Marcelo dá dois péssimos exemplos ao país

MRS

Marcelo Rebelo de Sousa deu hoje dois péssimos exemplos ao país. Conduzindo o seu veículo com uma equipa de reportagem da SIC ao seu lado, o novo presidente da República viajava sem cinto de segurança, uma péssima lição do professor que se prepara para ser o primeiro representante de uma nação onde a sinistralidade rodoviária ceifa anualmente centenas de vidas. Chegado ao seu destino, Marcelo estacionou num lugar reservado a deficientes, um acto de enorme desrespeito num país onde a chico-espertice faz multiplicar este tipo de comportamento, prejudicando diariamente muitos portugueses que se confrontam com o problema da mobilidade reduzida.

Sim, tudo isto é mesmo muito grave. E quando o exemplo que vem de cima é este – veio-me imediatamente à memória o episódio da campanha das Legislativas em que a caravana do PàF decidiu parar numa via equiparada a auto-estrada em Famalicão, com dezenas de apoiantes no meio da estrada, numa demonstração de absoluta irresponsabilidade e em clara violação da lei, apenas para filmar um vídeo de propaganda, que curiosamente já desapareceu, não sem antes terem sido guardadas algumas provas para a posteridade – não nos podemos admirar por ver o civismo pelas ruas da amargura.

Fotomontagem via Bocage 2.0

Comments

  1. Fernando says:

    e há um terceiro “péssimo” hábito de Marcelo. Esquece-se de baixar a tampa da sanita.

    • ernesto Martins vaz ribeiro says:

      Já agora com tantos conhecimentos sanitários diga lá se ele puxa ou não o autoclismo. Assim ficávamos todos mais cultos …


    • fantasias na casa-de-banho do senhor presidente?

  2. Joam Roiz says:

    Ainda nem começou a exercer o cargo e já começou a abusar dos privilégios. Esta escumbalha renova-se permanentemente. Sai um mau e entra outro ainda pior. Dizem que é o povo que quer assim!

    • Camaradas says:

      Só quando o povinho acéfalo escolher um dos nossos é que estes casos deixam de acontecer.


  3. Arranjem uma vida!

    • António Luciano says:

      Já agora dava uma prova de civismo estando calado, já que o seu comentário demonstra que aprova a atitude de Marcelo.

  4. Flor do Liz says:

    Não votei no Sr Professor Marcelo, mas deixem o senhor em paz, ainda não tomou posse, mas já o começam a crucificar.

  5. luis says:

    O conduzir sem cinto é um problema que só tem a ver com a segurança do Marcelo, agora o estacionamento em lugar reservado a cidadãos com deficiência, vindo de um presidente eleito, é um péssimo exemplo e revela uma falta de civismo que é incompatível com o cargo que irá desempenhar.
    A utilização desses lugares reservados obedece a regras muito rigorosas, que passam pela presença do cidadão a uma junta médica, acompanhado de relatórios e certificados médicos vários, pagando 50 euros, para obterem um atestado multiusos que lhes permite, entre outras coisas, requisitar ao IMTT um dístico que tem de ser aposto em lugar visível no veículo, quando este está estacionado em lugar reservado a deficientes motores.
    Infelizmente não é só o Marcelo que tem essa insensibilidade – qualquer cidadão que se dê ao trabalho de percorrer qualquer cidade portuguesa, verifica que esses lugares raramente estão ocupados por veículos identificados pelo dístico azul.
    Para algo mudar em relação a isso teríamos de ter uma polícia mais sensibilizada para os direitos dos cidadãos com deficiência actuando, como lhe compete, na defesa desses direitos.
    (E Espanha aqui tão perto, onde estas coisas são punidas com bastante severidade).
    A “distracção” dos condutores como Marcelo, isentos de censura pública, levam a que muitos cidadãos com deficiência motora se vejam privados de um direito essencial que lhes permite melhorar um pouco a sua mobilidade e qualidade de vida.

  6. Afonso Valverde says:

    A maioria de metade elegeu o homem, agora aguentem-no.
    Da minha parte tenho que aguentar o que escrevem e noticiam sobre ele.
    é sabido que ele é um manipulador incorrigível e um manca mulas (manhoso). Faz para da chamada elite da redes de influência. O “folclore” continua…

    • Ernesto Martins Vaz Ribeiro says:

      Perfeito.
      Nem mais. Parabéns por ser curto e incisivo.


  7. Nada mais a acrescentar, o povo elegeu e como é ele quem mais ordena, agora tem de aguentar. O pior, é que a sua crassa ignorância também nos cai em cima…


  8. E segundo li, quando voltou para Cascais percorreu a A% en contramão. Gravissimo e não foi multado.