para abrir no expresso. Aliás, se se pesquisar por notícias das secretas no Google, a única coisa que aparece relacionada com este assunto é uma notícia da renascença e um artigo do observador.
    Ver https://news.google.com/news/story?ncl=d-6CVrwP1H6xy1M_Nrei7BMff_vYM&q=secretas&lr=Portuguese&hl=pt&sa=X&ei=i9iUVem_AoGwUdLJgKAP&ved=0CCcQqgIwAQ

    Curioso…


  2. Importante alerta que deve merecer a atenção e preocupação em saber todos os pormenores e diversas propostas- se possivel deixem o cartão do credo em casa e pensem apenas nos nossos intersses. Com uma CNPD tão zelosa que qundo fiz queixa duma campanha do Barclays cartão de credito por me telefonarem a convidar quando jã tinha cartão há anos e responderem que “compram” a bas de dados e não diz lá se sou ou não!! ; claro foi isso mesmo , passados um dias recebo uma carta do Barclays a cancelar o cartão!!! fiquei avisado, mesmo sei lei do que posso e não posso dizer; agora com a lei vai ser um festim!!

  3. Escatota Biribó says:

    You are free, to do as we told you
    by Bill Hicks

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.