A Operação Marquês segundo a SIC

Nos últimos dias a SIC emitiu uma série de reportagens sobre a Operação Marquês. Ficam aqui, para vossa conveniência, essas reportagens:

2018-04-16 – Arguidos da Operação Marquês têm até 3 de setembro para pedir abertura da instrução

2018-04-17 – A conta 006 da Operação Marquês

2018-04-17 – “Oui, Monsieur – O Saco Azul do Marquês” (Parte I)

2018-04-17 – “Oui, Monsieur – O Saco Azul do Marquês” (Parte II)

2018-04-18 – Os detalhes da investigação SIC – debate

2018-04-18 – O amigo do senhorio: uma viagem aos gastos de Sócrates

A SIC tem uma página dedicada à Operação Marquês que podem consultar aqui.

Já agora, fica a minha opinião: o Sócrates é culpado quanto baste, podem ir buscar as penas e o alcatrão. Isto não me surpreende nada. Pena ser tudo tão lento.

Há também o caso curioso do segredo de justiça. Isso é exactamente o quê?

Edição: Acrescentei mais um vídeo “O amigo do senhorio: uma viagem aos gastos de Sócrates”.

Comments


  1. “Já agora, fica a minha opinião: o Sócrates é culpado quanto baste, podem ir buscar as penas e o alcatrão. Isto não me surpreende nada. Pena ser tudo tão lento.”

    É para você pensar assim que servem estas reportagens e existem as Cambridge Analytica.
    E é por isso que Trump é Presidente dos USA e o sim ao Brexit venceu.

  2. Bento Caeiro says:

    O BARBEIRO DA MINHA ALDEIA

    “Há também o caso curioso do segredo de justiça. Isso é exactamente o quê?”

    Trata-se de uma grande povoação nos idos dos anos 60, Sábado, dia da barba e cabelo e de um certo relaxo. Todos sentados no banco e o barbeiro lá vai no seu ritmo cortando e ouvindo aquele que nesse momento está sentado.
    Diz o que naquele momento está sentado – proprietário abastado, dono de grandes rebanhos de ovelhas e outro gado: «É como te disse, as ovelhas não estão em grande estado, por isso preciso de as vender e tu vais dizer a cada um que aqui se sentar que eu estou com problemas de dinheiro e, calhando, até vou precisar de vender o rebanho; também vais recomendar, a cada um que aqui se sentar, que vá depressa ter comigo, porque outros poderão vir a saber e assim vai perder um grande negócio; também vais dizer que o estado em que o gado está, magro – da maleita não vais falar -, se deve ao facto de eu não ter dinheiro para lhes dar de comer e tratar».
    Mas, observa o barbeiro, quando eles verem que o gado está, para além de magro, cheio de maleita, vão ficar aborrecidos comigo; eu é que as vou pagar.
    «Qual quê, quando isso acontecer apenas vais dizer que foram as pessoas que aqui vieram que te contaram, porque tu da minha boca não ouviste nada e também, foi tanta a clientela naquele Sábado, que não sabes quem tal novidade te contou».
    Bom, sendo assim que ganho eu com o negócio? Pergunta o homem das barbas, e cabelos, aos Sábados. «Para ti, porque eu assim tenho a certeza que vou conseguir o pretendido: livrar-me desse rebanho e da maleita, porque só vou vender a quem esteja bastante afastado das minhas terras – vais escolher as que quiseres dos meus outros rebanhos sadios. Mas não esqueças, tudo o que disseres, foi-te dito em segredo, por já não sabes quem, mas o dono do rebanho, eu, não foi de certeza – até porque nesse dia não esteve cá. Pelo que sabes, o malvado até foi cortar a barba e cabelo a outro lado».

    A história teve o seu desenvolvimento: mas posso dizer que o dono do rebanho conseguiu o que pretendia – impingir o rebanho a outro; o barbeiro conseguiu um pequeno rebanho. Só o desgraçado que, pensando ganhar alguma coisa com o negócio, perdeu: esse rebanho morreu quase todo e, para sua agrura, transmitiu a maleita aos que já tinha. O abastado lavrador e o barbeiro até os têm vistos em férias juntos lá para os lados do Brasil.

    Desta forma e, agora, já preparado, poderei dizer, o segredo de justiça é: leia o anterior.


