FUTaventar – S. L. Benfica #7

E o sonho continua.
A tragédia grega já lá vai e hoje o Benfica volta a fazer uma primeira parte fantástica. Tão fantástica que para mim o jogo termina ao intervalo.
O Glorioso entra em campo sem Aimar e Di Maria. Só isto, em tempos bem recentes, daria para pensar no pior. Nada disso. Vejamos:
No onze inicial temos o Carlos Martins e Fábio Coentrão que tiveram a capacidade de nos fazerem pensar que o lugar sempre foi deles.
Uma ENORME pressão do BENFICA que não permitiu ao Paços passar do meio-campo. Uma atitude absolutamente espantosa que só pode ser mérito do treinador. O Quim, o Rúben, o David, o Luisão, o Carlos Martins, o Fábio Coentrão e o Cardozo já eram jogadores do Benfica. Hoje, “novos” tivemos o Saviola – o ano passado tínhamos o Suazo, o Ramirez (Reyes) e o Javi Garcia (Katsouranis). Parece-me que as contas assim feitas só podem dar TOTAL mérito ao Jorge Jesus.
jj

Depois foi uma imensa MEGAPRODUÇÃO de uma equipa que jogou fora como joga em casa, com um público fantástico e uma enorme ALMA!
Não fazemos, BENFIQUISTAS, a mais pequena ideia do que vai acontecer ao longo da época. Sabemos, no entanto que estes dois meses nos fazem sonhar.
É com o direito ao Sonho que termino este post, sendo que me despeço com um especial agradecimento ao sr. Presidente do pequeno clube de Alvalade.

Ó Rui, ó Carlos Tê, actualizem: Voar como o Falcão entre os centrais

e agora olhem para ele aqui: Golo de Falcão Olhanense-Porto. E para a crónica do jogo, que foi agradável, mas onde por alguma estranha associação de ideias me recordei que o Jorge Costa (com tudo o que lhe devemos e não esqueço) também treinou o Braga. Pois.

FALCÃO UMA E OUTRA VEZ

.
PORTO 3- OLHANENSE 0
.
.
Uma vitória tranquila para o FCPorto e um resultado demasiadamente pesado para este Olhanense. Mereceria pelo menos um golo, até porque terá ficado um penalti sobre Rabiola por marcar. Não está de modo algum em dúvida a vitória do Porto, mas o Olhanense sabe atacar e joga bem e bonito. Hulk mereceria pelo menos um golo, pois que teve duas bolas à trave. Falcão não deixa de marcar em todos os jogos, bisando no de hoje. Maravilhoso investimento, este.
Augura-se um campeonato tranquilo para o clube de Jorge Costa. Estas três derrotas seguidas não traduzem o real valor da equipa. Uma nota positiva para Rabiola, que não descansou de tentar mostrar o que vale a Jesualdo Ferreira, a ver se o voltam a chamar o mais depressa possível (para o ano, provavelmente). As defesas da noite foram para Veríssimo, do Olhanense.
No fim do jogo, tudo muito nervoso, com Tomás Costa a ter o nariz partido. Estragou a festa, pá!

.
JM
.

FutAventar #9 – F.C. Porto: Cabeças Geniais

Foram duas cabeçadas de génio a abrir e mais um ensopado de peixe sem espinhas. Um Porto imperial.
Este jogo fez-me lembrar a velha máxima do nosso futebol: são onze contra onze e no fim ganham os de azul-e-branco.

Braga e vão 7

Braga

Mete-se um Domingos Paciência na panela, junta-se uma equipa com ambições de lutar por lugares cimeiros, mexe-se bem, cozinha-se em lume brando, deixa-se apurar e serve-se aos três grandes do costume.

Porto e Sporting já provaram. O Benfica está a olhar para cima sabendo que o calendário não perdoa.

Sete jogos, sete vitórias. Este é o ano do Braga. Tenho dito.

