As dores de crescimento da social-democracia

ana_lourenço_entrevista_antonio_costa_SIC_N_6NOV2015

Lamento ver António Costa tratado como um delinquente e o PS como se tivesse ensandecido. Na entrevista de ontem, na SIC-N, Ana Lourenço (uma boa jornalista, perdida para o discurso autoritário prevalecente, que não admite alternativa), esteve no limite do respeito. O tom (arrogante, embora com a suavidade formal que a caracteriza), o conteúdo (sem isenção) e o objectivo (malicioso) das suas questões revelaram uma vez mais a agenda da Impresa, e também a que ponto está impreparada para fazer uma entrevista política daquela importância num momento como este. Talvez apenas Flor Pedroso (para falar dos jornalistas das tevês) tenha essa preparação.

Sem surpresa, as perguntas procuraram uma vez mais questionar a legitimidade democrática da coligação táctica que tornou possível a convergência da social-democracia do PS e do socialismo das esquerdas (sendo certo que em 2011 o PSD e o CDS agiram de igual modo para poderem governar com maioria parlamentar), escrever o futuro próximo da esquerda à luz da sua História recente, e, sobretudo, defender a prorrogação da licença do clube de acesso reservado ao poder a que chamam “arco da governação”.

Terminada a entrevista, o canal interrompeu a emissão (um debate de comentadores sobre a entrevista de Costa) para dar voz a Francisco Assis.

Comments

  1. JgMenos says:

    No limite do respeito a quem não merece respeito algum; e fez-lhe o Grande Favor de não lhe perguntar aonde ia buscar o dinheiro para acelerar a saída da austeridade.

    • Nome Obrigatório says:

      para tapar a divida deixada pela PaF?
      vai ser complicado..

    • Nascimento says:

      Ó palhaço vai poupar nas VIAGENS AÉREAS DA TAP! Sabes quanto custam por ano? 25 MILHÕES!!!Não sabes? Então vê a reportagem da TVI 24.H…ou não tens televisão? Se calha só lês o Crime, ou o Sol ,CM TV, ETC. Já sei , segues a Teresa na Quintinha dos alarves…é mais isso nã é?

    • Ernesto Martins Vaz Ribeiro says:

      Fica a informação, caso não saiba, que os “outros” foram buscar ao dinheiro aos contribuintes. E penso, a menos que seja amigo do professor da “mula russa”, que o seu bolso pertence a este grupo. Há quem goste. Eu não, obrigado.


    • Oh JgMenos se não fosse burro e mal educado, o que gostaria de ser???

      Quem lhe merece respeito???

  2. Joao Jose Tavares Capelo says:

    Os cofres estão cheios de dinheiro, declarado pela ministra das Finanças.

  3. Anasir says:

    Isto está cada vez mais a resvalar para o pensamento único, infelizmente, e a responsabilidade da comunicação social é notória…

  4. luis says:

    Eu só queria que a Ana Lourenço tivesse perguntado ao António Costa quais foram as “surpresas” que lhe foram reveladas nas conversas com a coligação.
    Enquanto não souber a resposta deito-me a imaginar!
    Quanto é que os buracos da restante banca vão juntar aos buracos do BPN, BPP e BES?
    E quanto é que os portugueses vão ter de continuar a pagar por esses roubos, digo, buracos?

  5. António Aires says:

    Não se percebe o que se passa com a comunicação social. Entraram numa espiral de agressividade para quem não é do arco da governação. Aburguesaram-se, acomodaram-se e temem pela sua “zona de conforto”, a precariedade dá para tudo, até fazer fretes. Gillian Tett descreve bem estes sintomas .

    • Nascimento says:

      Ai percebe-se,percebe-se…olarica.

    • Ernesto Martins Vaz Ribeiro says:

      A comunicação social tirou definitivamente a máscara e essa gente revela-se sobretudo, pouco inteligente na forma como aborda os políticos “do outro lado”.
      Comportam-se, manifestamente, como “cães raivosos” a quem foi colocado um osso à frente.
      Não é zona de conforto. É antes um tacho que não querem largar tapando a sua incompetência (não será o caso de Ana Lourenço, mas do facto dela ter um conhecido patrão do “arco da governação”) com benesses aos “senhores feudais”.
      E no caso de Ana Lourenço, a quem reconheço competência, estamos claramente num caso de pouca inteligência.


  6. Decorei esta frase de um comentário nesta casa e nunca mais a vou esquecer. Ele espelha com “ternura” o pensamento da tralha que nos explora e nos quer condenar a viver na ignorância.

    “É que eu defendo e prezo a Liberdade, mesmo daqueles que pretendem tirar a Liberdade aos outros”

  7. emaria says:

    é uma burra bem ornamentada, mas mal comportada com os que não pertencem à corte dela… e sempre incompetente

  8. JgMenos says:

    Movidos pela devoção, clamam aos quatro ventos que não lhes contestem a FÉ que lhes garante a abundância e o sossego.
    Endividado o país, cambaleante a economia, a migalha do dia seguinte é o quanto basta para os mobilizar para a aventura e o dislate.
    País de cretinos pastoreados por treteiros.

    • Nightwish says:

      Está a falar dos apoiantes da direita, certamente. Ou isso ou é burro.

  9. martinhopm says:

    Não conheço a Sarah, a não ser de comentários neste blog. Quero dar-lhe os parabéns. Argumenta muito bem e escreve melhor, coisa que já vai sendo rara, a de escrever em português de lei, neste país à beira-mar plantado.
    Quanto à análise sobre o comportamento de Ana Lourenço nesta entrevista a António Costa (e atenção que desde que voto nunca votei no PS) é inteiramente certeira. Numa palavra: Ana Lourenço foi tendenciosa. Basta comparar com a recente entrevista a Assunção Cristas.

  10. martinhopm says:

    Embora nunca tendo votado no PS, considero que Costa fica a milhas, quanto a integridade e carácter, daqueles dois, para mim, reles chefes do PàF. Mais asqueroso que o Portas, acho difícil encontrar.

  11. martinhopm says:

    Dizia Francisco Assis à época líder parlamentar do PS: «O Partido Comunista é uma força política com a qual se deve contar para o futuro de Portugal (…) Um PC mais aberto, que compreenda e se adapte melhor às realidades do nosso tempo, sem prejuízo de continuar a ser uma voz mais crítica à esquerda do PS, pode ser útil numa solução governativa.»
    Em que ficamos?

    • Ernesto Martins Vaz Ribeiro says:

      O Assis dá uma no cravo outra na ferradura, mas a verdade é que o cavalo (PS) na altura, não parava quieto e mais parecia um catavento… Agora parece que se decidiu…

  12. práfrentex. says:

    o que se passa com a direita e extrema direita ,é que o medo não os deixa dormir , E se o António Costa se lembra de convidar Marinho Pinto para ministro da Justiça ?

Trackbacks


  1. […] os seus piores de sempre desde o fim da 5ª Divisão, já o escrevi várias vezes, como por exemplo aqui. Mas para além das práticas do que hoje pode caber na designação de spin doctoring, há […]


  2. […] há uns meses vi a jornalista Ana Lourenço (entretanto desaparecida dos estúdios da SIC-Notícias) a tratar Antóni…, ontem mesmo, também na SIC-Notícias, vi Ricardo Costa (irmão de António, actual […]