Vai uma passa, Paula?

paula teixwira da cruz
Paula Teixeira da Cruz, também conhecida – ai de nós…- por ministra da justiça, deu entrevista. Para lá do desinteressante desfiar de banalidades ácidas, resolveu dar uma de modernaça, a ver se consegue polir a baça imagem que dela nos vai ficando. Assim e para surpresa geral, decidiu proclamar a necessidade de liberalizar (depois tentou corrigir o verbo para “despenalizar”, mas era tarde; já lhe tinha fugido o pé para a chinela) as drogas ditas leves. Não nego a pertinência da questão e o interesse em a discutir. Mas não se tratou de nada disso, como se torna evidente pelos termos simplórios e boçais com que a ministra a abordou. Para ela, o argumento é o da despenalização da droga e sua venda permitir acabar com o crime em si e toda a criminalidade associada. Não deixa de ser um argumento com algum mérito – já o conhecemos há décadas -, mas atirado assim, a sêco, sem articulação com a teia de complexidade que, a muitos níveis, o problema convoca, não passa de uma miserável manifestação de oportunismo político e a prova de que não temos um governo – ouvido sobre o assunto, o Passos meteu os pés pelas mãos, obviamente tolhido pela surpresa – mas um conjunto de maganos que asneiram cada um para seu lado, sem princípios, sem tino, sem decência, tratando da sua própria chafarica e preparando o futuro que se afigura incerto. Nem que seja promovendo umas passas que possam atenuar a dor que não passa.

Comments

  1. José Seabra says:

    Se não fosses analfabruto, fazias uma oposição à ministra (que bem merece) que fosse coisa de homens. A dita Paula e o Ex.marido o Paulo Teixeira Pinto ex,presidente do BCP, há muitos anos que defendem tanto em entrevistas como em debates a despenalização das drogas. Vê-se que é um assunto pensado, é que, sabes? Nem tudo o que parece, é. O filho de ambos morreu de overdose, e a partir daí este tem sido o seu combate. José Gabriel, és um burro.

    • joao lopes says:

      acontece que a paula,deu esta entrevista enquanto ministra da justiça,e como este item não faz parte do programa do governo,desta vez o actual PM tem razao.ela não tinha que falar disto,enquanto ministra,só enquanto cidadã.pelo que,jose seabra,”és burro”

  2. José Seabra says:

    Caro João Lopes, em vez de repetir as banalidades do prof.Marcelo, tente pensar pela sua cabeça.
    Ah, e veja a entrevista…

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.