The Ultimate Genuflection Compilation

compilacao

Vai-te foder

Duarte Marques, deputado do PSD e ex-líder da JSD: “Perdeu-se o respeito e a culpa é de todos nós”.

Cultura do Respeitinho

Esta designação não me pertence, é do advogado Francisco Teixeira da Mota que defendeu Miguel Sousa Tavares do processo que lhe quis mover o Presidente da República quando se viu chamado de “palhaço” pelo escritor. E vem a terreiro muito oportunamente quando campeia no país a mais absoluta falta de respeito dos poderes políticos pelo povo que é obrigado a sustentá-los.

Sempre que esta falta de respeito se verifica, logo aparece a cultura do respeitinho que, mais do que se pensa, alastra como uma nódoa por todos os que julgam mandar e que é uma herança da ditadura de 48 anos liderada por Salazar e Marcelo Caetano.  É uma cultura cobarde, sonsa, como  pontapé atirado às canelas de quem refila à laia de  aviso para não se meter noutra. Qualquer fulano da situação a pratica, sempre que  é confrontado pelos que pensam pela sua cabeça e não nasceram com vocação para carneiros.  Ainda há dias o ministro Maduro, pequenote, com a sua barbicha à passa-piolho e a vozinha de adolescente a mudar de idade, se empertigou todo para dizer que não se podia aceitar que as pessoas contestassem tudo. Este Maduro deseja governar sem que o eleitor, que com a sua contribuição paga o seu ordenado, o seu carro de estado, as mordomias de que goza, possa contestar as medidas indecentes que este governo faz pesar sobre quem tem menos para encher os bolsos a quem tem mais. Este Maduro é da escola do comer e calar. Com aquele ar espardalado, é bem capaz de nem saber que houve, em 25 de Abril de 1974, a queda dessa escola. [Read more…]

A imagem e o problema

Os senhores F.A. Aires Ferreira, António José Ramos e Carlos Manuel Ferreira Paçó estão preocupados com a “imagem do Concelho” de Torre de Moncorvo. Lamenta-se que o façam de forma ortograficamente ambígua, conseguindo, com uma aparentemente simples missiva, pôr a nu a incapacidade de expressão escrita, não de uma comissão política concelhia, mas de três comissões políticas concelhias. Feito extraordinário, mas nem por isso inédito, nem, previsivelmente, derradeiro. Deste texto de António Fernando Nabais, poder-se-ia inclusive depreender que o teor da missiva se limitaria apenas ao descontentamento de um determinado sector da população moncorvense: os setores largos (desconhecemos o conceito).

Quando fordes paternalistas, quando fizerdes “chamadas de atenção” e “apelos à consciência”, senhores, sede-o e fazei-os em português correcto. Se optardes por sê-lo e fazê-los em português incorrecto, lede pelo menos o texto com as vinte e uma bases da incorrecção que adoptastes. Lede. Nem vos rogo que leiais os pareceres. Lede o texto. Não vos limiteis a cortar consoantes a eito. Sentai-vos confortavelmente num sofá da vossa respectiva comissão política concelhia e folheai as páginas onde se encontram impressas vinte e uma bases, devidamente indicadas com numerais romanos. Ides ficar deslumbrados.

Preocupai-vos menos com a “imagem” que outrem transmite do concelho de Torre de Moncorvo, reflecti acerca daquela que vós transmitis e, se a imagem vos desagradar, pois até assegurais compreender as razões do descontentamento, tendes bom remédio: resolvei os problemas . Este e aqueloutro. Por essa razão, e só por essa razão, fostes eleitos: para resolver problemas.

moncorvo

O respeitinho é muito feio

moncorvoO chamado Presidente da alegada República dita portuguesa, Cavaco Silva, deslocou-se ao concelho de Torre de Moncorvo, onde foi injustamente vaiado, anteontem. Injustamente, porque merece muito pior do isso, tendo em conta as pesadas responsabilidades que tem no estado em que vivem muitos cidadãos, uma vez que, depois de ter sido um primeiro-ministro inevitavelmente medíocre, foi cúmplice de Sócrates, de quem se limitou a dizer mal, e faz parte do bando da troika, apoiando Passos Coelho, para quem ser primeiro-ministro não passa de um estágio remunerado para outros voos, como teremos ocasião de confirmar antes cedo que tarde. [Read more…]