Trabalho de campo

No esplêndido Steigenberger Grandhotel Belvédère – centro espiritual do Fórum Económico Mundial (FEM) desde que, em 1971, Klaus Schwab decidiu criar este encontro em Davos, a mais alta cidade da Europa – alojam-se, a cada ano, alguns dos mais eminentes participantes do FEM.

Este ano, discutem aquelas que são as grandes preocupações da alta finança e das elites políticas: as alterações climáticas e o aumento da desigualdade de rendimentos e de património.

Para tão íngreme e essencial missão, chegam e partem nos seus aviões privados, que queimam, numa hora, aproximadamente o mesmo combustível que um automóvel durante um ano inteiro.

E instalam-se nas luxuosas suites do Grandhotel, onde são servidos por exércitos de funcionários, muitos deles trazidos expressamente de vários hotéis parceiros espalhados pelo mundo, e que passam as suas poucas horas livres amontados em quartos onde dormem cinco pessoas, em beliches.

Como habitualmente, ficaremos a aguardar com reverencial anseio as conclusões que sairão deste Fórum.

Comments

  1. Ana Moreno says:

    Boa malha Carla! E os políticos que lá estão, vão bater palmas a tudo, como têm feito, e voltam depois aos seus postos para continuarem a implementar as medidas destinadas a reforçar mais ainda o domínio dos ricos sobre todos os outros.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.