Porto!

19363760recepobxportoca

 

Eu não queria falar sobre o tema. Só quem nunca esteve envolvido na criação de raiz de projectos de marketing territorial se dá ao luxo de falar levianamente. É um trabalho duro, de enorme desgaste e óptimo para ser criticado pelos “bitaiteiros” do costume.

A nova imagem da marca Porto/Cidade não é indiferente. E aqui está um elogio aos seus criadores. Mesmo torcendo o nariz ao ponto final. Luís Paixão Martins, cujos seus sentimentos pela sua Lisboa se equiparam aos nossos sentimentos pelo nosso Porto, aproveitou para escrever sobre o tema puxando a brasa à sua sardinha.

Porque os gostos se discutem, aqui fica o meu: para mim, o Porto é ponto de exclamação e não ponto final. A exclamação das vendedoras do bolhão, dos frequentadores da baixa transformada em “movida Almodóvar”, do cimbalino pedido ao balcão, do Velasquez em dia de bola no Dragão, etc, etc, etc. O ponto de exclamação de sentimentos fortes. De entusiasmo. De arrebatamento. De cólera. Do antes quebrar que torcer.

Porto!

 

(imagem gentilmente palmada ao blog Bibó Porto Carago!

Comments

  1. António Fernando Nabais says:

    E Porto final parágrafo.

  2. Nightwish says:

    Eu se fosse o Luís Paixão Martins não mudava de profissão.

Trackbacks


  1. […] escolher os dois pontos, que representam a abertura de um diálogo e multiculturalidade. Já o Fernando Moreira de Sá entende que a única sinalética que se adapta ao Porto é o ponto de exclamação, que é o que […]

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.