Olhares sobre as legislativas 2015: um não texto

A casinha da Boneca

Este é um não post, um não texto, um “não, estou farta desta gente, não mesmo”. Isto porque, sendo eu uma pessoa bem-disposta por natureza, falar de política aporrinha-me. Posso desde já confessar-me desiludida com este assunto e todos os seus intervenientes, sem exceção. E assim, recuso-me a dissertar sobre um tema que apenas me dá ganas que desapareça quanto antes da agenda. Mal posso esperar por domingo (sábado, aliás, se se cumprirem as regras) para que se calem todos de uma vez, que já não os posso ouvir. Estou desapontada com cada um deles, da esquerda à direita, passando pela casa do centro, com este sistema em que sabemos que, a cada troca, vamos ter mais do mesmo, diferente mas não tanto assim. Posto isto, reitero: recuso-me a falar sobre as eleições. Para coisas deprimentes, já basta ter um filho em pleno processo de controlo dos esfíncteres. O meu voto vai para enfiar uma rolha no puto até ele ter 15 anos.


“Olhares sobre as legislativas 2015”  é uma série de perspectivas diferentes, políticas ou não, num espaço de temática marcadamente política. Escreva-nos.

Comments

  1. Ana Moreno says:

    Que pena ter escrito um “não texto” em vez que se aporrinhar a escrevê-lo. A vontade de querer ter um efeito super original é ainda maior do que a falta de vontade que tem de falar de política. Lamentável a enorme representatividade no país desta gente de pensamento indiferenciado e cínico mas que não se abstém de produzir o ego.

    • Ana Boleto says:

      É tão triste a falta de sentido de humor da maioria das pessoas. Eu, pelo menos, percebi que era suposto ser um texto ligeiro. Temos de ser sempre cinzentos?

    • Rita Salgueiro says:

      Pena mesmo é os políticos que temos, tornarem o controlo dos esfíncteres um tema mais interessante do que a sua campanha.
      Até porque com algum humor e inteligência se consegue ver que o tema tem um fundo em comum.
      Para quem fala de ego, com muito menos linhas afagou o seu.
      A política passará a ser importante para todos nós como era suposto, quando de facto tivermos Políticos e não políticos. Até lá, valha-nos o humor para continuarmos a suportar tudo o que mandam e desmandam.

  2. Ana A. says:

    Enquanto pensarmos que a política é um trabalho efectuado, apenas, por certos profissionais, bem podemos esperar sentados à espera da renovação e da chegada “daqueles” políticos que serão os transformadores do “statu quo”! Assim como não delegamos nos outros a vivência da nossa própria vida, não deveremos delegar nos outros a mudança que queremos ver no mundo!

  3. Nightwish says:

    Não fale, não pense, deixe-os mandar que eles agradecem que ache que não há alternativa e que são todos iguais.

  4. Analisa says:

    Ah! Era para rir?! Pois parecia para chorar!! Não me diga que quando decidiu ter um filho não sabia que ia ter de acompanhar a aquisição do controle dos esfíncteres…


  5. O post e a autora transportaram-me para a revista “Modas e Bordados”, bem haja.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.