Maria Luís Albuquerque não leva Portugal a sério

Foto: Lusa@Dinheiro Vivo

e como tal está-se um bocado nas tintas para o cargo para que foi eleita, tendo ficado, na última sessão legislativa, a apenas uma falta de perder o mandato de deputada. Ainda tive esperança que fosse desta, que ter que pagar ordenado e mordomias a uma indivídua que torrou milhões em swaps e nos Banifs desta vida, que ajudou a varrer para debaixo do tapete para nos aldrabar com a fraude da saída limpa, é uma maçada, mas a senhora lá se safou e, para grande tristeza minha e de uma quantidade significativa de portugueses, continua a acumular o cargo com as funções exercidas no sector da pirataria especulativa. A parte boa no meio disto tudo é saber que, enquanto o laranjal for liderado por gente desta, que não leva nem é para ser levada a sério, estaremos a salvo de novas aventuras além-Troika. A parte má é que convinha termos uma oposição útil e responsável no Parlamento. Esta já praticamente só serve para envergonhar diariamente a direita.

Sobre o comunicado da Administradora Não Executiva da Arrow Global

“A autossatisfação com alguns resultados alcançados, ignorando o que os permitiu e desprezando o que devia ser feito para os manter, é a receita infalível para voltarmos, mais dia menos dia, aos problemas do passado.” Maria Luís Albuquerque 

Em 2016 o crescimento era fraco porque a Geringonça só fazia reversões. Agora, o crescimento deve-se ao que veio de trás, apesar de ter sido revertido. A tese do PSD resume-se a isto.

Este crescimento deve-se à conjuntura externa e aconteceria independentemente do governo que estivesse em funções. Maria Luís Albuquerque é apenas mais uma demagoga que não preza a honestidade intelectual. 

Com uma pequena diferença. Estivessem o PSD e o CDS agora no governo e ninguém calaria as suas teses de que a austeridade estava a funcionar. Por isso é que Maria Luís tenta demonstrar, sem o conseguir, que a austeridade se manteve igual. 

E, no entanto, aí está o crescimento,  sem o constante matraquear miserabilista do viver acima das possibilidades para continuar a fazer a única coisa que PSD e CDS fizeram: baixar salários,  pensões e reformas.

É um crescimento efémero? Pois é. E o segredo está em aproveitar as oportunidades, em vez de insistir na auto-flagelação. 

Administradora da Arrow Global é Vice-Presidente do PSD

Só uma mente retorcida e anormalmente conspirativa concluiria que a escolha de Maria Luís Albuquerque, deputada à Assembleia da República e Administradora da Arrow Global, para Vice-presidente do PSD, resulta da estratégia de financiamento do Partido Social Democrata. É claro que isso é um absurdo e até uma ofensa. O PSD jamais engendraria um estratagema desse calibre, que passasse pela cedência de informação privilegiada do Estado português a uma multinacional financeira, a troco de financiamento da sua própria actividade política e partidária. O PSD já deu provas, até recentes, de colocar o interesse nacional acima do seu próprio interesse, além do que esse seria, como é evidente, um procedimento completamente ilegítimo. Na política não vale tudo.

Swap! Swap!

swaps swaps

Marques Mendes aplica uma delicada tareia a Maria Luís Albuquerque

MM

Diário Económico, Março de 2015:

PSD e CDS deixaram ontem passar, com a abstenção, o projecto dos socialistas que reforça as incompatibilidades dos titulares de cargos políticos, incluindo o alargamento para três anos do ‘período de nojo’ entre a política e empresas ou organizações que tutelaram.

Cerca de três meses após abandonar funções, Maria Luís Albuquerque faz vista grossa ao projecto que o seu partido permitiu ser aprovado e assina contrato com uma empresa cuja actividade era, até então, por si tutelada. O silêncio e a vergonha instalam-se à direita, apesar das tentativas de Matos Correia e Passos Coelho de branquear a situação. É impossível mascarar o mal-estar causado. [Read more…]

Da compatibilidade

Subcomissão de Ética reuniu-se ontem para analisar a contratação de Maria Luís Albuquerque pela Arrow Global. O relatório será elaborado por um deputado do PSD.

Maria Luís Albuquerque: a anatomia da aldrabice

MLA

Na sua coluna de opinião no Diário de Notícias, Pedro Tadeu elaborou um resumo das várias aldrabices da ex-ministra das Finanças. Swaps, sobretaxa, medidas de austeridade que em Portugal eram provisórias e em Bruxelas definitivas ou os custos que os contribuintes não iriam suportar no caso do Novo Banco constituem um quadro de falsidades daquela que agora irá acumular funções de deputada com as de administradora não-executiva de uma empresa com interesses em áreas sobre as quais Maria Luís Albuquerque possui informação privilegiada e sobre as quais poderá, eventualmente, legislar. Se, perante todo este historial, Maria Luís vem agora afirmar ao país que o seu novo emprego não colide com as funções de deputada, quem nos garante não estarmos perante um novo embuste? A deputada até pode tentar refugiar-se no formalismo da sua condição de não-executiva, mas qualquer pessoa mentalmente sã percebe que tal não a impede de actuar como mera informadora do grupo Arrow no Parlamento português. Interesse nacional? Qual interesse nacional?

Foto@Diário Económico

Foda-se, Passos. É preciso não ter um pingo de vergonha na cara

Passos a fumar SG Gigante

É o regresso da versão mentiroso-compulsivo. Em poucos minutos (segundos?) de declarações à TSF, Pedro Passos Coelho conseguiu mentir tantas vezes que chega a não parecer real. E o mais ridículo é que nem precisava de ter entrado por aí. Bastava-lhe ter dito que a ida de Maria Luís Albuquerque para a Arrow era legal, que a senhora ainda está em condições para um dia liderar o PSD ou governar e que gosta muito dela. E não dizia mais nada. Fazia o seu papel, a malta do partido ficava toda contente com a vinda a terreiro para defender a pseudo-Margaret Thatcher e ficava bem na fotografia da imprensa tutelada pelo ministério da propaganda. [Read more…]

Jesus tinha dois pais, Maria Luís tem dois empregos

MLA

Ora aqui está um cartaz que o Bloco podia fazer. Um cartaz a reforçar junto da opinião pública que significativa parte dos nossos deputados exerce funções paralelas que encerram em si conflitos de interesses. E a política portuguesa está cheia de exemplos desses. Eles são os deputados que integram a comissão de saúde de manhã e que aprovam aquisições de serviços a empresas da área da saúde para quem trabalham à tarde, outros que se sentam na comissão de obras públicas num dia, para no dia seguinte se sentarem no conselho de administração de grandes construtoras, enfim, toda uma festa de promiscuidade que se estende a todas as comissões parlamentares e que explica décadas de danças de cadeiras entre governos, Parlamento, bancos e grandes empresas nacionais e estrangeiras a operar em Portugal. E não se passa nada. [Read more…]

Maria Arrow Albuquerque

maria arrow albuquerque

Marido de Maria Luís Albuquerque sem mãos a medir

ameaçou ir aos cornos de todos os utilizadores do Facebook que se atrevam a criticar a mulher.