Hóquei em Campo: Finalistas de Pequim já anunciaram convocados para Londres

Armindo de Vasconcelos

As selecções finalistas dos Jogos Olímpicos de Pequim (2008), Alemanha (medalha de ouro) e Espanha (medalha de prata), anunciaram oficialmente os jogadores convocados para a olimpíada londrina.

Os espanhóis, últimos classificados no recente Torneio das Quatro Nações de Dusseldórfia, vão contar com dez dos finalistas de Pequim e promoveram a capitão o catalão Santo Freixa.

Dani Martin, seleccionador espanhol, vai contar com os seguintes jogadores: [Read more…]

Dos mineiros asturianos, com humor

O Putedo das Esquerdas

O Congresso das Alternativas é uma coisa que volta e não volta regressa para cheirar mal a partir do lado do espectro castrado nacional que se intitula de Esquerda. Sempre digladiantes e sempre rivais, devorando-se pelas décadas, aparecem agora, velhos e catarrentos, organizadores e primeiros aderentes do Congresso das Alternativas. Comecemos pela coisa inefável chamada Soares. Politicamente, Soares é um nojo. Um nojo ao nível do desgaste e da dissolução de Cavaco, coisa inexorável. Nojo porque não avalia os desastres que a sua prole causou ao País. Nojo porque hemiplégico da Razão. Mesmo o PCP, espécie de Partido Comunista Católico Nacional, ameaça aderir a esse folclore pífio. Isto, resumidamente, é mais um passe cínico de contorcionismo: imagine-se João Galamba, Isabel Moreira, o bosta total valupi, arvorando-se todos de Esquerda, criados, como Eva, a partir da costela do Filho da Puta dos Furtos, e já podemos crer ter avistado um porco a fazer parapente. O único perigo será levar a sério gente que já mostrou de que lado perigoso-guloso quer estar. Ser de Esquerda, para estes merdas, é uma espécie de gripe nostálgica quando se confrontam com a impossibilidade de ser Poder para sugar e sugar Portugal. Beatos do caralho!

As equivalências de Miguel Relvas

Miguel Relvas no seu bacharelato (em pós-bolonhês – pB -, designa-se por licenciatura) em Ciência Política e Relações Internacionais, que concluiu em 2007, terá obtido equivalências a cadeiras feitas nos cursos de História e Direito que frequentou nos anos 80.

Pese a diferença entre a Universidade de Coimbra e uma tal de Lusíada digo, Lusófona*, também andei por Direito e História na mesma década, e os currículos oficiais não eram muito diferentes, mais turbo-professor, menos coiso e tal.

Fico à espera que uma investigação jornalística desvende quais as cadeiras da década de 80 que obtiveram equivalência 20 anos depois, porque dou de barato não ter esta notícia do Público (só teria feito Ciência Política e Direito Constitucional, citadas como uma disciplina quando até numa privadas seriam duas) qualquer fundamento. [Read more…]

Vítor Gaspar é contra a exploração de enfermeiros

Descobri, graças a uma das minhas leituras diárias, que Vítor Gaspar defende que é importante pagar bem a técnicos especializados, para evitar que estes sintam um “um desincentivo à aceitação de elevadas responsabilidade e exigências”.

É-me impossível estar mais de acordo e tenho, portanto, a certeza de que o ministro das Finanças irá procurar repor a justiça, sempre que verificar que haja profissionais diferenciados a serem pagos abaixo dos membros da Comissão de Recrutamento e Selecção da Administração Pública. Gaspar irá, certamente, começar pela situação dos enfermeiros contratados por valores inferiores ao do salário mínimo.

Pela parte que me toca, fico, também, a aguardar pelo fim de tanto “desincentivo”.

As lágrimas do Euro 2012

O Euro 2012 tem dado que falar, mesmo depois do derradeiro jogo.

