A OCDE, o acesso à informação e os vídeos privados

Sou apenas um cibernauta de modestas capacidades, procurando extrair benefícios do acesso a informação e conhecimentos, proporcionado por esse imenso – e por enquanto livre! – mundo da Internet. A exemplo do que sucede nas actividades da vida, também, no uso da Internet, procuro agir em estrito respeito pelas normas vigentes.

No passado dia 28 de Novembro, publiquei este ‘post’, ilustrado por vídeo divulgado, então sem reservas de privacidade, no ‘Youtube’. As imagens mostravam o chefe-economista da OCDE, Carlo Padoan, a alertar para a necessidade dos países europeus, mas também dos EUA, preparem medidas sérias para minimizar os efeitos da profunda crise prevista para 2012.

Hoje, da parte de alguém que se auto-intitula de “Lagartices”, recebi o seguinte aviso:

      Só para avisar que o vídeo colocado neste post não pode ser visualizado (This video is private)…

Cumpridor de normas, e para evitar problemas devidos à posterior classificação do vídeo como privado, decidi substituí-lo por um outro da “Euronews”. No fundo, das imagens e do que é relatado, pode ser formulado idêntico juízo: 2012, segundo a OCDE, será um ano de agravadas complexidades económicas e sociais para os Europeus.

[Read more…]

Imagens do Orgasmo Feminino ao Vivo

O orgasmo feminino gravado ao vivo, acompanhado de gritos e gemidos, à beira de uma piscina, em plena natureza ou na intimidade de uma bela casa, com a lareira acesa e uma bebida preparada, é bastante vulgar e corrente, o mundo está cheio dessas imagens. Chegado aquele momento, a mulher geme, grita, arranha, contrai-se, distende-se e etc., manifestando os sinais exteriores do orgasmo e do prazer. Mas por dentro, dentro do cérebro, o que acontece a uma mulher no momento do orgasmo? Se nunca viu, veja agora

A menina da fotografia

A menina da fotografia cresceu e chama-se Maria da Conceição Tina saiu no Público esta semana. Patrícia Carvalho pegou no depoimento da hoje mulher e professora que nos anos 60 foi a menina retratada por Gerard Bloncourt numa fotografia ícone da emigração portuguesa em França e teve aquele toque de génio que faz a jornalista desaparecer do texto e dar-lhe a magia de um depoimento.

É uma pequena obra-prima: está ali a História, do que fomos e somos, a beleza de uma mulher que se abre revelando a memória, a teia que força hoje a sua filha desempregada a emigrar (as repetições na História são ambas tragédias), conta-nos como a mulher só este ano se soube a menina retratada e fotografa-lhe a vida que foi a de tantas meninas e meninos, nem todos com um final quase feliz.

Parabéns a Patrícia Carvalho, a Gerard Bloncourt  e a Maria da Conceição Tina, e deixo-vos aqui o pdf para que estas páginas circulem pela rede,  partilhem, partilhem sff, num tempo de cinzas há sempre um raio de sol onde a vida da gente também sai no jornal.

Baixar A menina da fotografia

Agradeçam ao senhor Cunha.

