Mundial 2014 – Portugal vs Alemanha

Desta vez não me apetece postar o video das imagens dos golos. Todos os vimos. Todos sabemos decor o que é que falhou. Todos nós vimos aquilo que sabíamos ser previsível: a nossa selecção não jogou nada, com Paulo Bento não joga nada, não tem fio-de-jogo, não tem um colectivo, vive excessivamente daquilo que Ronaldo e mais 2 ou 3 conseguem fazer e continuando assim, arrisca-se a voltar a Portugal no próximo dia 26.

1. Nos primeiros 10 minutos de jogo ainda criámos um calafrio quando Ronaldo atirou com o pé esquerdo para defesa de Neuer. Desde cedo entendi que Paulo Bento ia apostar numa atitude defensiva, de forma a não deixar os alemães colocarem em prática a circulação de bola semi-apropriada ao Bayern de Munique de Guardiola: muitos passes entre os homens de meio-campo, muitas combinações entre o médio interior, o lateral e os alas e respectivo cruzamento para área à procura da referência de ataque da equipa, neste caso Thomas Muller, o herói da partida de Salvador da Baía. [Read more…]

Cristiano Ronaldo & Pepe

Não sou o fã número um da seleção. Mas já fui.

Estive nos cafés, no tempo da Escola Secundária, a ver Portugal ser campeão na Arábia Saudita. Andei também pelos estádios a ver Portugal ser Campeão do Mundo em 1991, no arranque da mais fabulosa geração de futebolistas que o nosso país teve.

Cresci com eles e maravilhei-me com os feitos deles nas grande competições, até … Mudar tudo.

Para mim a seleção não é um clube. Nunca sofri pela seleção como pelo BENFICA, nem pouco mais ou menos. É um defeito meu, eu sei. Quem não os tem?

Mas com o Scolari foi a ruptura porque nunca me identifiquei com a bandalheira que aquele tipo gerou à volta da equipa,  ainda que, do ponto de vista dos resultados, tenha estado bem. [Read more…]

Amor à camisola

Pepe: as pátrias são de quem as ama, não de quem se limitou a nascer nelas. Aos que no séc. XXI insistem que só devem jogar na selecção aqueles que aqui nasceram, Pepe demonstrou mais uma vez que é o verdadeiro líder da equipa, ao contrário de um ilhéu que continua a não ser digno da braçadeira.

 

Pepe será militante do PSD: Relvas és o senhor que se segue

Este tipo tem a escola toda! “Se mexer, leva!”

Vai daí pensei em arranjar um cartão de militante do PSD ao Pepe. Assim, como assim, já sabe o hino, ainda que na versão com samba.

Quando o Relvas abrir a boca para dizer mais uma parvoíce, manda-se uma mensagem ao bobi e ao tareco e eis que numa entrada de carrinho, a pés juntos, temos o Relvas, no soalho, com as duas pernas partidas ou até quem sabe com uma distensão muscular na ponta do nariz. Com um jeitinho, ainda sobra uma cotovelada para o Coelho.

A vontade de agredir é tanta que, no jogo de ontem contra o Valência, PEPE agrediu um colega do Real Madrid (com  um 7 na camisola). Terá sido o Cristiano Ronaldo a vítima?

Veja com os seus próprios olhos:

[youtube:http://youtu.be/kauFdeh0mRI]

O agredido ainda teve forças para se rir da situação.

Ídolos da juventude

Pepe e Ronaldo perderam a cabeça no túnel

Pepe: A legitimidade de criticar


A ingratidão é fodida.

Portugal – mudanças na equipa

Entram o Ricardo Costa, o Pepe, o Dany e o Duda. Assim teremos:

Eduardo

Ricardo Costa -Bruno – Ricardo Carvalho -Coentrão

Pepe – Raul – Tiago

Dany – Ronaldo – Duda

O Pepe vai jogar contra a equipa mais forte depois de seis meses sem jogar. O Duda entra para tapar as subidas do Maicon ou para jogar recuado e jogarmos num 4x4x2 ? E o Dany é para o contragolpe juntamente com o Ronaldo!

Besta ou bestial? Daqui a duas horas já saberemos.

Nani e Pepe – tudo mal explicado!

“Daqui a uma semana estou bom” disse Nani quando chegou ao aeroporto, que é exactamente o tempo necessário para o Pepe jogar, se é que joga.