Imagem roubada ao maisfutebol

A Académica e o chicote do tetra-arguido

O presidente da Académica, José Eduardo Simões, anunciou, (…), a rescisão por mútuo acordo com Rogério Gonçalves, treinador da equipa de futebol, após a derrota do clube de Coimbra por 4-2, na recepção ao Marítimo.

O tetra-arguido José Eduardo Simões, que preside a uma espécie de Organismo Autónomo do meu clube de criação, livrou-se de mais um treinador que escolheu por sua conta e risco (ficando sem director desportivo por causa disso) e o tal organismo não se livra dele.

Não sei se meto isto nas autárquicas se no futebol.

Explico: JES foi simultâneamente presidente da Académica-OAF e Director do Departamento da Câmara que trata dos prédios. Alguns cresceram em andares, e é acusado de cobrar em donativos para o clube outros favores a empreiteiros, transformados em benfeitores da Académica.

Duvido que JES seja julgado na terra, o seu advogado, que  encabeça uma lista à Assembleia Municipal onde promete denunciar a corrupção,  tem adiado as coisas com competência a caminho da prescrição final, donde continuaremos a presumir JES como inocente.

Por via das dúvidas fica na categoria de eleições – o  Presidente Encarnação que o manteve a mandar nas urbanizações e obras depois de ganhar as eleições na Académica-OAF ainda se recandidata –   e no futaventar.

Eu bem vos percebo, colegas aventadores, quando não metem tags, etiquetas ou lá o que isso é.

Por vezes um homem não sabe para onde se deve virar.

Falcao do Magrebe

Chavez conseguiu! A Colômbia já não é um problema na América do Sul. Talvez o seja para Madrilistas ou para marroquinos, segundo o meu amigo FS.

FutAventar – Liga dos Campeões:

Neste tópico do FutAventar não é preciso colocar cardinal ou identificação do clube. Em Portugal, quando se fala da prova rainha do futebol mundial de clubes fala-se de F.C. Porto. E mais nada.

Na véspera de ver Jorge Nuno Pinto da Costa homenageado pela Câmara Municipal da Maia enquanto dirigente desportivo (Auditório do TecMaia, 09h30, Zona Industrial da Maia) nada como ter mais uma alegria ao ver o meu Porto despachar a tropa de Madrid com um esclarecedor dois a zero! Um Falcão do Magrebe, foi o que hoje se viu a pairar no Dragão!madrid.jpeg

FutAventar – FCP#7 – Falcon

Esta ave de rapina continua a provocar estragos no seio da mouraria. Desta feita, despachou os lagartos sem grande esforço.

Faltou à lagartagem a tranquilidade tão apregoada pelo risca ao meio que, uma vez mais, provou que não serve para treinador de um grande. Um Porto a meio gás chegou e sobrou. Uma arbitragem razoável mas de forte tendência verde. As expulsões foram sem espinhas!

Próoooooximo!

Este campeonato é vermelho, está pouco azul e não vai ser encarnado

Declaração imediata de facciosismo: Domingos Paciência foi um dos jogadores que mais idolatrei, um avançado como eu gosto, inteligente e eficaz.

Como treinador colocou a Académica na primeira metade da classificação. Praticamente com a mesma equipa, hoje está em último. O mesmo, mas ao contrário, se pode dizer do Braga.

Há tipos que têm estrelinha de campeão, que somam ao talento. Domingos tem, aquele “estou habituado a vencer” que tantas vezes repetiu a época passada, a parte mágica que pertencendo ao domínio da fé e do irracional não deixa de marcar o golo decisivo no último minuto do jogo.

Ontem vi um Porto que começou bem, podia ter vencido por mais, mas é uma equipa Hulk-dependente, e o moço agora desperdiça golos porque deve ter um campeonato particular na secção das assistências. Tenho muita pena, mas assim arrisca-se a disputar o segundo lugar.

