11 comentários em “Outro fascista!”

    1. Gostam de incendiar em blogues e afins. Já a falta de pluralidade em muita da comunicação social privada em Portugal não lhes interessa. Podiam estudar também o caso da ‘livre’ imprensa no Brasil, que desde apoio e permanente respaldo a ditaduras militares, e manipulação informativa escandalosa no sentido de eleger um candidato, Collor de Melo, em 1989, ao papel actual que está a ter no cenário político brasileiro, também poderia merecer reparos…
      Só que não. A Coreia do Norte é mais divertida.

      1. A falta de pluralidade de muita da CS privada em Portugal é um facto. Seja o Público seja o Observador. Mas da CS do Estado é igual. O que ainda não vi foi alguém defender o encerramento da CS da direita ou da esquerda. Apenas isso.

  1. Orlando meu caro amigo e camarada aventador, percebo que te mova a aversão ao Pablo Iglésias e ao PODEMOS, mas não foi bem isso que ele disse. O que ele disse foi que o problema é a existência de comunicação social privada que serve interesses privados de multimilionários. Mais à frente disse mesmo que defende a existência paralela de imprensa estatal e imprensa não estatal, que pode partir da iniciativa de associações, sindicatos, organizações estudantis e por aí fora. Ora uma associação cultural ou uma associação de estudantes, num país democrático, não são estruturas dependentes do Estado. Acho que é por aí. Eu vivo bem com a comunicação social privada, mas acho que deviam ser sujeitas a regulação verdadeira e coimas pesadas em caso de manipulação de informação. Infelizmente, vivemos num regime de impunidade e muita da nossa imprensa limita-se a manipular a população.

    1. LOL! Meu amigo João! O Podemos não me incomoda mesmo nada, e digo mais, fazem falta cá no nosso rectângulo partidos como esse. Teríamos todos a ganhar. Claro que a CS privada serve interesses (milionários e/ou outros). Qual a novidade? Por outro lado a CS do Estado comporta-se da mesma maneira, basta ver a RTP. Quanto à existência de imprensa não estatal, partindo de associações (culturais, de estudantes, sindicatos, etc), nada há a impedir.Quanto à regulação da CS isso é que seria um debate interessante, nomeadamente sobre quem manipula quem, e o quê.. Veja-se o caso do Público, por exemplo, no editorial a “mandar” calar o Sócrates. Nesta área não há inocentes e as fronteiras são muito porosas. Agora defender o encerramento de imprensa só porque serve interesses milionários………é o argumento do Rui Rio (outro fascista) quando atacava de forma violenta o JN.
      Abraço!

    2. Portanto o que Pablo disse foi que a imprensa privada é manipuladora, já a imprensa estatal, a das associações culturais e as associações de vizinhos, sindicais, etc, não são. Eu que já li alguns Avantes, que participei em reuniões de associações de vizinhos e moradores (tentem contrariar a opinião geral de uma associação dessas), digo que prefiro escolher quem me manipula. As ideias de Pablo Iglésias são velhas e só convencem quem tem memória curta, pouca conhecimento do passado ou tem alzheimer. É uma retórica que só serve para chocar o ovo da ditadura.

  2. Não concordo com a classificação de Fascista. Pablo Iglésias é Marxista. Entre as duas ditaduras que venha o diabo e que escolha.

    Rui Silva

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.