Carta de Marcelo Rebelo de Sousa a Marcelo Caetano, um ano antes da revolução

Excelentíssimo Senhor Presidente (do Conselho),

Excelência,

Pedindo desculpa do tempo que tomo a Vossa Excelência, vinha solicitar alguns minutos de audiência (…). Seria possível, Senhor Presidente, conceder-me os escassos minutos que solicito? (…) Acompanhei de perto (como Vossa Excelência calcula), as vicissitudes relacionadas com o Congresso de Aveiro, e pude, de facto, tomar conhecimento de características de estrutura, funcionamento e ligações, que marcam nitidamente um controle (inesperado antes da efectuação) pelo PCP. Aliás, ao que parece, a actividade iniciada em Aveiro tem-se prolongado com deslocações no país e para fora dele, e com reuniões com meios mais jovens.

Como Vossa Excelência apontou, Aveiro representou, um pouco mais do que seria legítimo esperar, uma expressão política da posição do PC e o esbatimento das veleidades «soaristas».

O discurso de Vossa Excelência antecipou-se ao rescaldo de Aveiro e às futuras manobras pré-eleitorais, e penso que caiu muito bem em vários sectores da opinião pública.

Com os mais respeitosos e gratos cumprimentos,

Marcelo Rebelo de Sousa

(in «Cartas Particulares a Marcello Caetano», organização e selecção de José Freire Antunes, vol. 2, Lisboa, 1985, p. 353 via Abril de Novo Magazine)

Foto via LusoPT News

Comments

  1. Afonso Valverde says:

    Não surpreende nada. Acha-se de uma eloquência acima de tudo e de todos.
    Enfim, um camaleão perfeito.
    Há muitos mais na praça política, ou mercado da política.
    Estamos mal…

  2. De reaccionário militante. says:

    Basta ver o resultado das ultimas eleições !

    38% são fascistas….


  3. Humberto Delgado fez um dos maiores elogios escritos ao fascismo do Estado Novo e a Salazar, quando era jovem. Quando somos novos é natural alguns disparates.


    • MRS não era propriamente uma criança quando escreveu esta carta. E nem dois anos depois já agitava a bandeira da democracia para os lados da São Caetano.


      • Tinha 25 anos e não me parece que fizesse a apologia do fascismo. Humberto Delgado tinha 31 anos e ainda continuava defendendo por escrito, sem ninguém lhe pedir, o fascismo, o Estado Novo e Salazar. Depois mudou de ideias. Acontece a muitos e ainda bem! Quando se candidatou à presidência teve toda a esquerda, com excepção do PCP, do lado dele.


        • E Cavaco Silva tinha 28 anos (1967) quando se declarou “Integrado no actual regime político. Não exerço qualquer actividade política”, em documento dirigido à PIDE. Isso não obstou a que viesse a ser o grande defensor da liberdade (dos mercados) e da cultura (de interesses), ao longo de 3 décadas de vida dedicada à causa pública (e privatizada)…

        • António Ferreira says:

          Xico !O PCP a princípio apoiava a candidatura de Arlindo Vicente. Mas depois este desistiu e juntou-se á candidatura de Humberto Delgado. Que o PCP passou a apoiar.Há que falar verdade e não parte desta. E antes de ir aquela fatidica emboscada montada pela PIDE, o PCP tentou demovê-lo de o fazer. Tudo o resto são fantasias.
          A.Ferreira

          .

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.