Parece que um organismo internacional descobriu o que o governo da República Portuguesa anda a tentar ocultar há anos: a “corrupção no sector público” como causa da crise da dívida em Portugal. Não era preciso gastar milhões em estudos, como aqueles que foram gastos na OTA e no TGV para perceber uma coisa simples, que a corrupção, seja ela do tipo clientelista (como a cunha) ou da alta finança produz efeitos bombásticos no desenvolvimento de um país.
A cunha, por exemplo, tem semeado a incompetência na administração pública que pretere o mérito pela admissão de indivíduos ligados a famílias e partidos. Não ignoremos que a maioria dos concursos públicos estão viciados: ou são feitos à medida de um certo candidato ou o próprio júri justifica com intrincáveis preciosismos a sua escolha, frequentemente um medíocre tirado das fileiras de inúteis que alimentam as Queimas universitárias. Da administração central ao governo, do cantoneiro ao primeiro ministro, faz tudo parte de uma imensa cadeia de favores mútuos que vem do passado: uns ajudam outros e todos se ajudam.
A verdadeira ética que alguns chamam republicana era acabar com a partidocracia e devolver ao cidadão o controle da política. Mas isso, claro, não convém a ninguém. Mesmo os que agora criticam o que antes aplaudiam. Quando havia dinheiro para distribuir e cunhas para agradar a todos, toda gente era pró-europeísta, votava a torto e a direito em PS e PSD. Agora, tirada a gamela, morra o Euro, morra PSD, morra o PS, abaixo os políticos e acabe-se com a corrupção.
É a cair que aprende a andar, meus amigos.

As três perguntas que Marcelo Rebelo de Sousa recusa responder

São das perguntas mais solicitadas nas ultimas semanas na divulgação da tvi 24 horas “faça uma pergunta a Marcelo…” têm sido sistematicamente ignoradas pelo mesmo no seu tempo de antena disponibilizado pela tvi ao domingo e que ainda lhe paga principescamente para não ser mais do que um comentado parcial, tendencioso, não isento sempre em total apoio a todas as iniciativas do PSD e porta voz das campanhas do presidente da republica e do governo durante as eleições na TVI. São estas as 3 perguntas:

1ª pergunta:
Diga  em directo aos portugueses na TVI ao domingo quanto ganha por mês e por ano e depois de o fazer, diga que moral tem para apoiar esta politica desastrosa deste governo que vai levar os portugueses à miséria, massacrando os portugueses nos seus discursos para que nos resignemos e aceitemos ser pobres

2ª pergunta:
Seria capaz de doar a sua fortuna, por exemplo a um dos seus colegas e/ou amigos do PSD que ainda não esteja milionário e viveria e sustentaria a sua família com mil euros por mes e desta forma continuaria a apoiar esta politica do governo PSD?

3ª pergunta:
Considera ser eticamente correcto e honesto dispor de um tempo de antena na TVI (órgão de comunicação pressupostamente isento…) E ainda ser pago principescamente para fazer campanha total e permanente pelo seu partido PSD???? Um comentador deve ser isento e imparcial e o senhor não cumpre nenhum destes dois princípios básicos.

Francisco Gomes

Como Portugal podia ter conquistado a Península

Contém um documentário muito sério, um exercício de história alternativa  que em rigoroso exclusivo aqui apresentamos antes de ser incluído na próxima obra de Rui Ramos.

À desorientação junta-se a loucura

É evidente que os governantes já não sabem o que fazer para aplacar a presente crise. Estão desorientados e dão muitas mostras disso. Mas não se ficam por aqui. Ontem o Ministro das Finanças anunciou que o estado vai absorver os fundos de pensões dos bancos nacionais, chegou a declarar:

Este encaixe vai permitir o pagamento de dívidas das administrações públicas, contribuindo assim para o processo de diminuição do rácio de transformação dos bancos portugueses e o financiamento da economia.
[Jornal de Negócios]

 
Isto são sinais inegáveis de loucura.

[Read more…]

Restauração a ser descontinuada

Hoje dá na net: Las Hurdes – Terra Sem Pão

Um bom dia para ver um filme do grande cineasta ibérico Luis Buñuel. Las Hurdes – Terra sem Pão, um documentário da fase de militância surrealista, apenas estreado em Portugal em 1972, adivinhem porquê…

Las Jurdes ou Las Jurdis, em estremenho, é ainda hoje uma região montanhosa paupérrima (pese ter-se tornado num ponto de atracção turistíca). Em 1932 era assim.

Legendado em português. Ficha IMDB.

Se perdermos a independência, para quê comemorar a sua restauração?

fim da independência

Realmente, faz sentido.

%d bloggers like this: