Cavaco Silva e PSD, defensores do Apartheid

Em 1987, Cavaco Silva votou contra a resolução da ONU que exigia a libertação imediata de Nelson Mandela, alegando, mais tarde, que o texto continha “um incentivo à violência”.

Em 2022, o grupo parlamentar do PCP votou contra a vinda de Volodymyr Zelenskyy à Assembleia da República, alegando que a sua presença no hemiciclo contribui para a escalada do conflito.

À luz da narrativa dominante, que considera que o PCP está ao serviço da Federação Russa e de Vladimir Putin, validando os seus métodos, é legítimo considerar que o PSD esteve ao serviço do regime do Apartheid, validando o racismo, a segregação e a tirania do regime sul-africano de então. Portanto, se o PCP é o partido do Kremlin, o PSD é o partido do Apartheid.

Comments


  1. Tenho dificuldade em encontrar quem, no PCP, defenda Vladimir Putin ou os seus métodos. Não creio que alguém ouse tanto.
    Parece-me, antes, que o Partido de agora tem uma inultrapassável apetência por ditaduras, contrariamente ao que sucedia com os comunistas portugueses de outrora que tanto de si deram para derrubar a que tínhamos por cá.
    O PCP não passa, hoje, de um empregador de dirigentes despóticos e tirânicos, que subtraem dos jovens a capacidade de se mostrarem lúcidos e esclarecidos, impondo-lhes arquétipos anquilosados de teorias políticas e económicas desfasadas no tempo e no lugar, além de, nem no tempo e no lugar para que foram pensadas terem – para alguém além dos que, pela força, as implementaram – dado proveito.
    A tirania dos patriarcas comunistas de hoje é, em muitos aspetos, comparável à dos patriarcas ciganos, como desenvolvo em https://mosaicosemportugues.blogspot.com/2022/04/ciganos-e-pcp-iguais-em-que.html?showComment=1649681984899#c8087053250503235059, que tenho o gosto de convidar a visitar e comentar.
    Votos de uma excelente semana!

    • Paulo Marques says:

      Olha, ainda não tínhamos chegado ao nível cigano-bolchevismo, a nova versão frenológica, os meus parabéns.

  2. Rui Naldinho says:

    Cavaco Silva representa o calculismo político não sua versão mais perfeita e cínica.
    Até inventaram hoje o termo “iliberal”, coisa linda, estes nomes pomposos!
    Para mim só há liberais, democratas, libertários, em contraponto com os déspotas, autocratas, ditadores, absolutistas, tiranos. Enfim, então também podemos interpretar Cavaco Silva como um ser “amoral”.
    Claro, Cavaco sendo um falso moralista, não é propriamente um ser imoral. Sendo um falso liberal, não é também um iliberal.
    A sua moral e o seu liberalismo nunca existiram. Existe sim o sentido de oportunidade. O calculista político. Aquilo a que na gíria se denomina:
    “Arriscar pela certa”. Como se o risco fosse algo previsível ou perceptível, e não uma questão de sorte.
    António Costa em certa medida também o é. Ainda que partindo de uma estratégia com contornos algo diferente, da de Cavaco.
    Cavaco atirou o Bloco Central ao tapete, após o congresso da Figueira da Foz, tirando claro benefício disso e da indefinição do PS em termos ideológicos. Não nos esqueçamos que foi nessas eleições que emerge o PRD.
    António Costa “matou o borrego”, como se diz no futebol. Pela primeira vez chegou ao poder com o apoio do PCP, mais até do que o do BE. Coisa impensável nos 40 anos anteriores. Transformou uma derrota política numa enorme vitória.
    Apesar de tudo acho Costa uma personalidade mais sincera e menos cínica do que Cavaco. O Farisaísmo é um atributo da direita.

    • Rui Naldinho says:

      Qual a razão para este meu comentário?
      Até no caso Mandela, tal como no caso Salgueiro Maia e no caso José Saramago, Cavaco nunca se demarcou dos fascistas que sempre estiveram e mandaram dentro do PSD. Os mesmos que o elegeram.
      Ou vocês acham que o Chega e a IL foram uma invenção da modernidade?
      Na, não foram. Sempre estiveram no PSD.
      Saíram foi do armário, como se no passado fossem uma espécie de filhos de um Deus menor. Mas pior. Não só perderam o medo como perderam a vergonha.