Também bocejei assistindo a um bocado de outro jogo. Os bebés de Matosinhos lá perceberam que esta temporada quem vai ao colo são os meninos da luz, e fui acordar para outro lado. No próximo dia 1 de Novembro (mais um menos outro) Jesus vai a Braga ver todos os santos. Depois conversamos sobre o Natal.

FUTAventar – S. L. Benfica #6

1,2,3,4,5,6,7,8,9,10,11,12,13,14,15,16,17,18,19,20,21.
São já 21 os golos do Glorioso – este destaque é feito a pensar no Ricardo que apesar de ver os jogos do seu clube não vê “o” golito…
Ora vai daí, o Jesus, leitor em permanência do Aventar pensou: temos que ajudar o Ricardo – em dia de reflexão, vamos ajudar o “Portista lá do Aventar” a perceber o que é futebol.
E está feita a explicação – usar os noventa minutos do jogo para procurar o Golo sem parar. É tudo uma questão de atitude – o jogo é uma arruada em permanência, onde o apelo ao golo só tem um objectivo: a goleada!
Do adversário – uma vergonha a forma como se apresentou para o jogo. Valia tudo menos tirar olhos: é por atitudes destas que alguns treinadores nunca deixarão de ser pequeninos.

E se perdessem os dois?

Este é o jogo que mais me agrada durante toda a época! Só é pena não poderem perder os dois!
Olho para ambos (sim, os dois) e parece-me uma espécie de Sócrates – Ferreira Leite.

scpfcp

FutAventar: Mais um «penalty» fantasma

São de Olhão…
Banho de bola ao leão sem juba. Demos dois de avanço à nossa quarta filial mais antiga. Tivemos 3 bolas dentro da baliza. Com 5 árbitros, tínhamos ganho a reinar.
Afinal, é essa – reinar – a função do rei da selva…

FUTAventar – S. L. Benfica #5

Mais um jogo, mais uma vitória!

jorge_jesus
Já por aqui se escreveu que a vitória teve por base um lance duvidoso. Para mim não há dúvidas – estou tão certo de que este lance não foi penalty como estou de que ontem o Álvaro Pereira fez um penalty que toda a gente viu. A diferença está no facto de em Leiria ter sido assinalado e em Braga não foi. Num caso para “ajudar” o Benfica, noutro para ajudar o Porto.
Quanto ao jogo, só Benfica procurou ganhar o jogo. A Manuela Fernandes Leite esteve ausente do jogo, numa espécie de negação da própria política. O PSD não esteve no jogo para ganhar, limitou-se a esperar que o BENFICA não o ganhasse. O BENFICA entrou muito bem e só um tiro no pé do Ministro da Defesa levou o Leiria a sonhar com a vitória nas eleições.
O jogo do BENFICA não foi tão bom como tem sido hábito e só a coabitação entre a arbitragem da casa civil da presidência e o governo permitiu um lance em que Cardozo voltou a fazer o que sempre fez bem: marcar golo.
A vitória acabou por cair para a equipa que lutou por ela. Mais um jogo, mais uma vitória.
“Benha” o Leixões para mais uma enchente na catedral… E o fim-de-semana que aí vem é o melhor do ano: é aquele em que lagartos e andrades lutam entre si.
Uma última palavra para o POVO do BENFICA! Fantástico! SOMOS mesmo o MAIOR clube do mundo.

FUTAventar – Tão sujo como o Liz

Aquele penalti é uma afronta a uma equipa como o Glorioso que não precisa de ajudas daquelas para ganhar jogos, tal foi o desaforo que mal fica aos benfiquistas. Se alguem tinha dúvidas hoje ficou elucidado, o campeonato já está entregue, podem mandar fazer as faixas de campeão.

Como é possível assinalar uma falta quando o defesa do leiria se limita a afastar a bola para longe, nem sequer disputa a bola ao jogador do Benfica.

Nunca vi tal roubalheira!

