O meu Tom Tom, a Direita e as Direitas

O surgimento do Chega envergonha a minha direita. Sempre soubemos que eles “andavam por aí”, nalgumas conversas de café, no átrio de algumas empresas, nos corredores de algumas universidades. Com o Chega perderam a vergonha. Aliás, para ser justo, com as redes sociais perderam a vergonha e com o Ventura fizeram matilha. A minha direita sempre temeu que esta malta saísse da caverna. E porquê? O meu velhinho Tom Tom já vai explicar.

A minha direita, defensora dos três pilares fundamentais da sociedade (Liberdade, Igualdade e Fraternidade) sabia que, com o surgir do Chega, outras direitas aproveitariam para atiçar a matilha e colocarem os gajos das cavernas a fazer aquilo que eles não queriam fazer/dizer e, com isso, como bem me avisou o meu Tom Tom, servirem de ponto de defesa para uma outra esquerda continuar a ser aquilo que sempre foi. A minha direita não precisa de comparar o Chega com o PCP. A minha direita sabe muito bem o que historicamente as ideias do Chega representam. Tal como sabe muitíssimo bem o que historicamente representa o comunismo internacional em geral e o PCP em particular.

A minha direita considera o Partido Socialista como um partido de esquerda, de centro esquerda para ser mais preciso, e que Mário Soares foi um estadista a quem todos nós, democratas, muito devemos. A minha direita sabe, até porque tenta ser realista, que não existem Homens perfeitos e sendo as ideologias criados por Homens naturalmente que terão as imperfeições próprias dos seus criadores. Porém, toda e qualquer ideologia que não assente nos três pilares que consideramos fundamentais e fundacionais de uma democracia não entram na rota que o nosso Tom Tom estabelece para a nossa vida em sociedade. E por isso, somos profundamente duros com a matilha “dos Chega, Vox e quejandos” mesmo quando eles, como poderá ser o caso do Ventura, não sejam consistentes. Podem não ser mas abrem as portas e as janelas ao perigo. Essa razão basta.

A minha direita, que é liberal nos costumes mas conservadora na economia, é a mesma que defende, por exemplo, que o Ensino, a Saúde, a Justiça ou a Defesa devem ser garantidos pelo Estado e que a única diferença é que aceitamos que o Ensino e a Saúde sejam tendencialmente gratuitas – porque sabemos que se aqueles que podem pagar paguem uma parte, tal significa que os que não podem estarão mais protegidos. A minha direita sabe que a criminosa invasão da Ucrânia é criminosa e é uma invasão. Como sabe, igualmente, que a Ucrânia não era o paraíso na terra (se ele existe, avisem) mas que essa não é a discussão neste momento nem nesta fase. A minha direita sabe, e sabe-o bem, que se foi Putin que criou os oligarcas foram os ocidentais (entre outros) que os alimentaram, que os engordaram e com isso ajudaram o monstro.E que essadeve ser a batalha seguinte. Da mesma forma que a minha direita sabe, como sabem todos aqueles que estiveram atentos ao que foi dito, que as posições do PCP neste acontecimento foram o que foram. Foi Miguel Tiago a gritar as mesmas aos quatro ventos e a repetir e repetir e repetir. Foram João Oliveira e João Ferreira do PCP a dizer o que disseram. Com todas as letras. Como a minha direita sabe (e disse-o) a hipocrisia do Chega que ontem era financiado pelos filhos de putin e hoje faz de conta que nada se passou. A minha direita não tem ilusões nem com oligarcas russos nem com capitalistas selvagens ocidentais ou sheiks dos petrodólares, para nós a merda é a mesma, só o cheiro é que é diferente.

Somos uma minoria na direita portuguesa? Somos. Mas existimos e não, não nos metam a todos no mesmo saco. A nossa direita é melhor ou pior? Não sabemos. Para nós é apenas a defesa da Liberdade, da Igualdade e da Fraternidade. Três pilares criados por Homens e, por isso, imperfeitos pela certa. Não nos venham pedir para ser fofinhos com aqueles que nos querem matar. Sejam eles netos do Adolfo ou do Estaline, netos do Pinochet ou do Mao. E porquê? Porque para nós eles são como a distinção entre oligarcas russos ou capitalistas ocidentais anteriormente descrita.

E agora, se não se importam, vou ali carregar a bateria do meu Tom Tom.

 

 

Comments

  1. JgMenos says:

    A tua direita anda a lamber as botas à esquerda há demasiado tempo.
    Parece ter acordado com o Chega mas não chega a saber-se o que seja.
    Enquanto não descobrem o que sejam vai dizendo ‘somos profundamente duros…’ não vá a esquerdalhada chamar-lhes fascistas, apesar de o fascismo ser uma doutrina ligeiramente mais inteligente que o socialismo!!!

  2. Paulo Marques says:

    Espera, espera, o problema do PCP é dizer que há culpas em vários lados, mas é importante dizer “que se foi Putin que criou os oligarcas foram os ocidentais (entre outros) que os alimentaram, que os engordaram e com isso ajudaram o monstro”? E isso não é embirração primária?
    Nem inventado.

    • Paulo Marques says:

      A sério que não há diferença entre Guerreiro, sim senhora, a seguir o script que indicou, no outro post, e todos os outros (relevantes, até a Varela em alguma medida), que nem por isso?
      É pá. Só posso dizer que, genuinamente, não entendo.

  3. Pedro Costa says:

    Tanta coisa sobre a sua direita e o anátema do Chega (inseminado, parido e acarinhado pela sua direita, nomeadamente por Passos Coelho) com o único propósito de atingir o PCP…

  4. POIS! says:

    Pois é!

    Como diz o célebre “penseur” gaulês Moriére de Çá:

    “ma droite est belle, les gens de droite est que donne cap d’elle”;

    seguido do não menos profundo “pensée”, “ma droite, par pudeur, n’existe pas”.

    Que “savant” é este “penseur”!

Leave a Reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.