Novidades sobre a propaganda do desemprego

Desemprego jovem

Apesar do esquema dos estágios profissionais ou do meio milhão de portugueses, maioritariamente jovens altamente qualificados, que abandonou o país nos últimos quatro anos, entre outras artimanhas que caracterizam a engenharia política do desemprego desenvolvida pelo actual governo, a realidade voltou a cair-nos na cabeça e os números do Eurostat relativos ao mês de Maio colocam Portugal no top 5 dos 28 países que constituem a União Europeia.

Para além de toda a artificialidade subjacente à manipulação dos números, Portugal registou em Maio uma taxa de desemprego de 13,2%, o que revela uma subida ligeira face ao mês anterior. Em sentido inverso, a média da zona euro fixou-se nos 11,1% enquanto a UE apresenta resultados ainda mais positivos, na casa dos 9,6%, os mais baixos desde Julho de 2011. Já o desemprego jovem (33%) continua num patamar que contribuiu para reforçar a sugestão de Pedro Passos Coelho, convertida pela propaganda laranja em mito urbano, imediata e facilmente desmontado.

Embustes à parte, o desemprego em Portugal continua a configurar uma situação crítica que faz tremer as fundações de um país que mesmo com os cofres cheios não sabe o dia de amanhã. Particularmente preocupantes entre os jovens, estes números continuarão a contribuir para a fuga de mais portugueses em idade fértil num país que assiste a um envelhecimento acelerado da população enquanto a crise e os incapazes que nos vão governando condenam a economia do país à total indigência. Mas a grande dúvida que me assalta é mesmo saber quais serão os números reais do desemprego. Para além dos estágios profissionais, da emigração e das “anulações” de desempregados por parte do IEFP sem aviso prévio aos visados. Há quem defenda que se situa nos 29%. Será?

*****

Entretanto, no Reich: “Taxa de Desemprego na Alemanha recua para 6,2%” [DE]

Comments


  1. Este faz de conta de que são os sindicatos, os partidos, o governo ou os analistas que criam emprego é uma mistificaçaõ que enreda os eleitores com afirmações falsas e má julgamento.
    Os unicos que criam emprego são os empresarios; e como vemos poucos são os media que se preocupam em ouvir o que eles tẽm a dizer. O governo, camaras etc quando criam emprego já todos sentimos na carteira em impostos o que nos custa tanta generosidade e “competencia”. Alerto a todos os cidadãos para que tenham presente : os empresarios é que criam empregos; os restantes participantes por vezes (sindicatos) ajudam a destruilos.

    • j. manuel cordeiro says:

      Está redondamente errado. Ainda agora o governo criou uma série de empregos para colocar amigos nas embaixadas.

Trackbacks


  1. […] tentativas de manipulação do departamento de engenharia política do desemprego. Depois das notícias da passada semana, o Publico revelou ontem novos números que deitam por terra a propaganda laranja-azul. Sócrates […]

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.