(EXPLICAÇÃO DA DIFERENÇA ENTRE JOGO PERIGOSO E PENALTY AQUI)

FUTAventar: Sócrates, Manuela e os pequenos clubes

Nos últimos anos o Porto tem sido a equipa com mais vitórias – é verdade que contou sempre com a cooperação estratégica do órgão de soberania que arbitra os pontapés na xixa, mas ganhou. Agora, ao que parece com a protecção divina de Jesus, o BENFICA anda por aí a esmagar tudo o que mexe. É, há quem o escreva, um regresso ao passado.
Bem vistas as coisas temos um duelo Porto-Benfica. De um lado as risquinhas que nos últimos 4 anos nos governaram. Do outro, o passado à procura do futuro.
Entre ambos, os clubes pequenos. O Braga, o Sporting, o …
Estes não lutam pelo poder – combatem o golo útil. Querem estar, ser e contar para o totobola – é com eles que se decidem os campeonatos.
No fim, na hora de fazer as contas, Porto e Benfica vão ter que olhar para os mais pequenos. Aí vamos saber quem vai ser o ou a nosso (a) Primeiro – Ministro.
E olhem que este ano só o Campeão tem acesso à champions.

FUTaventar – S.L. Benfica #4

Confiança. Esta é a palavra. A tranquilidade de me sentar em frente ao computador para ver uma equipa, que sei, vai ganhar! E depois de marcar um golo, o adversário nem do meio campo consegue passar.
Objectivo alcançado porque é nestes jogos que se ganham os campeonatos!

Sem SPORTTV? A solução é:

ver os jogos do futuro campeão na net:

http://www.atdhe.net/index.html

http://www.tvgente.com/

FC Porto – FutAventar#6:

Traineira ao fundo!

Hungria – Portugal, ou a escola do FC do Porto a funcionar em pleno

Cruzamento de Deco, golo de Pepe e aí está Portugal ainda na corrida para o Mundial da África do Sul. Com um Raul Meireles raçudo como sempre no meio-campo e um Bruno Alves imperial na defesa, só se pode concluir que a escola do FC do Porto continua a funcionar em pleno. À frente, um Liedson lutador e, em relação ao dito melhor jogador do mundo, a miséria do costume.
Quem não quer ver é… como direi sem ferir susceptibilidades? – faccioso…

09/09/09

.
RONALDO E COMPANHIA
.
.
Não gosto do Ronportugal1aldo, o número nove (ou sete) que não marca golos. Não gosto do sr Madaíl. Não gosto do treinador de segunda categoria que temos. Não gosto da ideia de naturalizar jogadores para os metermos na nossa selecção, mesmo que sejam eles a marcar os golos de que necessitamos.

Caramba, até parece que não gosto de nada, mas não é verdade. Gosto da verdade desportiva, e gosto de ganhar. Ainda mais quando sei que temos dos melhores jogadores do mundo.
Hoje é o dia de todos os noves, mesmo que na melhor das hipóteses só sirvam se outros falharem onde não é suposto. O sr Queiróz, não quer ser quase, mas na verdade é quase nada.
O jogo de hoje, é mesmo só para encher calendário.

Ninguém no seu perfeito juízo acredita que consigamos o apuramento. Seria preciso vencer os três jogos que faltam e esperar que a Suécia claudicasse, e ainda que não fossemos o pior segundo, o que é tarefa quase impossível. E também porque se o conseguíssemos, e lá continuássemos a ser produtivos como até aqui temos sido, iria ser uma vergonha e o melhor teria sido não irmos lá.
De qualquer forma o meu desejo é que saiamos de cabeça erguida, fazendo bons jogos e conseguindo fazer valer as nossas figuras de topo.

.
JM
.

Afinal também vi o jogo e tenho um treinador de sofá dentro de mim

eusebio

Se esse gajo tivesse jogado os 90 minutos ganhávamos, aposto.