  3. Joana Quelhas says:

    Este anacrónico comunista transmutado em democrata continua a suas homilias aqui no aventar.
    Triste figura !
    Continua a usar as velhas técnicas de meias verdades , mentiras e mistura de conceitos/factos/argumentos numa dialética que visa confundir a mente de quem o lê.
    O crença no dogma comunista é tão grande que não se dá conta que hoje em dia o mundo mudou. Antigamente nos seus tempos áureos, o comunismo podia enganar e dissuadir e manipular informações .
    Mas hoje o cenário mudou.
    A informação e o mercado livre de ideia está à distancia de um teclado de computador e de uma ligação à Internet.

    Portugal teve razão em não votar essa resolução da ONU. Aliás também os EUA não votaram, e não venham dizer que os EUA são Fascistas se não querem cair no ridículo.
    Tanto tinham razão EUA e Portugal (e os outros países que agora não me ocorrem os nomes) , que a resolução foi alterada e depois sim foi votada tanto por Portugal como pelos outros …

    Estes comunistas disfarçados de democratas perderam esse grande poder de manipular informação , e ainda não perceberam.
    Continuam desesperadamente a “pregar” , mas os fieis estão a tornarem-se infiéis.
    Ainda não caíram na real , ainda não se deram conta que até do parlamento acabaram de levar um chuto que pôs uma data deles desempregados .
    Nas próximas legislativas a purga pelo voto livre continuará. Não vai haver “Polígrafo” e Leis de “Discurso de Ódio” que vos proteja.
    A única esquerda que irá restar será aquela que fizer os fretes aos capitalistas sedentos de proteção estatal para proteger os seus “Negócios”.

    Joana Quelhas

    • Rui Naldinho says:

      Para ti, toda a esquerda é má. Vais é ajustando o teu discurso em função das circunstâncias. É e foi sempre assim.
      Talvez não te lembres, mas eu ainda me lembro do velho PS ser o tampão contra o perigo comunista e soviético. O mesmo PS que lutou contra o fascismo.
      A esquerda que tu dizes ter perdido, passou uma boa parte do seu ideário para as mãos do PS, não fosse dar-se o caso de os teus amigos voltarem a ganhar fazendo-nos regressar à Troica.
      Ainda não vi ninguém à esquerda a carpir mágoas. Aceitaram esse desiderato como um mal menor.
      Claro que o eleitorado de esquerda votou útil. Alguns até podem sentir que perderam alguma coisa. Mas para bom entendedor só há um perdedor. A direita bafienta e fascista, que como tu, se movimentam para regressar ao poder e transformar esta merda, num país como a Hungria ou a Polónia.
      Vais ter de esperar. Espero que uma eternidade.

    • POIS! says:

      Pois é, ó Quvelhass!

      Citando Vosselência:

      “A informação e o mercado livre de ideia está à distancia de um teclado de computador e de uma ligação à Internet”.

      Onde é que a gente já leu isto?

      Vosselência é tão eficiente a copiar/pastar que até repetiu a posta de pescada sem se aperceber que tem erros!

      Aliás, já aqui tive ensejo de elogiar a profundidade de pensamento de tão elaborada afirmação. Mais profundo só o Canhão da Nazaré, e só na maré alta!

      “A informação..à distância de um teclado…”. Sublime! Que espantosa imaginação! isto é mais que filosofia, é pura poesia!

      Nem me espantaria que, afinal, Joana Quelhas fosse um heterónimo travesti do outro.

      Sim, daquele que escreveu o poema sobre as pedras do caminho apanhadas para fazer castelos depois de ter apanhado um grandessíssimo trambolhão.

    • Paulo Marques says:

      Ah, bom, o corporativismo já é aceitável, porque sabe que a China é quem ganha com tudo isto. Sempre lê.

  4. estevesayres says:

    Vou tomar liberdade publicar o texto por entender ( e o que se vai passar), deveria merecer da nossa parte, a nossa maior atenção, e assino por baixo , autor identificado…
    “Um presidente que se propõe condecorar o contra-revolucionário António de Spínola, ao mesmo tempo que manda abrir as portas do parlamento a um presidente estrangeiro apoiado e mantido em funções por um punhado de nazis, só pode ser, ele próprio, um subproduto dum passado colonial-fascista que lhe está impregnado no sangue…”!
    E foram as afirmações do pateta João Soares que o levaram a fazer este texto… Já agora, só para não haver dúvidas. Um EX.RPA C

  5. JgMenos says:

    O número de portugueses em território sul-africano compara com o que existe na Rússia?

    Sempre a treta pseudo idealista, até que lhes falam em assaltar…

Leave a Reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.