A valorização dos fatos: enquanto houver Egipto, há efectivamente esperança

We’ve got five years, what a surprise.

David Bowie

If you wanna get to heaven, gotta D-I-E

you gotta put on your coat and T-I-E

Curtis Buck/Waylon Jennings

Σωκράτης … τῆς Αἰγύπτου…

— Platão, “Fedro

***

Passado um lustro (e muitos meses), com algumas saudáveis e louváveis recaídas (como diria Hollande, há sempre «des rechutes possibles»), eis que surge ortografia no jornal da silenciosa resistência, da grafia rasca, da grafia inadmissível.

Exactamente, há redação e seleção. Todavia, enquanto houver Egipto, há efectivamente esperança.

Os meus agradecimentos àquele excelente leitor.

Quanto ao sítio do costume, como é habitual, nada de interessante a declarar.

Outra vez.

***

Comments

  1. ZE LOPES says:

    Desculpe lá, ó Valada: por que razão embica tanto com os fatos se se apresenta sempre aperaltado com os ditos? E gravata?

  2. João Barroca says:

    De facto, enquanto algumas consoantes ditas mudas persistirem nos textos dos que usam os fatos e nos textos dos que não usam os fatos, haverá esperança.

Trackbacks


  1. […] depois da óptima, o projecto. Enquanto houver projecto e Egipto, há […]


  2. […] da esperança em forma de Egipto, eis os contatos do Glorioso e o centro de contato do […]

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.