O rigor pós-Jardinista do PSD Madeira

Jardim Albuquerque

Fiéis a uma longa tradição de derreter milhares de euros em festas à grande e à Jardim, os responsáveis do PSD Madeira preparam-se para gastar 100 mil euros na festa anual do regime, honrando desta forma esse ícone do despesismo público que é Alberto João Jardim.

Ainda assim, e apesar da propaganda social-democrata do rigor, vazia e sem qualquer tipo de valor que se consiga percepcionar, o PSD-Madeira congratula-se com a redução do despesismo, na ordem dos 50%. Até agora, os homens que faliram a Madeira torravam 200 mil euros no seu comício anual, agora torram apenas 100. Para quem gere uma ilha enterrada em dívidas, parece-me um valor que faz jus ao discurso moralista que o partido vomita diariamente.

Mas as boas notícias não ficam por aqui. Nestes 100 mil euros – reparem no quão austeros são estes senhores – estão já incluídos os 25 mil que a organização paga todos os anos à Fundação Social Democrata da Madeira, proprietária da Herdade de Alter do Chão onde se realiza o festival de Verão da propaganda laranja madeirense. Uma fundação cuja longa e polémica história não foi suficiente para que o este governo rigoroso e reformista não a tenha incluído do lote das extinguíveis, que recebeu transferências do Estado apesar das declarações do deputado Fernando Negrão em 2012, que afirmava que tal nunca tinha acontecido, que viu o seu património crescer 13 milhões de euros em 20 anos, os mesmos 20 anos em que a dívida do arquipélago atingiu dimensões catastróficas e que, presidida pelo incontornável Alberto João, tentou transformar a casa do próprio Alberto João em museu. Uma fundação que é um hino à transparência e ao rigor.

Não admira, apesar da apropriação da ilha e da destruição das contas suas contas públicas, que o PSD continue a ganhar eleições na Madeira. Desta vez foi Miguel Albuquerque mas a Abelha Maia teria iguais possibilidades de ser bem sucedida. O poder da monarquia jardinista é tal que, em ano de eleições que decidem se continua a aldrabar os portugueses ou se vai abrir portas para uma Tecnoforma qualquer, até Pedro Passos Coelho vai discursar na herdade do regime mantida pelos nossos impostos e pelos esquemas opacos do costume. No “contenente” como no arquipélago, o rigor continua a ser palavra de ordem.

Foto@Expresso

Comments


  1. As republicas das bananas não se fazem com uma unica banana. Na Madeira tudo gira a volta da Camara de Comercio e Industria. Quem não for “nosso” até emprego lhes podemos negar. Topas?

  2. Defender Portugal says:

    devia verificar as dívidas do presidente do Governo que são mais de 500 mil euros, onde 200 mil euros são à segurança social e outros 200 mil às finanças, sendo quase 30 mil euros aos funcionários da quinta que mantinha. Alguém que gere assim o seu dinheiro, acha que Miguel Albuquerque será melhor a gerir os dinheiros de todos nós? Isto sim é uma vergonha.
    Veja parte das notícias que o governo de passos e os madeirenses só podem ver adulteradas: http://expresso.sapo.pt/sociedade/2015-07-14-Miguel-Albuquerque-reconhece-dividas-a-Seguranca-Social-e-Eletricidade-da-Madeira
    http://www.tvi24.iol.pt/politica/empresas/madeira-miguel-albuquerque-admite-ter-dividas


  3. Hoje, no Bravio: “A treta dos projetos educativos”.

    http://diogodaveigabravio.blogspot.pt/2015/07/a-treta-dos-projetos-educativos.html

  4. Rui Silva says:

    Fico muito admirado que você não apoie o despesismo na Madeira assim como apoia o despesismo na Grécia.

    cumps

    Rui SIlva


    • Eu admiro-me é com o troll que você é. Quando é que eu fui a favor do despesismo na Grécia sua besta? Cheguei ao fim da minha paciência consigo. Pode falar à vontade mas com o troll Rui Silva não volto a perder tempo. Vá-se encher de moscas. E de merda já agora. Já está cheio? Não admira…

      • Rui SIlva says:

        O João Mendes não é Charlie…
        Tenho sorte enquanto não sofro um atentado…

        cumps

        Rui SIlva

        • joão lopes says:

          curiosamente,o seu governo escondeu 11.000 euros em despesa,segundo o tribunal de contas.lá esta,curiosidades…


        • O João Mendes não é um troll idiota cuja existência reside na provocação cobarde sem cara. E a minha reacção deriva da sua aldrabice por isso deixe se de merdas e vá rezar uma avé maria ao Cerejeira.

  5. Rui Moringa says:

    Por estar falido é que se candidatou. Vai tentar rentabilizar a coisa através dos papalvos que votaram nele e dos outros que se refugiaram em tretas para não votar em quem deviam.
    Quem tem dívidas ao Estado não devia ser candidato.


  6. Quem tem dívidas ao Estado não devia ser candidato.

    Aqui é que está o problema. Portugal, país fora de série e de seriedade… Tem quase toda uma classe politica que, quando chega ao poder fica logo endinheirada.
    Estou a lembrar-me de um senhor que tinha uma casota “Mariani” e agora na Quinta da Coelha…

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.