O estado da nação é muito simples

divida-e-defice -2

Fonte: Banco de Portugal

Privatização de tudo o que gera receita no estado e do que tem receita garantida via orçamento de estado. Negócios com prejuízo foram reorganizados por forma a vender a parte com receitas, ficando a parte com prejuízo para o estado.

Para quê? Esqueça a tese de termos gasto acima das nossas possibilidades. Olhe para si e conclua. Estas receitas serviram apenas para pagar os juros da dívida do empréstimo que tirou a banca da falência.

O resultado? Estamos pior do que no início da legislatura. Recorde-se qual era o objectivo da austeridade: reduzir a dívida pública e controlar o défice. Este continua sem chegar aos valores exigidos pelo euro e a primeira aumentou significativamente. O défice diminuiu graças ao colossal aumento de impostos e a dívida disparou devido aos custos com os juros.

Menos saúde, menos educação, menos justiça, mais horas de trabalho, mais impostos, menos salário. Este é o estado da nação.

Vêm aí melhores tempos? Nada para aí aponta. Não podemos continuar a fazer o mesmo e esperar resultados diferentes.

Comments

  1. joão lopes says:

    foi por motivos ideologicos(aproveitando as declarações do “irrevogavel”) que tudo isso aconteceu.a prova esta no facto de este governo ter acabado com o contrato colectivo de trabalho transformando este país num apendice…da singapura.

  2. Ausente52 says:

    e o povo portugues assiste impavido e sereno ao “espectaculo”.

  3. Anasir says:

    E a coligação no poder está em vias de ganhar as próximas eleições…


  4. sso de ganhar as eleções ,é uma possibilidade igual a perde-las !!! não somos bruxos e o povo já está a perceber que anda de pulseira electrónica num caminho errado ;esperemos para ver .

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.