Quando a Justiça portuguesa se transforma em novela mexicana

O juiz Ivo Rosa não confia no juiz Carlos Alexandre. Este não suporta o outro. O Ministério público prefere Carlos. Ivo fica de pé atrás. Pelo caminho Ivo, o rejeitado, desconfia de batota no sorteio da “Operação Marquês e na dos “Vistos Gold” a favor de Carlos e envia certidão para a PGR (Procuradoria Geral da República) que, por sua vez, só confia em Carlos. Crime diz Ivo. O Conselho Superior de Magistratura diz que é falso. E já tinha arquivado uma queixa de idêntico teor contra Carlos.

#VaiFicarTudoBem

(foto Lusa/Mário Cruz/POOL)

Comments

  1. Rui Naldinho says:

    A justiça portuguesa tornou-se numa farsa há muitos anos. Este episódio foi apenas o epílogo.

  2. Filipe Bastos says:

    Por falar em novela, o Trafulha foi à TV fazer novo choradinho.

    Foi tão triste que nos interrogamos: como pode alguém prestar-se a fazer esta figura? Quão narcisista, quão doente, quão alheada da realidade tem de estar aquela cornadura?

    Mais importante: como pode o FDP voltar amanhã calmamente à sua caminhada ao lado da praia? E com a cornadura intacta?

    • Paulo Marques says:

      Bastante. Mas, como diria qualquer advogado a qualquer suspeito, tá calado ou só te enterras, por isso deixem-no continuar a contradizer-se.

  3. POIS! says:

    Cena dos próximos capítulos:

    A Polícia Judiciária mete-se em campo e faz três importantes detenções: um calendário, uma bola branca e uma bola preta.

  4. Paulo Marques says:

    Ui, e então as traições de Júdice e Garcia Pereira ou os amores confusos de Marinho Pinto e MST?
    Ou isso, ou são questões de direito, mas a conspiração sabe sempre melhor.

Leave a Reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.