A não ser que o Pepe vá treinar contra o Brasil não se percebe a pressa em mandar embora o Nani, pois este até tem a vantagem de estar em grande forma, enquanto o Pepe não joga há seis meses. Os dirigentes da federação tentam calar o caso mas na verdade o que seria necessário é que explicassem bem explicado. Os antigos jogadores ontem no Prós e Contras, foram de opinião que neste momento todos estão focados no jogo de hoje, não há tempo nem necessidade de falar do caso, o que interessa é ganhar, depois explica-se. Espero que sim!

Na Costa do Marfim a novela acerca do Drogba continua, joga, não joga, joga digo eu, embora seja de alto risco podem ficar sem ele para o resto dos jogos. Todos escondem os trunfos, embora Portugal não vá apresentar nenhuma surpresa, trata-se de roubar a bola aos Africanos e pô-los a correr, afinal é o melhor que sabemos fazer.

Eu estou convencido que não vai haver golos, empate a zero, com o Queiroz não se joga para ganhar, joga-se no erro do adversário, digo eu que já vejo tudo a correr mal e já estou com uns nervos do catano!

Quer apostar? 1 – x – 2 .

Honremos a memória de Pepe (Memória descritiva)

Quando hoje vemos Cristiano Ronaldo, vindo de uma família da mais modesta condição, nadando em milhões de euros, oferecendo mansões a irmãos e sobrinhos, espatifando carros topo de gama, misturado com figuras do jet set internacional, é inevitável a comparação com ídolos do passado, homens que, nunca saberemos, poderão até ter sido melhores futebolistas do que ele, mas que viveram e morreram sem outra recompensa que não fossem os aplausos de adeptos e, por vezes, até de adversários.

Já aqui falei de Pinga, o ídolo do Futebol Clube do Porto. Hoje falarei de Pepe. Benfiquista assumido, sócio de longa data e com as quotas em dia, não tenho qualquer problema em reconhecer a grandeza que existe e existiu nos clubes adversários. Sem adversários, que sentido faria a existência de qualquer clube?

Mentiria se dissesse que não fico contente quando os clubes que competem com o meu Benfica perdem. Seja qual for a modalidade. Seria uma intolerável hipocrisia. Mas espero que acreditem que não me vanglorio com o péssimo momento que o Sporting está a passar e, muito menos, com a decadência do Belenenses, cuja situação, desde há anos, se vai degradando. É deste último clube que vou hoje falar e do seu imorredoiro ícone – José Manuel Soares, «Pepe». O grande Pepe. [Read more…]

A máquina do tempo: Pinga e Cristiano

Fotografia da equipa do FCP, campeã em 1939/40. Pinga está ao centro, com o joelho ligado devido a uma operação ao menisco.

No sábado da semana passada, à noite, estava com a família a jantar num restaurante de Portimão. Muitos espanhóis estavam por ali e, claro, os televisores estavam ligados para o Real – Almería. E vimos Cristiano jogar bem e agir mal, como quando, depois de ter falhado a marcação de uma grande penalidade, não festejou com os colegas o golo que na recarga, subsequente ao penalty falhado, Benzema marcou. As câmaras captaram o seu ar desgostoso, como se em vez de a sua equipa ter marcado, tivesse sofrido um golo.

Vimos depois como, dois minutos após, festejou exuberantemente o «seu» golo, despindo a camisola e sofrendo a amostragem de um amarelo que veio determinar a sua expulsão e a impossibilidade de jogar em Valência. Tal como sucede na selecção, Cristiano entende que a equipa é composta por ele, a vedeta, e por dez figurantes. Entre parêntesis pergunta-se: como é que se escolhe para capitão uma pessoa como Cristiano? Ricardo Carvalho, por exemplo, não terá um perfil mais adequado a essa função?

Cristiano Ronaldo é um grande jogador, tem uns pés maravilhosos, faz fintas do outro mundo – um sobredotado. Bem sabemos que as bolas de ouro, os Óscares, os prémios Nobel, valem o que valem, mas, com bola de ouro ou sem ela, Cristiano é um jogador de eleição. E a pessoa? Com é a pessoa que dá pelo nome de Cristiano Ronaldo?

A pessoa é narcisista, egocêntrica, vaidosa e, sobretudo, imatura – um ser humano com a alma apequenada pelo desfasamento entre a «inteligência» dos pés e a patetice da cabeça. Sou forçosamente levado a compará-lo com outro ídolo do futebol mundial, o Messi – um rapaz que sendo um grande jogador, não se deixa ofuscar pelo brilho da própria imagem. E lembro grandes jogadores portugueses – Eusébio, desde logo, ao qual já dediquei um texto, Peyroteo, e andando mais para trás, Pepe e Pinga. Todos eles modestos, pessoas simples. Todos eles geniais jogadores. [Read more…]