Senhora Presidenta de la República de Chile

 Sua Exelência, Presidenta do Chile, Dra. Michelle Bacchelet. Bem sabemos que o  retrato a óleo em frente de si e de vários que lêem estes textos, não é o seu. O seu e mais do que conhecido e deve ficar marcado na História do nosso País, como este de Dona Paula de Jaraquemada y Alquízar ( Santiago jJnho de 1768 – † falleceu a 7 de Septembro de 1851) Nos tempos da guerra pela Indepedência do Chile e mal soube do denominado desastre de Cancha Rayada, acontecido a 19 de Março de 1818 perto da, então, Vila de São Agostinho de Talca, hoje a cidade de Talca, mandou de imediato ao seu filho em frente de um batalhão de inquilinos (jornaleiros ou peões), para colaborar com o General José de San Martín, derrotado pelos godos (espanhois) de coroa da Espanha que tinham retomado o nosso país após a sua declaração de independência, a 18 de Setembro de 1810. Não havia rei, decidiram, em Cabildo Aberto ou Junta de Notáveis,  se governarem a si próprios. Pouco tempo durou. Bonaparte, derrotado pelos ingleses, libertou as cabeças coroadas da Europa baixo o seu poder e essas coroas correram a recuperar as suas Colónias. Quatro anos foi o lapso de tempo entre a independencia adquirida e a derrota dos godos. Doña Paula fez da sua Hacienda (Fazenda) em  Paine, Maipo, perto da antiga capital, hoje em dia parte da mesma, Santiago, um hospital, quartel geral, ofereceu os seus cavalos e pertrechos e alimentou ao Exército Patriota até a comida acabar para todos e para ela. Essa batalha perdida, foi recuperada pela de Maipú de 5 de Abril de 1818, dia em que O´’Higgins e São Martín derrotaram aos soldados da coroa e foi declarada a padroeira do Chile, la Virgen del Carmen (Nossa Senhora do Carmo). Não sou homem de fé, os generáis tambem não, mas o povo precissa de uma santa para tomar cargo dos seus assuntos)

Doña Paula Jaraquemada, a seguir a sua colaboração com os patriotas, foi invadida pelos realistas que queriam tirar os derradeiros alimentos e incendiar a casa. Cruçou o molhe de chaves no seu corpo e disse com voz de mando: Venid por ellas (Vindes  por elas). Perante tanta força e senhorio, ninguém ousou aproximar-se. O Talavera que comandava, Mariano Osório, mandou queimar casa, esse imenso solar de pedra e barro, caiado de branco. A Doña Paula, calma e serena, perante o exército e os inquilinos, disse: Queréis  fuego (quereis fogo?) Deu um pontapé num braseiro: Ahí  teneis…., podeis inncendiar (ai tendes…podeis incendiar.)…Envergonhados pela força da Dama, retiraram-se, tendo, assim, os godos, perdido a batalha….Como a Paula Jaraquemada que hoje nos governa:, médico pediatra, graduada em estrategia militar na  Academia Nacional de Estudos Políticos e Estratégicos (ANEPE), obeteve o primeiro lugar da sua turma (promoción).  Resultado;  Beca de Honor Presidente de la República para realizar o curso de Defesa Continental no Colégio Interamericano de Defesa, en Washington DC, em 1997, junto a 35 militares e vários civis de todas as Américas. Especialização que lhe permitiu  incoporar-se como asesora do Ministro da Defesa. Senhora Presidente, digna filha do seu pai, pessoa que tive o prazer de conhecer ao visitar o Chile de Allende: o General Alberto Bachelet,  General de Aviação, como o meu sogro o General Raúl González Nolle de Monjeville, professor do seu Senhor Pai.  A sua presidência tem sido um sucesso, Portugal a cumprimenta, como nós, os anglo-luso-chilenos. Por favor , descanse agora. Apenas um conselho: o melhor descanso é nunca parar.

 

 

Comments


  1. Muito bom, Prof. e bela homenagem à sua Presidente.