Sexta-feira 13 dos Professores, mas ainda mais das Escolas e dos alunos

Estou há horas para começar este post, mas os dedos teimaram em não responder.

Hoje, vi as escolas como nunca tinha visto

Depois de um dia fantástico, o de ontem, nas ruas da Lisboa antiga, do Rossio ao Parlamento,eu não merecia um dia assim. Nós, os resistentes, não merecíamos um dia assim!

E nem falo por mim.

Tenho dificuldade em colocar em palavras o que aconteceu.

Há de tudo: diretores que chamam os professores, tipo centro de saúde com o povo todo na sala de espera.

Há quem mande por correio, quem ordene um telefonema. Também há quem recorra ao mail e, é verdade, por SMS:” Caro colega, ao abrigo da Legislação em vigor, venho a informar que não temos componente letiva para si”.

Eu já tinha ouvido falar em despedimentos por mail, agora por sms!!!

Queria conseguir explicar isto aos leitores do Aventar que não são Professores, mas não é fácil – acham normal que professores “efectivos” há mais de vinte anos estejam sem horário para o próximo ano? E aos milhares?!!

São Directores de Turma e Coordenadores, professores do 1ºciclo, do secundário, educadores de infância e professores do básico. São de matemática e de línguas, de expressões e de história. No litoral e no interior…

Não há post algum que possa receber a raiva que se viveu hoje nas escolas públicas portuguesas.

Foi, de facto, uma verdadeira 6ªfeira 13 para a Escola Pública.

E Nós só queremos que nos DEIXEM ser Professores!

Só isso!

perigosa manifestante detida em Madrid

Ao ser detida, terá dito a um polícia:

“Quando os vossos filhos vos perguntarem que fizeram por eles, respondam-lhes que me bateram.”

Passos Coelho repõe porcaria na ventoinha

Passos Coelho renova total confiança em Miguel Relvas

Apresentação

Lançamento dos livros de Adão Cruz e de Eva Cruz (texto de Augusta Clara)

(Fotografias de Elisabete Silveira)

(da esquerda para a direita Carla Romualdo, Augusta Clara, Adão Cruz, Susana Fernando e Marcos Cruz) [Read more…]

Relvas: Inimigo Público

Depois de um post «depressivo» como o que escrevi atrás, rir é o melhor remédio…

O Inimigo Público é um suplemento genial daquele jornal.

Hoje, apetece-me fazer «copy/paste» de algumas piadas:

1. “Clube dos distritais muda de nome para Relvas Futebol Clube para subir à primeira divisão num ano” (JH);

2. “Bloggers do PSD pagos a €3, 96/ hora pelo Governo para não dizerem nada sobre o Relvas” (JH)

3.” Licenciados da Lusófona em Ciência Política que foram obrigados a estudar 4 anos estão a assistir ao caso Relvas no ‘call center’ com enorme consternação” (JH)

4. “Relvas já foi apagado do Orçamento de Estado para 2013” (MB)

5. ” Ciganos vendem piadas do Relvas para usar nas redes sociais a 1 euro” (JH)

(JH-João Henrique; MB- Mário Botequilha)

Duas Pombas Assassinadas na sua Honra

A grande pomba perseguida Relvas e a grande pomba-abutre ou papagaio-pomba-corvo Filho da Puta. Só nós, os que se licenciaram ou pós-graduaram a sério e a doer, é que não podemos defender a nossa honra e dignidade maltratadas. Após décadas de precariedade, extinguem-nos o trabalho e inviabilizam remunerações dignas dos filhos que fizemos, das famílias que constituímos. Andam estes políticos em regime de excepção, décadas acalentando a sua estufa privativa de milagres homologantes, décadas a abrir a anilha ao capital e aos donos fáticos de Portugal, e ainda lhes sobra lata para defenderem uma coisa, neles extinta ou exilada, chamada honra e bom nome. Quanto mais, por exemplo, o Filho da Puta desde Paris fala ou manda falar da sua honra e do seu bom nome, mais vontade dá de o chibatar sem dó nem piedade. Quanto ao perseguido Relvas, aprenderá cedo pelo menos a calar o bico matraqueante de pomba tagarela?!

A depressão entre os professores

Passos Coelho no debate sobre o Estado da Nação, esta semana, disse que não queria assustar os portugueses.

Mas a verdade é que nunca estivemos tão assustados.
Que o digam, por exemplo, os professores e respectivas famílias!!
É deveras preocupante: 25 000 horários perdidos e 18 mil professores contratados poderão ser despedidos. E não são só os mais jovens: há professores a contrato há dezenas de anos.
“É uma agonia”.
É a depressão entre uma classe cuja importância é indiscutível para o desenvolvimento do nosso país.
Andamos deprimidos, nós professores: ao nosso lado vão caindo colegas, engrossando o número já trágico de desempregados. “Quando serei eu?”, é uma pergunta inevitável. As turmas serão menos, mas aumentará o número de alunos; as salas vão rebentar pelas costuras; os professores irão trabalhar sem motivação e assustados. Para cúmulo, muitos terão que saltar de escola em escola, gastando do seu próprio dinheiro. Pagar para trabalhar.
Até quando?
Corte-se mais na Educação e vamos longe!

Uma republicana questão de bom gosto

Porquê o João Carlos e não a Penélope?