Mas é sempre a mesma merda: os pretos, sobretudo se vindos do sul, são subavaliados, há pressões para não jogarem, e lá têm de fazer pela vida.

Espero que depois deste golo o seleccionador (um homem que conheceu primeiro o firmamento visto do hemisfério sul antes de o trazerem para o norte e tinha obrigação de não andar atrás das bocas do povo), já o meta a jogar de início facilitando o entrosamento* dos colegas na rotina de lhe meterem a bola no corpo, que é agora o seu objectivo único e óbvio. Ainda bem que o Ronaldo versão Madrid anda a aprender esse serviço, e pelo que vejo a desaprender na marcação dos livres, viram por aí o Bruno Alves?

E sou optimista, acredito que para não variar vamos ao mundial depois de muita continha, grandes aís e muitos uís. Selecção que se preze deve ser o espelho do país, utilizando a nossa o verbo desenrascar em abundância de sorte. O gozo do futebol é sofrer e ganhar no fim, eu sei que da parte do ganhar andam arredados os adeptos dos clubes de Lisboa mas vão ver o gozo que dá, no fundo vocês são tão portugueses como nós e também têm esse direito.

Somos apurados, aposto, esse gajo aí, o que marcou o golo, o da foto, o estrangeiro, bem o merece.

___

* não uso, e muito menos escrevo, a palavra entrosamento, sobre a qual tenho a mesma opinião que tenho sobre o Ribeiro Cristovão enquanto assassino compulsivo de relatos de futebol. Foi o corrector automático que meteu lá isso, garanto, e não consegui apagar, lamento.

FUTAventar: Liedson na Selecção

Sou internacionalista – por convicção não sou muito dado a estas coisas de países, de pátrias. Há povos, há culturas, mas não há divisões. Só deve haver uniões e pontes.
Quase sempre o que nos une é muito mais do que aquilo que nos separa. Já o escrevi aqui no Aventar que me mete uma tremenda confusão como é que deixamos, tranquilamente, morrer gente do outro lado do “rio Mediterrâneo” apenas porque nasceram do outro lado. É um determinismo que não compreendo e não aceito.
Seria por isso absolutamente favorável à chamada do Liedson à selecção de futebol (prefiro isto a selecção de Portugal).
Seria, mas não sou.

Para ganhar e apenas ganhar já tenho um clube. Não preciso de outro. A selecção deve ser algo de diferente – tem que ser amor, paixão, dedicação e nunca interesse. Se um jovem vem com os pais de outro país e cresce em Portugal, é português. Se um desses jovens que os nossos clubes vão buscar ainda meninos aos países do terceiro mundo, aceito com reservas, mas o.k..
Convocar um cidadão que ao fim de uns anos se sente identificado com o país e que por isso se naturaliza… Não simpatizo com a convocação, mas ok…
Agora… pedir a naturalização porque a equipa de futebol do país onde trabalha tem pouca gente para marcar golos. Isso não posso aceitar.

Escrevo este post depois do Liedson ter marcado o golo que nos permitiu não perder na Dinamarca.

UMA TRISTEZA – DINAMARCA 1 – PORTUGAL 1

.
SÓ ME INTERESSA O RESULTADO
.
.
E este resultdinamarcaado não me interessa.
A equipa de Portugal, que até nem jogou mal na primeira parte, mudou de estratégia e partiu-se toda.
Só me interessa o resultado e com este treinador (?), os resultados são maus.
A tristeza que se abate sobre todos nós, merece uma atitude. Corram com este treinador (?) de segunda daqui para fora, a ver se conseguimos alguma coisa nos jogos que nos faltam.
Desta forma nem uma equipa mista, de Portugueses e Brasileiros nos safa, apesar do nosso golo. Continuamos a não saber marcar, e não será o penalti, eventual, que o árbitro não viu, que poderá servir-nos de desculpa.
Este resultado não interessa e este treinador também não.

