O verdadeiro problema está nas lideranças dos partidos políticos.

sá-Carneiro
Nestes últimos dias reli uma biografia de Francisco Sá Carneiro e alguns dos seus discursos.

Eu que acredito muito pouco nos principais actuais dirigentes do PSD questionei-me como foi possível uma deriva tão grande nos princípios, nos valores, nas causas, na ética e na coragem política que eram a força do PPD-PSD.

Francisco Sá Carneiro era mesmo um homem e um político único. Os seus discursos, o seu carisma, o seu olhar e a sua força transmitiam convicção, verdade, coerência e um verdadeiro e enorme sentido de estado.

Apenas, por isso, conseguiu fundar, com sucesso, um partido genuinamente português, fora da lógicas doutrinárias europeias puras da democracia-cristã, do socialismo ou do comunismo.

É pura evidência que estamos perante um problema grave de falta de lideranças, de homens e mulheres, que consigam voltar a mobilizar os portugueses para um grande e verdadeiro desígnio para o nosso país.

Em Espanha é notório que que está a ressurgir um novo líder político, jovem, com apenas 35 anos, carismático e convicto do seu projecto politico.  Este líder carismático é Albert Rivera e o seu partido os Ciudadanos .

Este movimento/partido político nasceu em 2006, curiosamente a partir da Catalunha, com motivações claramente independentistas. Um partido que teve a sua génese nos cidadãos direccionado para os cidadãos.

Foi fazendo o seu caminho, agora com 9 anos, mas durante anos, apenas com afirmação política na Catalunha. E hoje as últimas sondagens colocam os Ciudadanos em condições de lutarem pela vitória nas próximas eleições gerais espanholas que se vão realizar no próximo mês de Dezembro.

O nosso país precisa de novas lideranças fortes, se as máquinas partidárias dos partidos convencionais não o permitem, a ” revolução política ” terá então que ser feita de fora para dentro do sistema político-partidário.

Este foi o caminho que Sá Carneiro trilhou. Fez o seu caminho profissional. Em 1969 foi eleito deputado para a Assembleia Nacional deixando a sua indelével marca na defesa de uma mudança politica para o seu país. Fundou o seu partido, o PPD-PSD, longe da capital, a partir do Porto, tendo apenas chegado a primeiro-ministro em 1980.

Pelo meio, durante cerca de 10 anos, lutou contra muitos obstáculos e adversidades, mas nunca desistiu, nunca abdicou das suas convicções, pugnou pelas suas causas sempre com verdade, conseguindo atingir os seus objectivos políticos para o país.

Este seu longo caminho foi interrompido, 11 meses depois de ter chegado a primeiro-ministro, com sua morte prematura num acidente de viação que passados 35 anos continua sem uma explicação.

Eu também acredito que se os portugueses se quiserem envolver neste processo de mudança esta ” revolução política ” será possível de se concetizar. Mas têm que ter a consciência que este processo pode demorar anos.

O projecto politico que Sá Carneiro tinha para o seu país demorou mais de uma década a concretizar-se.

Os resultados muitas vezes nao são imediatos. As palavras persistência e coerencia têm que estar sempre presentes porque quem luta pela verdadeira mudança no seu país tem que saber que a verdade tem que estar sempre presente e que a mudança pode demorar uma geração.

Parece-me que o actual momento político evidência que esta poderá ser a última oportunidade que os portugueses poderão dar aos actuais partidos políticos.

Este é o momento para os portugueses darem início a este processo de mudança de paradigma politico na defesa do seu país.

Comments

  1. Nightwish says:

    “questionei-me como foi possível uma deriva tão grande nos princípios, nos valores, nas causas, na ética e na coragem política que eram a força do PPD-PSD.”

    É fácil, continuaram sempre com o voto dos apoiantes do clube independentemente do que fizessem

    «Eu também acredito que se os portugueses se quiserem envolver neste processo de mudança esta ” revolução política ” será possível de se concetizar. Mas têm que ter a consciência que este processo pode demorar anos.»

    Sabe, há quem vote noutros partidos por querem uma revolução política, não vão é apoiar nem votar na direita classicista que existe hoje. Para já, em quem votei vai impedir que o emprego seja cada vez mais precário e que os ordenados e pensões continuem a descer.

  2. J.Pinto says:

    E que tal mudarmos outro paradigma: se durante 40 anos andamos (o Estado) a gastar mais do que tínhamos, devíamos ou não mudar o paradigma? O problema é que mudar este paradigma não dá votos.

    Mas acreditem que a natureza encarregar-se-é de o fazer.

