À sueca

Márcio Alves Candoso

baralho_1

Assim ‘no escuro’, como se diz em alguns jogos de cartas, aposto que Cavaco Silva vai dar posse, com mais ou menos reacções vagais, ao Governo liderado por António Costa. Eu confesso que ‘pago para ver’ – hoje estou numa de jogo -, mas não poderá ser de outra maneira. E porquê?

Porque o Governo NÃO integra membros daqueles dois-partidos-que-a-gente-não-o-diz-o-nome. Essa terá sido a condição de Cavaco Silva para não pôr entraves à coisa – sem ‘virar a mesa’, portanto. Até porque, das forças que apoiam o Governo, quem mais perde com a ausência de PCP e BE é o PS. O que será uma pequena consolação para o refugiado de Belém, na altura de ter de engolir o sapo inovador, que é alcandorar ao poder um Governo de…. enfim, de esquerda.

Mas talvez haja ainda uma ‘carta na manga’. E esta vocês vão achar deliciosa. Numa mini-remodelação governamental, lá para o Verão ou Outono do ano que vem, pode ser que, se tudo até nem correr assim tão bem nem tão mal – o que é o mais certo, num Governo deste teor -, lá venha ver as luzes de São Bento um elemento do Bloco e outro do PCP. Isto sim, é alta intriga política!

E olhem que nem sequer falei com quem dará posse a esses – talvez – secretários de Estado. Mas se ele ler isto (e apenas no caso de ainda não se ter lembrado desta possibilidade, o que é altamente improvável numa cabecinha muito mais rápida que a minha), vai achar o máximo. Ou eu não me chame Márcio e ele Marcelo!

Ok, admito, estou a fazer um bocado de ‘bluff’. Mas para que lado?… Alguém arrisca ‘meter a cave’?