.

FutAventar – S. L. Benfica #3

Simples, não?
O que dizer ou escrever? Até o Nuno Gomes marcou um golo!

http://videos.sapo.pt/Lzh78ZAHiHOPAfz7eTFH

FutAventar – F.C. Porto #5 – A Batalha Naval:

MundoFCP

Por questões de agenda apenas ontem pude festejar o 1º de Maio, o internacionalmente conhecido como dia do Trabalhador.

E assim foi, com algum trabalho, enorme dedicação e a força internacional que todos reconhecem, “O Porto cresce e o Falcão voa” como afirmou esse exemplo de jornalismo isento que é, unanimemente reconhecido, “O Jogo”.

Ficou vingada a desfeita do ano transacto e com direito a brinde: o Porto apenas sofre golos marcados pelos seus defesas. Aliás, a veia goleadora dos nossos jogadores está a marcar este início de época.

Foi limpinho. Uma batalha naval de grande nível.

Sporting…

chuveiro

FutAventar – F.C. Porto #4 – O Império dos Sentados:

O Império dos Sentados

Em Portugal existe toda uma escola de “sentados” do futebol. São homens e mulheres, certamente com a melhor das intenções, mas que permanecem, sentados, à espera de tempos que não voltam mais. Agarrados a um pretenso passado imperial não conseguem admitir a verdade. Neles existe um sonho, uma utopia bonita mas irreal. Por eles o Eusébio voltava a colocar os calções e a calçar as chuteiras só para eles reverem aqueles pontapés no esférico. Pensaram que era desta, era com o Mantorras que tudo regressaria ao seu sítio, ao que julgam ser seu por poder divino. Estão para o futebol pátrio como as antigas colónias para os ansiosos de um império perdido, um qualquer quinto império imaginário, mais ou menos pessoano.

Neles permanece esse sonho. Talvez seja algo de religioso e isso explique a contratação de Jesus. Estamos já no campo do esotérico. Por isso não compreendem, nem podem compreender como é possível que um clube, segundo eles, de bairro lhes faça esta desfeita de ano sim, ano sim, os vencer, sem apelo nem agravo. Querem acreditar que tudo se deve à fruta, como se o FCP fosse um qualquer novo sabor da Sumol. E se não é a fruta são as meias-de-leite ou os cafés pingados. Só assim, julgam, pensam, acreditam, se justifica a sua injustificável frustração perante as consecutivas derrotas internas e humilhações internacionais. Mas como é possível, um clube que julgam ser de grunhos, de bandidos, de traficantes, nado e criado na parvónia, nessa longínqua província de comerciantes, industriais, liberais e outros que tais, que gritam “bai-te lavar ó morcon”, seguido de um chorrilho de palavrões e acompanhado por umas tripas com “binho berde”? Como é possível? Realmente.

Se algo existe que não conseguem explicar são as constantes vitórias internacionais, as vendas milionárias ano após ano, o reconhecimento internacional adquirido. Ou seja, a avaliação externa e independente que não se compadece com a verborreia da “Bola” ou do “Record”. Uma avaliação que não vai em fantasias de “braços armados que controlam e atemorizam tudo o que mexe” como se isto fosse a Chicago dos anos 30 e Lisboa o paraíso na terra cujos clubes e dirigentes são anjinhos com belas asinhas e assexuados.

O Porto tem os melhores jogadores, melhores treinadores, melhores dirigentes, ganha mais” e mesmo assim, o império dos sentados não acredita, não quer acreditar, prefere as fábulas, prefere continuar sentado, acreditar em Jesus, em Filipe Vieira e em todos esses novos pregadores evangelistas. É a Fé em todo o seu esplendor.

Nós por cá, continuamos a vencer e a comer fruta e a tomar meias-de-leite ao pequeno almoço.

S.L. Benfica – FutAventar #2

Guimarães é terra que usa o que não é seu – o berço, diz-se, é Viseu, mas eu, que de bola nada sei, desconfio. Que a bola bateu na mão, bateu. Mas, sendo bom o que é Nacional, como é que se considera penalty quando uma bola é enviada pelo jogador do Porto a menos de um metro do defesa madeirense e, por acaso foi bater na mão. Cá está a prova de como o que é Nacional afinal não é assim tão bom e razão tem o nosso João, o Alberto. Sim! Esse. O que diz que o primeiro dá mau nome aos Socialistas madeirenses.
Voltando aos de Guimarães, procuraram defender o castelo, mas o que faltou no ataque ao Paquete da madeira, voltou ao minuto 90 – o GOLO do MAIOR CLUBE DO MUNDO!

Ao minuto 90, marca o golo da vitória

Ao minuto 90, marca o golo da vitória

Em dois jogos, o Benfica já leva quase 90 mil pessoas nas bancadas e está tudo no bom caminho. Até o penalty a favor do Porto!

FutAventar – F.C. Porto#3 – O Douro

Eu não sei se os meus colegas de blogue conhecem o Douro.

Eu tive o privilégio de o conhecer nos anos oitenta graças a ter conquistado o coração de uma duriense. Desde essa altura que, num caso e noutro, o meu coração ficou aprisionado. Ao longo dos anos fui viajando por alguns lugares. Mas nada se compara ao Douro, aquele Douro justamente Património da Humanidade. Mesmo que a palavra Património seja um pouco deslocada da realidade. O Douro não é Património de ninguém, nem da Humanidade. O Douro é a mais universal das democracias, é o verdadeiro poder do Proletariado. É do Homem com h grande. É de todos e não é de ninguém. Confesso que não sei se existe Paraíso e Inferno, deixo isso para os entendidos mas se o Paraíso existe eu já o conheço, é o Douro. O Douro que caminha entre Barca de Alva e a Régua. É aquele que se encontra nos livros de Torga. É o que serpenteia pela estrada entre Folgosa e Valença do Douro, entre o Pinhão e a Quinta de Ventozelo e desta até S. João da Pesqueira. É o Douro da paisagem natural com mão do Homem, quente e seco, verde e castanho, do pó e do xisto, das mãos repletas de calos e de enormes sulcos que marcam anos e anos de vida enleados entre as videiras. É o Douro. O Douro do meu restaurante preferido (ESTE), do meu hotel de eleição (ESTE). O meu Douro.

No último fim-de-semana regressei ao Douro. Já não o via há muito, muito tempo. Já tinham passado talvez um quinze dias antes da última visita, uma eternidade. Fui matar saudades para o Pinhão. Se a viagem Pinhão – Valença do Douro – Castanheiro do Sul – Paredes da Beira – Penedono é absolutamente transcendente, imaginem fazê-la de noite, uma coisa indescritível que, valha a verdade, nunca antes tinha realizado. Foi de cortar a respiração. Se o Douro é o que é de dia, de noite é já coisa do divino. Não vos vou maçar muito mais com o Douro até por um motivo simples: qualquer descrição pecará sempre por defeito, o melhor mesmo é calçar os tamancos e “bute” para a estrada. Um roteiro? Ainda é cedo para vos guiar, terão de esperar. Em breve, em breve.

Deixo-vos com umas fotos tiradas no Pinhão. Aliás, vou-vos deixar com três fotos, tantas quantos os golos do Porto hoje, frente ao Nacional. Outra obra-prima da Humanidade este meu Porto e nem seria de esperar outra coisa. Senão reparem, onde desagua este belo pedaço de água a que chamam “de Ouro”?

No Porto, meus caros, sempre o Porto e a água é azul e branca a sua representação de pureza. Azul e Branca. Três bolas a zero. Pois.

vintage+agosto+jeep 095

vintage+agosto+jeep 133

vintage+agosto+jeep 161