FUTAventar: Liedson na Selecção

Sou internacionalista – por convicção não sou muito dado a estas coisas de países, de pátrias. Há povos, há culturas, mas não há divisões. Só deve haver uniões e pontes.
Quase sempre o que nos une é muito mais do que aquilo que nos separa. Já o escrevi aqui no Aventar que me mete uma tremenda confusão como é que deixamos, tranquilamente, morrer gente do outro lado do “rio Mediterrâneo” apenas porque nasceram do outro lado. É um determinismo que não compreendo e não aceito.
Seria por isso absolutamente favorável à chamada do Liedson à selecção de futebol (prefiro isto a selecção de Portugal).
Seria, mas não sou.

Para ganhar e apenas ganhar já tenho um clube. Não preciso de outro. A selecção deve ser algo de diferente – tem que ser amor, paixão, dedicação e nunca interesse. Se um jovem vem com os pais de outro país e cresce em Portugal, é português. Se um desses jovens que os nossos clubes vão buscar ainda meninos aos países do terceiro mundo, aceito com reservas, mas o.k..
Convocar um cidadão que ao fim de uns anos se sente identificado com o país e que por isso se naturaliza… Não simpatizo com a convocação, mas ok…
Agora… pedir a naturalização porque a equipa de futebol do país onde trabalha tem pouca gente para marcar golos. Isso não posso aceitar.

Escrevo este post depois do Liedson ter marcado o golo que nos permitiu não perder na Dinamarca.

Comments

  1. Luis Moreira says:

    É mesmo João Paulo, mas isto é o resultado da política de formação que não há em Portugal. É preferível deixar os nossos jovens sem jogar…E, já agora não vale a pena ficar chocado com isto. já vi uma selecção campeã do Mundo, a da França, que tinha mais negros que brancos…E a selecção de Atletismo dos USA são todos negros. É a globalização, temos que nos habituar as nações estão a desfazer-se…

  2. Miguel Dias says:

    Sinceramente já não tenho pachora para este tipo discurso: sou internacionalista e coiso e tal, mas com a seleção alto lá . É muito parecido com o não tenho nada contra os pretos mas com a minha filha alto e pára o baile.O SENHOR SILVA MUNIZ É PORTUGUÊS PONTO, e a única coisa que se lhe pode apontar foi ter falhado aquele golo no último minuto.


  3. Miguel a tua falta de paciência é coisa que não resolvo. Não concordo com a comparação. Repito – Liedson não deveria ser convocado. Ao contrário do que diz o Miguel Dias, ele não é um cidadão português que foi convocado para jogar à bola. Ele é um jogador da bola que foi “nacionalizado” para poder ir à selecção. São coisas diferentes.

  4. miguel dias says:

    Que não resolves bem eu sei. O especialista nessa matéria é o Liedson.Mas peço desculpa, afinal não estamos a falar da mesma coisa.eu estou a referir me a um senhor de seu nome Liedson Silva Muniz, emigrante brasileiro radicado há seis anos que recentemente adquiriu a nacionalidade por via da lei portuguesa.tu estás a falar de um gajo que desembarcou a semana passada na Portela e que por decreto presidencial foi nacionalizado para jogar na selecção.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.