Um problema complicado

Uma aluna fez-se substituir na realização dos exames do secundário. No caso utilizou como expediente “um comprovativo do pedido de Cartão de Cidadão”, mas se calhar nem precisava de tanto. É que as fotos do CC são mesmo muito pequenas, nem sempre nítidas, e é preciso muito zelo por parte dos professores vigilantes, ainda para mais perante examinandos que estando numa fase de crescimento facilmente “enganam”.

Não estou a criticar os cartões em si, mas se calhar daqui a uns anos vamos precisar de uma solução tecnológica para este e outros problemas de fraude (como o dos telemóveis que facilmente se podem utilizar numa ida à casa de banho…).

Que se jodan

Andrea Fabra, deputada do PP e filha de um político corrupto, mandou foder os desempregados em pleno parlamento. Agora diz que a sugestão sexual se dirigia aos deputados do PSOE, o que não passa de um detalhe.

Eu gosto da direita espanhola, muito menos disfarçada que a nossa com as mãos muito mais sujas de sangue, menos discreta, canalhamente assumida.

Mas que isto vai acabar mal, vai. A História nunca se repete, excepto enquanto figura de estilo, mas reproduz-se com imensa facilidade.

Tu és melhor do que tu

Faz-me o favor…

Faz-me o favor de não dizer absolutamente nada!

Supor o que dirá
Tua boca velada
É ouvir-te já.

É ouvir-te melhor
Do que o dirias.
O que és nao vem à flor
Das caras e dos dias.

Tu és melhor – muito melhor!
Do que tu. Não digas nada. Sê
Alma do corpo nu
Que do espelho se vê.

Mário Cesariny, in “O Virgem Negra”

Cede????!!!!!

É triste ao que chega um jornal que chegou a ter algum prestígio, na sua patológica ofensiva contra o Governo.

 

Donos de Portugal: à venda por 4, 99€

“No momento em que a crise expõe as fragilidades do desenvolvimento económico do país, o documentário revela quem foram os principais intervenientes e protagonistas na economia portuguesa durante o último século. Produzido para a RTP2 no âmbito do Instituto de História Contemporânea, o filme é realizado por Jorge Costa (juntamente com Cecília Honório, Luíz Fazenda, Francisco Louça e Fernando Rosas)” (Público, 13/7).  

Repare nisto: “Os nomes das grandes famílias que detêm o poder económico em Portugal são as mesmas de há 100 anos“. Uma delas e no centro do referido grupo, “sempre esteve a família Mello”: os Mello ligaram-se, na primeira metade do século XX, aos Lima Mayer pelo casamento de Jorge de Mello com Luísa Lima Mayer. Um dos filhos desta união, Manuel de Mello, vai casar-se com a filha do industrial Alfredo da Silva integrando assim o grupo CUF no império Mello. Desta união nasce Cristina, futura esposa de António Champalimaud. Os seus filhos iniciam a linhagem Mello-Champalimaud.” Esta é apenas uma dessas famílias que o documentário refere.

Ligações desinteressadas… Tudo por amor! 

Podemos falar em «dinastias» e «impérios» depois do fim «oficial» das Monarquias e Impérios… Outros reis e rainhas, outros imperadores e imperatrizes, o mesmo povo.

DVD Donos de Portugal está à venda a partir de segunda-feira juntamente com o jornal Público, por mais 4, 99€.

 

Os Xutos & Pontapés ingleses fizeram 50 anos

Roma, Ascensão e Queda de um Império – A Queda de Roma


Documentário que relaciona as Invasões Bárbaras com o fim do Império Romano, apontando outras razões para o fim de Roma.
Da série Filmes completos para o 7.º ano de História
Tema 2 do Programa: A Herança do Mediterrâneo Antigo
Unidade 2.2. – O Mundo Romano no apogeu do Império

Martin Ron: O Mágico

Mural na estação de Tropezón, em Buenos Aires. Ver mais imagens.

Por que razão os professores não são ouvidos?

Segundo ouvi dizer, o ministro da Saúde poderá reunir com os médicos, um dia depois de estes terem participado numa greve que durou 48 horas e contou com uma elevada taxa de adesão. Para além disso, ao que parece, esta greve foi um êxito de relações públicas, uma vez que os médicos terão contado com a compreensão de muitos cidadãos.

Os professores, face àquilo que se passa na Educação, continuam a não ser ouvidos, porque, desde 2005, entre manifestações, greves e tomadas de posição da classe docente, as políticas educativas têm vindo de mal a pior. [Read more…]

A Escravatura é uma Oportunidade?

O desemprego não é mau, “é uma oportunidade para mudar de vida“.
E com a ajuda do IEFP, é fácil encontrar um emprego de futuro, justamente remunerado e sem ter que comer brioches de manhã à noite, que isso são proteínas a mais.
Melhor mesmo a “ardiúmes na pachacha” é ser engenheiro mecânico, com experiência, desenhador e com conhecimentos avançados em duas línguas estrangeiras, e trabalhar meio ano à recompensadora paga de 3 moedas de euro por cada uma de 160 horas de trabalho.
Sempre é melhor que nada, e há enfermeiras a ganhar menos!

Vida fácil terá tido a senhora sua mãe

Cavaco diz que portugueses sofrem efeitos de “uma vida fácil”