Hóquei em Campo: Atitude competitiva, determinação, motivação, concentração e comunicação, paradigma para uma selecção no feminino

Armindo de Vasconcelos

José Martins é o responsável pela selecção feminina que na próxima semana vai disputar o Eurohockey Junior Championship III que, tal como o campeonato masculino, se disputa no Jamor. Antigo Director Técnico regional da Associação de Hóquei do Nordeste Transmontano (com sede em Alfândega da Fé), José Martins praticou ainda futsal em Mirandela. Nesta cidade, foi treinador desta modalidade, e também de atletismo.

Prestes a iniciar o arranque final em direcção à competição, José Martins elege “a tenra idade de grande parte da equipa e o pouco tempo de treino” como as dificuldades maiores a vencer.

Sobre as expectativas, não se demarca de um certo pragmatismo: “A experiência que fui adquirindo ao longo dos anos nestas andanças diz-me que devo falar de forma aberta, sem receios mas com os pés bem assentes no chão. Sonhamos sempre em conseguir a subida ao Championship II, mas sabemos que é quase impossível… Desejo fazer um campeonato equilibrado, isto é, ter uma equipa com atitude competitiva exemplar, uma equipa concentrada, comunicativa entre ela, uma equipa determinada e sempre motivada. Parece-me que, se entrarmos bem no primeiro jogo, apesar de ser contra a equipa que desceu do Championship II (Azerbaijão), poderemos no dia 22 estar a lutar pelo acesso à subida de divisão”.
Relativamente à preparação possível, sempre exígua nas modalidades biblicamente amadoras, em que cada golo custa uma fortuna em sacrifício e doação, manifestou-se “um optimista por natureza” e faz desse optimismo o seu “discurso para com o grupo”. Adepto da expressão: “O que não nos mata torna-nos mais fortes”, reconhece como verdade “que este grupo de trabalho passou por muitas dificuldades para chegar até aqui, mas soube aceitar o que lhe facultaram e soube também ultrapassar todos os momentos menos bons”.

Assume que queria ter trabalhado “durante mais tempo e com um maior leque de opções, mas por razões variadas não nos foi possível. No entanto tudo faremos para dignificar o hóquei feminino português, dentro do meu paradigma: atitude competitiva, determinação, motivação, concentração e comunicação”.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.