Ti-morte

José Xavier Ezequiel

1901153_10204355949610780_109722158432856872_n

Envelhecer é, quase sempre, uma coisa terrível. Talvez pudesse não o ser tanto, se o tempo e a volúpia do poder não acabassem por enterrar, um a um, todos os meus heróis. Porém, estou fartinho de o saber, os heróis são mais ou menos como as pessoas. Nascem, crescem, reproduzem-se e morrem. A única diferença é que, por norma, se suicidam em público. E não morrem logo. Transformam-se em zombies. Em mortos-vivos. Em patéticos cadáveres ambulantes.

Admirava Lula da Silva. E, suponho, não precisarei de explicar porquê. Um dia, chegou ao poder. E foi vê-lo, mais rápido que a própria sombra do Lucky Luke, transformar-se em mais um escaravelho da bosta de rinoceronte. Daqueles que se deleitam em rebolar uma bola de esterco onde possam depositar os ovos da sucessão.

Agora vejo Xanana Gusmão a expulsar magistrados (portugueses ou não, na verdade, pouco interessa), só porque beliscaram membros corruptos do seu governo, há muito rendido às sinecuras do petróleo. Com o argumento, merdoso, da falta de competência técnica dos magistrados expulsos.

Alguém acredita que deixaram de ser competentes? Assim, de um dia para o outro? No exacto dia em que pediu ao Parlamento que não retirasse a imunidade a alguns dos ‘seus’ deputados, para não ‘perturbar’ a ordem pública?

Xanana Gusmão, meu herói dos amanhãs que já não cantam — que a merda te seja leve. Poucos o merecem tanto como tu.

Comments

  1. Américo Montez says:

    Há uma máxima anarquista (?) que diz:
    O poder corrompe. O poder absoluto corrompe absolutamente.


  2. Caro José,

    Não idolatre pessoas, idolatre ideias, valores, princípios. As pessoas mudam, erram, morrem, desiludem, e é normal que assim seja, porque são pessoas. As ideias e os valores sim, ficam para sempre.


    • Entre admirar e idolatrar vai uma gigantesca diferença, caro Eph. Mas olhe que há pessoas, poucas é certo, que nunca me desiludiram. Em contrapartida, houve ideias em que já acreditei e que, com o passar dos anos, perderam completamente o sentido.

  3. Santinho says:

    Este traidor já mostrou há muito que não passa de um invertebrado.

  4. Rui Moringa says:

    O poder é uma coisa tramada e excitante. Quando a velhice chega e o cheiro do dinheiro surge na penumbra tudo fica ofuscado e é para sair do caminho. Os argumentos são folclore em Ti-morte ou no Minho. Xanana já é um fantasma de sai mesmo.
    Sim, os valores estão aí mas poucos os reconhecem…O poder é fodido e o cheiro do petróleo queima os neurónios…

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.