Federalismo europeu para tótós

O neoliberalismo não dominou a Europa através de um partido, de uma acção clara, democrática, porque na sua essência tenta precisamente subverter a democracia de forma discreta, quase invisível. Vivemos dominados por ele e não damos por nada, o que é pura ideologia é-nos vendido como sendo uma “solução natural”, inevitável, lógica. O neoliberalismo é uma ideologia clandestina, tão subtil como isto:

Um desses autores é Friedrich Hayek, a grande referência intelectual de pessoas como a senhora Thatcher e que escreveu este livro, ‘O Caminho para a Servidão‘, que tem um capítulo sobre as perspectivas da ordem internacional.
Este capítulo tem uma citação de Lord Acton, uma referência muito conhecida do pensamento liberal, em epígrafe E eu queria ler-vos essa epígrafe: “de todos os controles à democracia, a federação tem sido o mais eficaz e o mais adequado. O sistema federalista limita e restringe o poder do soberano, dividindo-o e atribuindo ao governo apenas alguns direitos bem determinados. É o único método de condicionar não só a maioria, mas também o poder do povo“.

José Castro Caldas desmonta uma dessas facetas, a da federalização anti-democrática que vivemos. Quinze minutos a não perder.

Via Ladrões de Bicicletas.

Comments


  1. É esta a essência do neoliberalismo. Somos manipulados pelo imediatismo dos sentidos. Nascemos e morremos convencidos que a ordem mundial é esta e que não há alternativa. A fazer lembrar, de certa forma, a platónica “Alegoria da Caverna”, em que o mundo sensível (aprisionado às aparências) se sobrepõe ao mundo inteligível (amordaçado pelo empirismo). Por isso, a razão é tão perigosa; um vírus que pode minar esse monstro neoliberal. Fátima, futebol e fado, uma mezinha antiga que nos afasta da tentação de pensar sem aquelas correntes que nos obrigam a enxergar apenas as sombras da verdade.


  2. Qunado assisto a casa dos segredos ou vou a Farima em dia de romaria acabo por pensar se as utopias que as vezes me assaltam não serão um exagero de narrativa. Digo utopias porque apesar de toda a delianate retórica não há um unico canto na terra onde se possa limpara as mãos há realidade e mostrar : eis o que eu acho que deve ser. E de todo o mundo o sítio melhor para viver é precisamente aqui onde vivo (perdão melhor é onde governam pessoas competentes que são culpadas de todos os crimes de má governação aqui!!)


  3. Reblogged this on O Retiro do Sossego.

Trackbacks


  1. […] Europa não é a direita, mas uma extrema-direita, ordo ou neoliberal, que quando sente ameaçado o edifício totalitário que subtilmente construiu e se chama federalismo, não hesita em mandar às urtigas o direito dos povos ao voto livre, que já não o era numa […]

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.