  3. Conveniência de quem? Pensava que estava num Estado de Direito e que se julgavam pessoas em tribunal. O autor deste post acha isto conveniente porquê?


    • Ora, não se está mesmo a ver?! É a mesma conveniência que a SIC viu…
      Eu não voto PS, mas se votasse, se calhar no boletim de voto na quadrícula do PS iria ver a foto do Sócrates…ou, talvez não!
      É que nem toda a gente confunde a árvore com a floresta!
      Pois árvores “com bicho” não faltam, também, no Laranjal!

  4. esteves, ayres says:

    Já que se fala em aldeia, no tempo do meu avó paterno, um republicano convicto, dizia-me nas noites de serões de família (não havia TV e rádio). Dizia-me: “Sabes o que é que nós ( eu tinha para ai, oito anos) fazíamos aos senhores que se portavam mal”? Não! “Com uma corda atava-os a uma arvore e deixávamos por lá toda ao noite”! Se fosse hoje não sei que ele me diria! Provavelmente mandava-os para a suíça/sibéria ….


  5. Hélder Guerreiro

    “E estamos no mês do 25 de Abril, um ato realizado para que os portugueses fossem considerados cidadãos com direitos, não sujeitos ao arbítrio de funcionários judiciais!
    Eu, para que não restem dúvidas , sou contra este entendimento de ausência de direitos. Já era contra os tribunais plenários. Lutei para os extinguir. Sou contra os tribunais Teixeirais. A peçonha resiste. O Teixeira é como as baratas. (Carlos Matos Gomes-18 de Abril de 2018)

    “O Sócrates é culpado quanto baste, podem ir buscar as penas e o alcatrão” (Hélder Guerreiro-19 de Abril de 2018)

    Não é pela culpa ou não do Sócrates, que estas “reportagens” da SIC (que você veículou com evidente prazer…) me preocupam enquanto cidadão, e parece-me que deviam preocupar todos os cidadãos que não tenham memória curta…

    Quando você embandeira em arco, deita foguetes, e faz as afirmações que faz, pergunto-lhe :

    Quando a “justiça” do Ministério Público está entregue a “baratas” em roda livre e, perante a difusão dos vídeos, a Procuradora Geral da República, “afirma-se muito incomodada com o crime” (sic) e entrega um anunciado inquérito, nas mãos do próprio M.P., (o mesmo é dizer, “entrega a capoeira à raposa”…) que garantia o cidadão responsável e preocupado tem, de que o “inquérito” seja imparcial e independente ?

    Por exemplo : Será assim tão difícil, em interrogatórios em que, normalmente os “Interrogadores”, são dois ou pouco mais, identificar “a barata” culpada do crime de fugas cirúrgicas de informação, para os vários correios da manha, o expresso, e agora a Sic ?

    E porque até agora, que se saiba, nenhuma “barata” foi identificada e punida ?

    Protegem-se corporativamente umas às outras, porque “se hoje és tu, amanhã posso ser eu” ?

    E se, culpado ou não, o cidadão Helder Guerreiro, fosse apanhado (longe vá o agouro !) nas malhas desta “justiça” de “baratas” e a turbamulta desejosa “de sangue”, começasse a aprontar-lhe o balde de alcatrão e as penas ?

    Pois é ! Àcido sulfúrico no cú dos outros, para mim…é como um refrescante e delicioso “martini”…


    • https://www.sabado.pt/portugal/detalhe/matar-por-ciume-nao-e-um-motivo-futil-diz-tribunal-de-guimaraes?utm_campaign=Notificacao&utm_medium=email&utm_source=PushChrome

      E aqui está como funciona uma “barata” em Guimarães, mas desta vez, com “bonomia e comiseração”, talvez até “conselhos paternais”, (oh, pá ! O que fizeste foi “muito reprovável”, pá !) substituindo uma sentença de seis anos de prisão efectiva, por cinco de pena suspensa, a um “menino” que tentou, por ciúme assassinar a namorada com um facalhão !

      Ou aquela outra “barata” que condenou a pena suspensa os dois criminosos que agrediram uma mulher com uma moca de pregos, com a “justificação” de que a vítima, se fosse em “certos países” era delapidada até a morte ! A “sorte” que a mulher teve em ser portuguesa, e confrontar-se com uma “barata justiceira”…

      Cá por Lisboa, as “baratas”, essas são muito mais coerentes…

      E fazem “as delícias” do Helder Guerreiro !

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.