Muito se chorou nos estádios onde decorreu. Dentro e fora do campo foram derramadas lágrimas por derrota, vitória, orgulho, etc.

O outro lado do Euro 2012…

É caso para dizer que há lágrimas e lágrimas: elas não são todas iguais, embora o poema de António Gedeão diga que todas são, sem distinção, constituídas de “água (quase tudo) e cloreto de sódio”!! Há que respeitar quem chora, por que chora e o momento em que o faz, involuntariamente, espontaneamente, no meio da multidão e sem esperar ser filmado!

Que o diga a adepta alemã cujas lágrimas de orgulho e felicidade pela sua seleção foram interpretadas e manipuladas erradamente.

As suas “lágrimas foram choradas na execução do hino alemão, antes de a bola rolar, e que a realização televisiva da UEFA tinha gravado, descomposto e diferido a realidade para o final do jogo”. Mas foram usadas para ilustrar a derrota da Alemanha contra a Itália. Ela não gostou da brincadeira e, com razão, vai processar a UEFA. Isso não se faz! O outro lado da UEFA…

Apetece-me acabar este post dizendo aos fotógrafos e aos operadores de câmara: as lágrimas não são para se registarem. Talvez o riso… não sei… Mas as lágrimas são só para quem as chora. Por que as evitamos, disfarçamos, escondemos, negamos? Por que há tantos e tantas que não vemos chorar em público ou à frente de outros? Porque é coisa muito íntima.

Há muito que se lhe diga para se deixar cair (ou não deixar cair) uma lágrima!

Tortura!

Obrigam o monstro das bolachas a comer vegetais! – Para que servem os pais?

Uma moedinha por favor

(Pormenor de quadro de Adão Cruz)

O homem subia a Rua da Restauração, a qual, apesar do nome, nada restaurava, antes o desconjuntava ainda mais com a subida íngreme. Apoiado numa bengala arrastava a perna direita, desacertada por um AVC. Passava-se isto perto do Bairro Ignês, o bairro dos Erasmus, junto à casa abandonada do velho médico dos olhos, onde eu esperava os meus netos para a festa do primeiro aniversário da Carmen.

Filhos da puta enfiaram-me no banco de trás do carro, lá no fundo da rua, e disseram Ó meu, passa para cá o carcanhol. Limparam-me dezoito euros e deixaram-me aqui. O velho dirigia-se a mim fazendo esforços para lacrimejar. [Read more…]

Carnaval em pleno Verão: há um certo PS a disfarçar-se de esquerda

Nesse tratado literário e sociológico intitulado Os Maias, há um episódio em que acompanhamos João da Ega numa visita à redacção do jornal A Tarde, um pasquim com muito de partidário e muito pouco de jornalístico. A dada altura, nesse antro de maledicência, o conde de Gouvarinho, membro do partido a que o jornal estava ligado, é criticado por um correligionário que chama “carola” ao dito Gouvarinho, que teria criticado, no parlamento, uma proposta para introduzir a “ginástica nos colégios”. Neves, o director do jornal, resolve, então, puxar dos galões e dar uma lição de pragmatismo:

– Carola! Vem-nos agora o menino gordo com carola!… o Gouvarinho carola! Está claro que tem toda a orientação moral do século, é um racionalista, um positivista… Mas a questão aqui é a réplica, a táctica parlamentar! Desde que o tipo da maioria vem de lá com a descoberta do trapézio, Gouvarinho amigo, ainda que fosse tão ateu como Renan, zás!, atira-lhe logo para cima com a cruz!… Isto é que a estratégia parlamentar! [Read more…]

Roma Antiga e seus Imperadores


Um documentário falado em português que aborda alguns dos principais imperadores de Roma e a sua relevância na história de Roma.
Da série Filmes completos para o 7.º ano de História
Tema 1 do Programa: Das sociedades recolectoras às primeiras civilizações
Unidade 2.2. – O Mundo Romano no apogeu do Império

Guimarães