Xiribráqui

Xiribráqui não existe. Aliás, não existia até este preciso momento. O acto de referir uma não existência transformou uma inexistência em algo concreto. Podemos agora questionarmos sobre o que é xiribráqui, se tem cor ou cheiro, se será uma ideia ou um objecto. Ou simplesmente, podemos dizer que é algo inexistente, o que já é uma forma de lhe dar existência.

O euro tornou-se uma realidade há algum tempo e, contrariedades à parte, até recentemente ninguém colocou a hipótese dele alguma vez findar. Mas essa hipótese foi colocada na mesa, primeiro entre-dentes por várias pessoas, agora à boca cheia por Passos Coelho numa entrevista. A ideia do fim do euro ganhou forma e até ser realidade bastará um passo.

Xiribráqui é o fim do euro.

Trackbacks


  1. […] o lehman brothers, variadas catástrofes ambientais, o facebook,a primavera árabe, o (quase) colapso do euro e o nosso terceiro pedido de apoio ao fmi, entre […]

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.