    • anónimo says:

      certo, certo. aliás os países mais avançados e modernos do mundo capitalista não têm dívida externa nem défice público…

      • J.Pinto says:

        Têm, sim senhor. Só não têm é 40 anos de défices. 40 ano seguidos.

    • Nightwish says:

      Já para as negociatas, contratação pública, criação de cargos, venda a saldo da propriedade pública isso não é um problema, pois não?


  3. O Assis começou a tentar mudar o PS com um jantar na Bairrada cuja ementa já se sabia que seria leitão. Porque espera o PVdaS para marcar um jantar para mudar o caminho trilhado pelo PPD/PSD? Mãos à obra que já se faz tarde; se da ementa fizer parte um cabritinho ou um cozido à portuguesa, o sucesso é já ali.

    • Paulo Vieira da Silva says:

      O problema do país não se resolve com comezainas como pelos vistos deve apreciar. Talvez tenha sorte. O Assis convide-o para o próximo almoço. E com sorte poderá ser em Amarante onde poderá comer papos de anjo.


      • Os papos de anjo estão mais adaptados a religiosos.
        Quando havia a Lailai ia lá pelos folhados. O PVdaS deve gostar mais das cavacas do São Goncalo.

  4. Rui Moringa says:

    Sr. Paulo Vieira,
    Concordo consigo. Sá Carneiro era um homem diferente, politicamente falando.
    Deixei, com a sua morte, de ser simpatizante do PSD. Não me tornei militante porque, a seguir à sua morte, já tinha percebido como se forjavam as coisas em termos de mando das concelhias e distritais. No Porto lembro-me de um tal Manuel António vindo da banca que foi desaguar na Casa do Douro, agora falida, desaparecida. Este cavalheiro já evidenciava tiques de Marco António.
    Mas discordo de si quanto às lideranças como ´”único” problema.
    As lideranças não surgem por acaso, são forjadas nas relações sociais que estabelecemos. Se aceitamos que nos paguem as quotas do partido, como podemos ser livres e dizer não quando deveríamos e gostaríamos de o fazer, por exemplo?
    Os marcos ant aparecem nas lideranças porque alguém aceita votar para isso. Se ele “manipula, desinforma, etc. temos a obrigação de não nos deixarmos manipular e desinformar.
    Sabe, frequentemente, aqueles que gritam “ladrão, vigarista” aceitaram favores e esmolas dos que acusam.
    Aceitar as mais diversas formas de esmolam leva-nos à subserviência e à vassalagem. Não seremos cidadãos.
    Pela minha parte fiquei com a minha carreira profissional sacrificada, mas são livre. Fiz e disse o que tinha de fazer sem receios. Alguns dos que afrontei temem-me porque posso sempre falar e não sou “afiliável”. Sei se me puderem fazer ” a folha, fá-la-ão na primeira oportunidade. Só temo a doença e a morte.
    As lideranças são o fruto da nossa mediocridade como Povo.

  5. José Meireles Graça says:

    Sim sim, D. Sebastião.

  6. Miguel Andrade says:

    “Este seu longo caminho foi interrompido, 11 meses depois de ter chegado a primeiro-ministro, com sua morte prematura num acidente de viação que passados 35 anos continua sem uma explicação”.

    Acidente de viação ? Acidente de aviação ? Não está provado que foi atentado ? Que Sá Carneiro e Amaro da Costa foram assassinados ?

  7. Paulo Vieira da Silva says:

    Meu caro como certamente percebeu foi erro de digitação ao escrever num smartphone. Todos os portugueses, infelizmente, sabem que Francisco Sá Carneiro morreu num acidente de aviação ainda não explicado passados 35 anos. Não tente fazer de mim nem dos portugueses ignorantes. Cumprimentos.

    • Helder P. says:

      Acho que todo os portugueses já perceberam por esta altura que foi atentado, mas enfim, mantenha-se o tabu.

  8. marau56 says:

    Por que votou na coligação? Por que votou Passos e Portas? Esta gente NÃO PRESTA! O PSD não podia ter gente pior…

  9. Nascimento says:

    Como existe a possibilidade de considerar esta Posta Honesta? Um tipo que aqui rabisca seus sonhos e que no final se porta qual “costureira sem cabeça”? Tenhamos pena do menino.Em Janeiro ele vota no mentiroso …e, depois CHORA.


  10. A religiosidade implicita em dar valor aos que já se foram não leva nada de bom. O que precisamos mesmo é de cidadãos que tomem os assuntos nas proprias mãos e que se interessem pelas mudanças que melhorem isto. Porquê aceitar que os corruptos e DDTs devem ter penas leves e residencia vigiada e o pequeno criminoso tem que ter penas severas? Onde está a sua noção de justiça que aceita isso como normal? precisa