Feliz Natal


Quando penso em canções de Natal, não consigo abandonar estas duas. Uma delas, a dos Killers, um grupo muito ligado à história do Aventar; e a outra de alguém que admiro muitíssimo, Shane MacGowan,o vocalista dos Pogues.
Trago sempre estas canções neste dia, é possível que me esteja a tornar repetitivo. Já pareço o nosso João Mendes com o seu Passos Coelho (estou a brincar, meu querido, o teu trabalho é valioso e alguém tem de o fazer, eu só não o faço porque nunca gostei lá muito de bater em mortos).
A verdade é que gosto muito do Natal. Mesmo sendo um ateu empedernido e detestando esta sociedade de consumo globalizada em que o mundo se tornou. Enfim, o ser humano é feito de contradições. Quando se tem crianças em casa, vemos a realidade de forma diferente ou, pelo menos, tentamos.
Neste dia em que, ao fim de 45 anos, estou pela primeira vez sem o meu pai, desejo um Feliz Natal a todos.

Então é Natal e não me disseram nada?

Ai o caraças. Natal sem Pogues não é Natal.