Mundial 2014 – Portugal vs Alemanha

Desta vez não me apetece postar o video das imagens dos golos. Todos os vimos. Todos sabemos decor o que é que falhou. Todos nós vimos aquilo que sabíamos ser previsível: a nossa selecção não jogou nada, com Paulo Bento não joga nada, não tem fio-de-jogo, não tem um colectivo, vive excessivamente daquilo que Ronaldo e mais 2 ou 3 conseguem fazer e continuando assim, arrisca-se a voltar a Portugal no próximo dia 26.

1. Nos primeiros 10 minutos de jogo ainda criámos um calafrio quando Ronaldo atirou com o pé esquerdo para defesa de Neuer. Desde cedo entendi que Paulo Bento ia apostar numa atitude defensiva, de forma a não deixar os alemães colocarem em prática a circulação de bola semi-apropriada ao Bayern de Munique de Guardiola: muitos passes entre os homens de meio-campo, muitas combinações entre o médio interior, o lateral e os alas e respectivo cruzamento para área à procura da referência de ataque da equipa, neste caso Thomas Muller, o herói da partida de Salvador da Baía. [Read more…]

Num instante tudo muda

Ao folhear o Público de hoje, fui atraída pela frase “O futebol como coreografia da vida” do deputado do PS, Francisco Assis, que escreve às quintas naquele diário. “Gosto de futebol como jogo, paixão, estratégia, coreografia e vida. Está lá quase tudo”.

Refere-se, sobretudo, ao desempate por grandes penalidades, comentando de forma curiosa e muito interessante (parabéns): “Já não há mais jogo, só penáltis. O estádio pára. O tempo desaparece. Estamos perante a tirania da geometria pura. De um lado um marcador, de outro um guarda-redes. Esquecemo-nos que são homens, de certa forma deixaram de o ser. Solidão absoluta envolta numa multidão muda e expectante. Não é imaginável uma situação mais cruel. Pura existência individual confrontada com o destino. (…) Curiosa metáfora de tantas vidas. Contudo, num instante tudo mudou. (…) Um “golo é muito mais do que um golo. É arte, paradoxalmente imprevisibilidade e dir-se-á que foi feita justiça. Provavelmente foi o génio que triunfou. Seria reconfortante pensar que as duas coisas andam a par. Fiquemos satisfeitos por admitir que por vezes elas não se contrariam. Já não é pouca coisa.(…)”

A vida feita de instantes de arte, justiça, injustiça, génio, crueldade, azar… Feita de instantes de glória e de falhanços.

Também penso que há muitos momentos em que estamos completamente sós: nós e o problema, «o marcador» e o «guarda-redes». Não podemos contar com mais ninguém. E ninguém pode resolver «a coisa» por nós. «A multidão» não pode fazer nada. Tudo está nas nossas mãos. É também o «agora ou nunca» do instante.

Abolir as grandes penalidades? Há quem defenda isso. Afinal já «não é jogo»…

Tal como a selecção portuguesa, ganhamos umas, perdemos outras. Olhemos para a frente, chegará outra oportunidade!

Chuta Ronaldo

Chupem Messias!

Obrigada COMANDANTE Cristiano Ronaldo!

O dinheiro não compra tudo!“, dizem por aí. _ Tal como a INTELIGÊNCIA desaparece de quem está dominado pelo sentimento de Inveja, digo, convictamente, depois de tanta coisa que li de 13 de Junho até hoje.

O ódio económico existe, é mais um mal que pode destruir pessoas, nações (a Líbia, p. exemplo) Y o seu portador só encontra consolo com aniquilação do seu objecto alvo. Não sei se há cura para esta infestação humana, mas os seus portadores são facilmente identificados.  A inteligência, por mais bela que seja a prosa: desaparece; o ridículo, o patético,  o mesquinho, o etc. secundário ganha lastro. Dá pena ler. Dá dó descobri-los assim. Qualquer um que tenha mais dinheiro que educação, formação, “cultura” parecerá sempre um belo príncipe – por mais “bronco” que o seja  – face a tais portadores de ódio económico. Não há nem inteligência, nem educação, nem formação, nem “cultura”,  nem belo verso que os salve de tão triste condição digna de dó Y lástima. É! Mais valia terem só dinheiro y serem gente de legenda: “O dinheiro não compra tudo!“.

Pensem nisso, digo.

PS.: Obrigada COMANDANTE Cristiano Ronaldo!

*Há mais no F-Se! 

Selecção: está quase…

Aconteça o que acontecer hoje à noite, o resultado é o menos importante. E o mais importante, já agora, é que nenhum jogador se lesione, a começar por Ronaldo ou Nani.

É chegada a altura daqueles que de futebol nada percebem começarem a falar mal de Ronaldo, que não ajuda a selecção, que é só arrogância, que não passa de estilo, brincos de diamante e automóveis caros.  Hoje, que é a feijões, espero que Ronaldo lhes dê razão. A seguir, espero que os cale durante muito tempo.

A competição começa daqui a seis dias. Clique para ver o Calendário do Euro 2012.

Portugal, 8 – Suiça, 0

Algo em que somos positivamente bons, genuinamente bons: Hóquei em Patins.

Decorre em Barcelos, até ao próximo sábado, o campeonato do mundo sub-20. Já malhámos em Angola, malhámos na França, na Áustria (pela módica quantia de 38 a 1), e hoje malhámos forte e feio na Suiça. Oito bolas secas, toma, vai buscar… a certa altura, o guarda-redes helvético senta-se a pensar na vida e nas três bolas que viriam a seguir… sábado é a final e Portugal vai lá estar.